A busca por uma formação acadêmica de qualidade tem levado muitos estudantes a explorar oportunidades além das fronteiras nacionais. A Alemanha, com sua rica tradição acadêmica e inovação, tem se destacado como um destino preferido para muitos brasileiros. E a boa notícia é que fazer um mestrado na Alemanha pode ser mais acessível do que você imagina.

Além disso, estudar no exterior oferece uma série de vantagens que vão além da qualificação acadêmica. É uma chance de mergulhar em uma nova cultura, fazer novas amizades, adquirir novos conhecimentos, aprimorar um idioma e fortalecer o currículo. Neste artigo vamos explicar os requisitos, custos e várias dicas para você aproveitar essa chance e enriquecer a sua vida pessoal e profissional!

Como fazer mestrado na Alemanha?

Para se aventurar em um mestrado na Alemanha, é essencial que você já tenha concluído a graduação e possua proficiência em alemão e/ou inglês. Sim, isso mesmo! É possível estudar na Alemanha apenas com o inglês, especialmente em níveis de pós-graduação.

O seu desempenho acadêmico durante a graduação também é um fator crucial, pois a maioria das universidades alemãs considera as suas notas.

Além disso, é necessário ter uma dose extra de disciplina e determinação. O processo de seleção pode ser bastante burocrático e requer muito planejamento. Aliás, morar na Alemanha muitas vezes também exige essas qualidades.

Como se candidatar para fazer mestrado na Alemanha?

Ao planejar a candidatura para um mestrado na Alemanha, é essencial se organizar com antecedência. Identifique os cursos que lhe interessam e faça uma lista dos pré-requisitos para cada um. Normalmente, essas informações podem ser encontradas no site da universidade que você tem interesse em estudar.

Se você ainda estiver um pouco perdido e não souber por onde começar, sugerimos que visite a plataforma doDAAD. Eles oferecem um banco de dados abrangente com todas as oportunidades de estudo disponíveis no país, bem como as ofertas específicas para programas internacionais.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Em 2023, a Alemanha oferece 1.243 programas de mestrado internacionais ministrados em inglês. Para aproveitar ao máximo os bancos de dados, você pode filtrar por tipo de curso (neste caso, mestrado), idioma de preferência (inglês e/ou alemão), campo de estudo (se já tiver uma preferência), e estado ou cidade.

Exame de proficiência

Para os estudantes internacionais que se candidatam a um programa de mestrado na Alemanha, a proficiência no idioma é fundamental. Nesse caso, é preciso apresentar um certificado no idioma em que o curso será lecionado.

Por exemplo, se o seu curso for em alemão, você deverá apresentar o certificado dos exames TestDaF, Telc ou DSH. Se o seu curso for em inglês, você deverá apresentar o certificado do TOEFL iBT ou do IELTS.

As notas exigidas nestes exames variam conforme a universidade, sendo que algumas são mais rigorosas e outras menos. De uma forma geral, a nota mínima exigida no TOEFL iBT é de 80 a 100 e para o IELTS é 6,5 a 7,0.

Pessoa estudando para um mestrado na Alemanha.
Para fazer um mestrado na Alemanha é importante ter proficiência no idioma em que as aulas forem ministradas.

Vale lembrar que estes exames são válidos por apenas dois anos e que os resultados devem estar disponíveis antes da sua candidatura na universidade alemã. Portanto, faça um planejamento para realizar o exame no prazo necessário. Além disso, alguns cursos são lecionados nos dois idiomas e requerem certificados tanto de alemão quanto de inglês.

No caso da proficiência em alemão, as notas mínimas são:

  • TestDaF: Normalmente as universidades exigem uma pontuação de 4 em todas as quatro seções do teste;
  • DSH: Esse teste é realizado pelas próprias universidades e o nível exigido é geralmente DSH-2, embora alguns cursos possam exigir DSH-3;
  • Telc: A nota mínima exigida pode variar dependendo da universidade e do curso específico, mas, em geral, as universidades exigem conhecimentos entre nível B2 e C2 (CEFR).
  • GDS (Goethe Institut German Language Diploma): Algumas universidades também aceitam esse diploma, e o nível exigido geralmente é C2.

Não tenho proficiência em inglês ou alemão, e agora?

Se você quer mesmo fazer um mestrado na Alemanha, o primeiro passo será ganhar essa habilidade para conseguir a nota mínima exigida nos testes de proficiência. Mas não se preocupe que temos a indicação certa para auxiliar você.

A Beeducation, especialista em Higher Education e Intercâmbio, pode facilitar e tornar mais segura a sua experiência de estudos na Alemanha. A equipe irá auxiliar você com o curso preparatório de alemão para frequentar universidades no país, capacitando-o a se candidatar a qualquer curso superior no país germânico.

Além disso, eles possuem um atendimento super personalizado e acolhedor, sendo uma empresa da nossa confiança, por isso sempre indicamos aos leitores.

Entre em contato com a Beeducation e peça um orçamento, vale a pena.

Carta de motivação

Além do exame de proficiência, você precisará escrever uma boa carta de motivação explicando o porquê você deseja fazer mestrado na Alemanha e especificamente na universidade e no curso que você selecionou.

É importante que a carta não apenas repita as informações do seu currículo, mas mostre algo sobre a sua personalidade, seus sonhos e objetivos. Não fale apenas sobre você, mas sim sobre o curso e como ele vai contribuir para a sua carreira, seja ela acadêmica ou não.

Currículo

O currículo também é um item essencial que deve ser apresentado na sua candidatura ao mestrado na Alemanha. Ele deve ser feito em formato tabular e, de preferência, incluir uma foto.

A foto deve refletir uma imagem profissional, portanto, evite imagens tiradas em ambientes sociais, como festas ou na praia, e não inclua outras pessoas na foto.

O currículo deve detalhar todas as suas experiências de trabalho e formação acadêmica. Se desejar, você pode utilizar a plataforma Europass para criar o seu, pois este é um formato amplamente reconhecido na Europa.

Carta de recomendação

Outro item importante ao se candidatar é apresentar boas cartas de recomendação para mestrado, que demonstrem que você é um aluno dedicado e responsável e reafirmem o seu interesse em estudar na Alemanha. É recomendável enviar duas cartas, uma de âmbito profissional e outra de âmbito acadêmico.

Para as referências profissionais, é aconselhável solicitar a um coordenador ou supervisor que esteve diretamente envolvido na suas atividades laborais, como um mentor de estágio acadêmico.

Quanto à carta de âmbito acadêmico, deve ser fornecida por um professor com quem você manteve um relacionamento próximo durante a graduação, seja o orientador do seu trabalho de conclusão de curso ou o coordenador de um projeto de iniciação científica no qual você esteve envolvido.

Portfólio ou testes específicos

Em geral, não se exige um exame de admissão para cursos de mestrado na Alemanha. No entanto, existem exceções. Por exemplo, programas nas áreas de Arte, Design e Arquitetura frequentemente solicitam que os candidatos apresentem um portfólio.

Da mesma forma, programas de Música geralmente exigem testes presenciais. Além disso, alguns cursos na área de Ciências Exatas podem exigir exames específicos.

Melhores universidades para fazer mestrado na Alemanha

Em 2023, de acordo com o ranking Times Higher Education, as 10 melhores universidades na Alemanha são:

  1. TUM: Universidade Técnica de Munique;
  2. LMU: Universidade Ludwig Maximilian de Munique;
  3. Universidade de Heidelberg;
  4. Charité: Hospital Universitário de Berlim;
  5. HU Berlin: Universidade Humboldt de Berlim;
  6. Universidade de Tübingen;
  7. Universidade de Bonn;
  8. FU Berlin: Universidade Livre de Berlim;
  9. RWTH Universidade Aachen;
  10. Universidade de Freiburg.

Melhores cursos de mestrado na Alemanha

Os programas de mestrado na Alemanha que mais atraem estudantes internacionais são aqueles que refletem a reputação global do país e também aqueles que estão ligados às figuras históricas que emergiram de lá.

Os programas mais bem avaliados abrangem uma variedade de campos, incluindo Engenharia Mecânica, Ciência da Computação, Negócios e Economia, Física e Medicina, bem como Arquitetura, Filosofia e Música.

Universidade de Münster, na Alemanha.
Fazer mestrado nas melhores universidades da Alemanha é super acessível e ainda há bolsas para concorrer.

Recomendamos que você visite diretamente os sites das universidades na Alemanha para obter informações mais detalhadas sobre o programa que você deseja.

Quanto custa fazer mestrado na Alemanha?

Parece mentira, mas fazer mestrado na Alemanha é relativamente barato em comparação com outras universidades europeias. É possível, inclusive, dizer que estudar na Alemanha é de graça. Mas, é sempre importante ressaltar que existem taxas administrativas que devem ser pagas semestralmente.

Além disso, os estudantes devem considerar o custo de vida na Alemanha, que pode variar dependendo da cidade e do estilo de vida de cada pessoa. As cidades maiores, como Munique, Berlim e Frankfurt, tendem a ter custos de vida mais altos do que as cidades menores.

Taxas semestrais de matrículas

Para esclarecer, em geral, as universidades públicas na Alemanha não cobram mensalidades para cursos de bacharelado e mestrados consecutivos. No entanto, são aplicadas taxas administrativas semestrais, que variam de 200€ a 400€.

Um ponto importante a ser destacado é que essas taxas incluem um passe semestral para o transporte público na Alemanha. Por isso, muitos consideram a universidade como gratuita, uma vez que o custo do transporte público, caso fosse pago separadamente, excederia o valor dessas taxas.

Porém, existem algumas exceções. Desde setembro de 2017, estudantes internacionais — aqueles que vêm de fora da União Europeia — são obrigados a pagar uma taxa de 1.500€ por semestre nas universidades localizadas no estado de Baden-Württemberg. Isso inclui instituições renomadas como as universidades de Heidelberg, Freiburg e Tübingen, que estão entre as melhores do país.

Além disso, é importante ressaltar que as universidades privadas na Alemanha podem cobrar taxas de matrícula, e essas taxas podem variar significativamente de uma instituição para outra. Portanto, é essencial verificar as informações específicas de cada universidade ao planejar os seus estudos.

Mensalidades em cursos de mestrado não-consecutivo

Também é importante esclarecer que os programas de mestrado na Alemanha são categorizados em dois tipos: o consecutivo e o não-consecutivo. A diferença entre eles está principalmente no tipo de experiência e formação que eles requerem dos candidatos.

No caso do consecutivo, eles seguem diretamente após um grau de bacharelado na mesma área de estudo ou em uma área relacionada. Eles aprofundam o conhecimento adquirido durante o bacharelado e são geralmente voltados para estudantes que desejam continuar os seus estudos na mesma disciplina.

o não-consecutivo ou mestrado continuado, como também é chamado, tem um caráter mais profissional, sendo voltado para aqueles que já possuem experiência de trabalho após a conclusão do bacharelado. Esses programas podem se concentrar em uma área de estudo distinta daquela do diploma de bacharelado e costumam ter uma abordagem mais prática.

Mesmo em universidades públicas, alguns desses cursos podem exigir o pagamento de taxas de matrícula pelos candidatos. Os custos podem variar de 5.000€ a 30.000€ por ano, o que, apesar de tudo, ainda é mais acessível em comparação com muitas universidades em outros países europeus.

Bolsa de mestrado na Alemanha

Atualmente, são ofertadas muitas bolsas de estudo na Alemanha, especialmente para o nível de mestrado. Os principais programas são o EPOS e o Helmut-Schmidt, mas há mais de outras 180 opções para conseguir uma bolsa de estudos no país.

Muitas bolsas de mestrado na Alemanha cobrem todas as despesas dos estudantes durante o período do curso, como mensalidades, auxílio financeiro mensal, passagens aéreas e até seguro saúde.

Preciso saber falar alemão para fazer mestrado na Alemanha?

Em geral, não é obrigatório ter proficiência em alemão para cursar um mestrado na Alemanha, pois muitas universidades oferecem programas internacionais ministrados em inglês.

No entanto, é importante destacar que a falta de conhecimento do idioma local pode levar a situações desconfortáveis e frustrantes. Em uma cidade cosmopolita como Berlim, você pode conseguir se virar no dia a dia sem falar alemão.

Ainda assim, aprender alemão é crucial para alcançar a independência, permitindo que você lide com questões burocráticas por conta própria e se sinta confiante para realizar tarefas cotidianas, como fazer compras ou consultar um médico.

Preciso validar meu diploma para fazer mestrado na Alemanha?

Geralmente, para cursar um mestrado, não é necessário validar o diploma na Alemanha. No entanto, é crucial apostilar o documento conforme as diretrizes da Convenção de Haia e providenciar uma tradução juramentada em alemão do diploma.

Para fazer esse serviço, recomendamos a Yellowling, uma plataforma de traduções que é confiável, rápida e com ótimos preços. Os tradutores são certificados e você pode pedir um orçamento online em menos de 1 minuto.

A maioria das universidades alemãs irá exigir que você se inscreva pela plataforma Uni Assist. Esta plataforma avalia os diplomas e demais certificados estrangeiros, bem como converte as notas do seu histórico acadêmico para o sistema de pontuação alemão. A primeira solicitação por meio desta plataforma tem um custo de 75€. Cada solicitação de estudo adicional no mesmo semestre de inscrição custa 30 €.

No Brasil, após finalizar o mestrado na Alemanha, a validação do diploma alemão deve ocorrer pela Plataforma Carolina Bori, disponibilizada pelo Ministério da Educação (MEC).

Vale a pena fazer mestrado na Alemanha?

Sim, eu, Luiza, tenho uma opinião de vale a pena fazer mestrado na Alemanha.

Como conclui o curso e entreguei a minha dissertação de mestrado, aproveito para compartilhar com vocês a minha experiência pessoal.

Planilha para planejar candidatura

Quando decidi que queria fazer mestrado na Alemanha não medi esforços para me planejar e alcançar este objetivo. Busquei pelos cursos em inglês na minha área pela plataforma do DAAD e criei uma planilha onde listei todos os cursos que me interessavam. Criei colunas com a localização, os custos, os prazos para candidatura e os pré-requisitos.

Na minha planilha eu indicava, por exemplo, a nota mínima exigida no exame de proficiência. Dessa forma, pude definir qual era o meu objetivo quando fui estudar inglês e fazer a prova, considerando a nota mínima exigida pela universidade mais rigorosa da minha lista. A nota que eu deveria fazer era 100/120. Uma meta um pouco audaciosa, mas que serviu para motivar os estudos e me preparar bastante para a prova.

Grupo de estudantes sentados juntos
Fazer amigos em um novo país é um desafio, mas necessário para uma boa adaptação.

Esta planilha me acompanhou durante todo o processo. A cada nova candidatura enviada, eu marcava na planilha a data de envio e controlava as etapas para não me perder. Felizmente, aos poucos, fui recebendo as desejadas cartas de aceite e fui marcando na planilha as minhas conquistas.

No fim, fui aceita para um total de seis universidades, dentre as sete que me candidatei. A planilha me ajudou a selecionar aquela que melhor se encaixava nos meus planos e, neste momento, a coluna de custos foi a que mais pesou, pois acabei escolhendo um curso de mestrado consecutivo em uma universidade pública, ou seja, com custo extremamente baixo.

Matrícula na universidade e outras burocracias

Em 2018,  iniciei o meu mestrado na Alemanha na Universidade Bauhaus, em Weimar. Mesmo já tendo morado na Alemanha anteriormente, todo o processo no início foi bastante difícil e burocrático, e, mesmo sendo uma pessoa adaptável, levei algum tempo para me familiarizar e organizar tudo.

O mais difícil, na minha opinião, foi conhecer a cidade e montar uma casa nova ao mesmo tempo em que tinha que fazer todos os procedimentos burocráticos, como a matrícula na universidade, o registro de endereço, abrir conta na Alemanha, e a solicitação da permissão de residência.

Felizmente, na universidade em que estudei, existe uma equipe responsável por recepcionar os novos alunos internacionais e auxiliar com as etapas destes procedimentos.

Relacionamento com os colegas de sala

Outra preocupação no início era a de fazer novos amigos e ter um bom relacionamento com os meus colegas de curso. Como fiz um curso internacional, os meus colegas de sala eram de vários países e de todos os continentes. Acredito que isso tenha me ajudado muito a integrar, uma vez que a maioria de nós se encontrava em situação semelhante.

Ensino e avaliações

O estudo, as provas, os trabalhos e as notas também eram temas que me deixavam bastante ansiosa ao começar o mestrado na Alemanha. De fato, estudar no país requer, de uma forma geral, mais dedicação que em uma universidade brasileira.

O quadro de horários de aula, muitas vezes, se distribui por diferentes períodos do dia. No meu primeiro semestre, por exemplo, eu fazia um total de 10 disciplinas, algumas iniciando as 9h da manhã, enquanto outras tinham início às 19h.

Além disso, as aulas exigem bastante preparação. É comum que você tenha que ler textos longos ou fazer muitos exercícios para cada aula. Apesar disso, normalmente, não há lista de presença nos cursos de mestrado na Alemanha, sendo responsabilidade e escolha do aluno a decisão de participar ou não das aulas.

Durante os meus dois primeiros semestres no mestrado na Alemanha tive que me dedicar bastante e de forma exclusiva aos estudos. Por mais que eu seja confiante quanto ao meu conhecimento de inglês, ler textos em um idioma estrangeiro e fazer apresentações em outro idioma sempre será mais difícil do que na sua língua materna.

No início tudo era novidade e, por isso, era ainda mais difícil. Com o tempo, entretanto, já conseguia ler os textos de forma mais dinâmica e fazer apresentações de forma mais espontânea.

Além disso, viver na Alemanha, como em qualquer país, tem os seus altos e baixos. Em vários dias questionei a minha decisão, por achar que estava muito difícil ou que não estava sendo reconhecida, apesar dos meus esforços. Contudo, na minha opinião, os pontos positivos superaram os negativos e, hoje, com o mestrado concluído, não me arrependo de ter feito esta escolha.

E depois do mestrado, o que fazer?

Atualmente, a Alemanha busca estrangeiros qualificados para trabalhar no país. Sabendo disso, e considerando o salário mínimo competitivo estabelecido no país, muitos brasileiros se mudam para trabalhar na Alemanha.

O que muitas pessoas não sabem é que, ao fazer um mestrado, algumas facilidades são oferecidas para que os ex-alunos possam se estabelecer no país. Isto porque, além de possuir um diploma emitido por uma instituição alemã, a pessoa terá acesso a um tipo de visto para procurar emprego na Alemanha específico para pessoas que concluíram um curso superior no país.

Trata-se da permissão de residência denominada Aufenthaltserlaubnis für Studienabsolventen zur Arbeitsplatzsuche, a qual permite morar no país por um período de até 18 meses para procurar uma posição de trabalho na sua área.

Além disso, durante o período de validade deste visto, a pessoa pode trabalhar normalmente em período integral em qualquer atividade.

Se precisar, contrate ajuda

Como você viu, o processo para fazer um mestrado na Alemanha é bastante trabalhoso e burocrático, especialmente se você nunca morou na Alemanha anteriormente.

Por isso, reforçamos nossa indicação de solicitar o auxílio da Beeducation, uma empresa formada por mulheres dedicadas a fornecer o melhor serviço a quem deseja estudar no exterior, é da nossa confiança.

Para completar a informação deste artigo, separamos um vídeo super bacana do canal da brasileira Rosa Filipovic, que conta a experiência de uma Engenheira Civil que faz mestrado em Munique. Veja a seguir:

E se você quiser conhecer ainda mais histórias de brasileiros para se inspirar e refletir sobre a mudança de país ou a experiência de estudar fora, recomendamos o e-book “O sonho de viver na Europa” elaborado pela equipe do Euro Dicas, onde reúne outras experiências e vivências no velho continente.