A Alemanha oferece ótimos padrões de qualidade de vida e níveis de desigualdade sociais baixíssimos. A lacuna entre os que ganham muito bem e os mais pobres é pequena em comparação a outros países. Em muitas áreas há muito mais vagas do que pessoas qualificadas para preenchê-las, o que significa que há muitas oportunidades de conseguir um emprego na Alemanha.

A facilidade e rapidez com que alguém encontra o seu emprego dos sonhos no país depende de diversos fatores, mas conhecendo o caminho das pedras, onde buscar uma vaga e quais são as exigências para cada área, a busca fica mais muito mais fácil.

Se quiser saber por onde começar a sua busca, continue lendo este artigo para conhecer o passo-a-passo dessa empreitada.

Como conseguir emprego na Alemanha?

A busca pode depender da área, mas basicamente todas as empresas alemãs seguem o mesmo caminho: você precisa enviar o seu currículo ou portfólio.

Para áreas mais tradicionais, como a área da saúde, área editorial e de comunicações, e tantas outras, é exigido um modelo específico de currículo que é muito usado no mercado de trabalho alemão. Para nós brasileiros que não estamos acostumados com a padronização, uma dica é usar o site Europass, onde é possível preencher todas as suas informações e o site formata na forma de currículo europeu.

É comum que as empresas alemãs peças uma foto no currículo, mas, de acordo com a lei, eles não podem obrigar os candidatos a fazê-lo. A ideia é evitar a discriminação, no entanto, é indicado colocar uma foto séria e onde você apareça de maneira profissional (fotos 3×4 não são apropriadas).

Para empregos da área de tecnologia e design, muitas vezes o candidato deve anexar um portfólio com os melhores exemplos do seu trabalho. Empresas podem exigir ainda uma carta de apresentação/intenção e os Zeugnisse, os seus certificados de escola, universidade, pós-graduação e assim por diante.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Não esqueça dos certificados e recomendações

Entre os certificados, cartas de empregadores anteriores recomendando o seu trabalho também são bem-vistas por algumas empresas. Isso porque na Alemanha, de cada emprego que o trabalhador sai, ele recebe uma carta com uma avaliação sobre a sua performance, assim quem já está no mercado alemão há tempos pode ter colecionado algumas. Caso você não tenha, peça recomendações dos seus chefes anteriores.

Lembrando que tudo isso depende do cargo, da empresa e da área na qual você quer trabalhar na Alemanha. Normalmente os documentos necessários para se candidatas estão listados no final da descrição da vaga.

Existe emprego para brasileiros na Alemanha?

Sim, existe emprego para brasileiros na Alemanha. Porém, isso vai depender da qualificação profissional de cada um.

Vagas para falantes de português brasileiro existem, mas são poucas. Então trabalhar usando somente a nossa língua materna é raro, a não ser que você seja professor de português ou trabalhe em institutos de pesquisa dedicados à América Latina.

Mesmo assim, quem possui inglês e alemão avançados tem muito mais oportunidades de encontrar um emprego na Alemanha. Outras línguas como o espanhol e o francês abrem ainda mais portas, especialmente para aqueles que trabalham com idiomas.

Áreas que não exigem qualificação podem ser um bom início

Existem ainda trabalhos que não exigem muita qualificação, como vagas na área de gastronomia e limpeza, que são ótimos para começar a vida no país. Há ainda demanda na área da beleza para manicures e depiladoras. No caso das cabeleireiras, os salões de beleza alemães normalmente contratam quem tenha feito curso profissionalizante na área, o que pode ser uma dificuldade.

Outra área que contrata pessoas com cursos profissionalizantes é a construção civil, onde existe escassez de mão-de-obra, principalmente nas cidades menores. Aqui, no entanto, o conhecimento básico de alemão é exigido.

Melhores sites para encontrar oportunidades de emprego na Alemanha

Existem centenas de sites de busca de emprego na Alemanha. Muitos são dedicados a públicos específicos, como estudantes, mulheres com filhos e profissionais da tecnologia.

Preparar o currículo para trabalhar na Alemanha

Os melhores, no entanto, são:

  • Jobbörse der Agentur für Arbeit: site oficial de empregos do Ministério do Trabalho da Alemanha, que está conectado à agência de empregos estatal (em alemão);
  • Indeed: maior portal de empregos do país, este site internacional pode ser usado em várias línguas;
  • Stepstone: outro grande portal de empregos na Alemanha, onde é possível ver também a média salarial de cada ocupação no país;
  • Berlin Startup Jobs: focado em Berlim, a capital das startups na Alemanha, esse site oferece empregos principalmente na área de tecnologia. Há ainda outros sites com empregos em todas as cidades do país nessa área;
  • Monster.de: Este portal de empregos oferece milhares de vagas e possui uma página de Karriereberatung, ou aconselhamento, com modelos de currículo e outros documentos, além de diversos artigos sobre o mercado de trabalho;
  • English Jobs Germany: site dedicado à vagas onde nenhum ou pouco conhecimento de alemão é necessário.

Melhores empregos na Alemanha

Saiba que os empregos com os salários mais altos estão nas áreas de finanças, medicina e tecnologia da Informação. Os super salários são alcançados em posições de liderança, que geralmente exigem vasto conhecimento do idioma, mas algumas destas áreas são exatamente aquelas onde existe uma enorme escassez de trabalhadores, portanto o sonho não é impossível – apenas leva um tempo para ser alcançado.

As áreas onde há mais vagas de emprego na Alemanha e onde, por consequência, se contratam mais estrangeiros, são as áreas da saúde, educação infantil e de TI.

Profissionais da saúde na Alemanha

Profissionais da saúde como enfermeiros e cuidadores de idosos trabalham bastante no país, mas não ficam desempregados. Há tantas vagas que até se fala em um colapso da saúde. Médicos estão também em falta, principalmente nas maiores cidades.

Os requisitos para trabalhar nessa área são maiores do que em outras, com exigência de reconhecimento de diploma ou de curso profissionalizante, certificado B2 (conhecimento intermediário do idioma) com cursos especiais para aprender o vocabulário da área e outros.

Outra opção é se mudar para a Alemanha para conseguir um curso profissionalizante na área (o chamado Ausbildung), pois muitas vezes o governo paga o curso completo, tamanha a demanda por profissionais da saúde.

Profissionais de pedagogia

A área da pedagogia é outra com alta demanda de profissionais, especialmente por aqueles que trabalhem em creches. Ao contrário do Brasil, na Alemanha o curso necessário para encontrar empregos na área é apenas profissionalizante (com duração de dois anos) e não de nível universitário.

Mesmo assim, com o aumento repentino do número de nascimentos no país, faltam vagas em creches e faltam também profissionais para trabalhar nelas.

Profissionais da tecnologia

Por fim, a área mais quente no mercado alemão é a da tecnologia. Profissionais de TI de todas as áreas podem encontrar um emprego na Alemanha sem nenhum conhecimento da língua, desde que tenham experiência comprovada – muitas vezes não é necessário curso superior.

Desenvolvedores web, designers, UX researchers e tantos outros podem muitas vezes ter o visto e a relocação paga pela empresa.

Como funciona o visto para procurar emprego na Alemanha?

A Alemanha oferece um visto específico para profissionais que tenham no mínimo, o Bacharelado, procurarem emprego no país. A estadia máxima é de seis meses e durante o período é possível trabalhar no máximo 10 horas por semana, uma forma de provar as qualificações do profissional.

No site da Embaixada da Alemanha no Brasil é possível encontrar todos os detalhes do visto, como aplicar e quais os documentos necessários.

Assim que o interessado estiver com todos os documentos em mãos, é necessário se dirigir a uma das embaixadas no Brasil (em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre ou Recife é preciso marcar um agendamento online). A duração do período de análise do visto é de uma semana.

O visto, no entanto, só é oferecido as pessoas cujo curso superior e/ou a universidade onde se formou sejam reconhecidos na Alemanha. Para saber se o seu curso está na lista, basta entrar no site da Anabin e fazer a busca.

O que fazer após conseguir emprego?

Após o envio do seu currículo, provavelmente vai passar por uma rodada de entrevistas e talvez algum teste. Os processos seletivos na Alemanha são conhecidos por durarem semanas e até meses.

Muitas vezes você pode receber uma negativa em qualquer etapa do processo e muitas empresas nem se dão ao trabalho de responder os candidatos que não foram selecionados (uma tremenda falta de educação, eu sei).

Contudo, não há razão para ficar triste. Mesmo que não dê certo de primeira, há, como eu disse antes, diversas oportunidades de encontrar um emprego na Alemanha. Quando você receber o tão sonhado “sim”, começa a burocracia.

Com a confirmação da empresa e assinatura do contrato de trabalho, a primeira coisa é aplicar o visto para trabalhar na Alemanha. Existem diversos tipos de vistos para brasileiros qualificados que irão trabalhar no país. A lista com os requisitos está no site da Embaixa da Alemanha, mas abaixo segue quais são eles:

  • Cartão Azul (conhecido como Blue Card);
  • Visto para trabalhadores qualificados;
  • Visto de trabalho para demais atividades profissionais;
  • Visto de trabalho com reconhecimento parcial da formação profissional.

Já tenho emprego na Alemanha, preciso de visto?

Quem já mora na Alemanha e consegue um emprego pode ter que mudar de visto. Isso porque a quantidade de horas que os estrangeiros podem trabalhar no país é determinado pelo tipo de visto que estes possuem.

Quem vai para a Alemanha com um visto de estudante de línguas, por exemplo, precisa necessariamente estudar alemão em uma escola credenciada por no mínimo 20 horas por semana. Além disso, o visto não permite que o estudante trabalhe, por isso é necessária a comprovação de conta bloqueada com no mínimo €10.236 para se manter durante a estadia.

Entrevista de emprego na Alemanha

Estudantes universitários, seja de graduação, mestrado ou doutorado, podem trabalhar no máximo 20 horas por semana, de acordo com o visto.

Já aqueles que têm um visto de reunião familiar, seja porque o cônjuge trabalha na Alemanha ou possui nacionalidade da União Europeia, podem trabalhar quantas horas quiserem.

Há ainda o visto para freelancers, profissionais liberais que não possuem emprego físico, mas prestam serviços. Estes geralmente trabalham nas áreas criativas como jornalismo, tradução, design, música e artes performáticas. De acordo com este visto, só é possível trabalhar como freelancer. Caso o profissional encontre um emprego fixo na Alemanha, precisa entrar em contato com as autoridades de imigração e mudar o visto.

Vale a pena ir para a Alemanha procurar emprego ou melhor buscar ainda no Brasil?

Depende da área.

Caso você tenha uma poupança que te permita ficar seis meses procurando emprego, aprendendo alemão e fazendo o reconhecimento dos diplomas, vale a pena ir para a Alemanha e lidar com a burocracia direto no país. Dessa forma, o processo corre mais rápido e é possível fazer as etapas do processo seletivo pessoalmente.

No entanto, caso esta não seja a sua situação, é possível encontrar um emprego na Alemanha diretamente do Brasil. Especialmente nas áreas mencionadas acima, onde há escassez de profissionais, as empresas tendem a conduzir processos seletivos à distância e ajudar com a relocação.

Como é o mercado de trabalho alemão?

O mercado de trabalho alemão é diverso e muitas vezes concorrido, mas rico em oportunidades. Com o nível de desemprego baixo, há muitas vagas, especialmente em áreas que exigem menos qualificação, como atendimento ao cliente, telemarketing, vendas e outras.

No entanto, ao contrário do Brasil, existe na Alemanha uma cultura da certificação. Para diversas carreiras que os estrangeiros podem seguir sem nenhum tipo de escolaridade específica, existem os Ausbildung, cursos profissionalizantes que duram normalmente dois anos e com foco na prática. Em muitos deles, o estudante recebe um salário pequeno, já que os estágios obrigatórios fazem parte do currículo.

Profissões como secretaria, jardinagem, vendas e tantas outras exigem certificação. Ao mesmo tempo, profissões como enfermagem, pedagogia e outras, não exigem curso universitário.

Esta é apenas uma das diferenças entre o sistema educacional brasileiro e o alemão, mas elas impactam no mercado de trabalho. Além disso, estes cursos oferecem disciplinas que ensinam como se candidatar a uma vaga, como escrever um currículo, como realizar a contabilidade das despesas pessoais, coisas que os brasileiros não aprendem.

ONGs e o próprio governo oferecem cursos

Neste ponto, muitos alemães saem na frente. Mas há diversas entidades não-governamentais que oferecem cursos para que estrangeiros preencham esta lacuna. Além disso, o próprio governo alemão oferta alguns cursos que permitem aos estrangeiros se qualificar nas áreas mais necessitadas, seja com Ausbildung, curso de línguas e outros.

Tradições e hábitos no mercado de trabalho alemão

Por fim, o mercado de trabalho alemão traz alguns choques culturais aos brasileiros que se aventuram a imigrar. O estereótipo de que os alemães são sérios e pontuais é verdadeiro, portanto, cuidado para não se atrasar. Além disso, funcionários tendem a tratar os seus colegas e chefes com o pronome Sie, o jeito formal de dizer “você”.

Trabalhadores passam anos usando este pronome de tratamento, mantendo distância dos colegas, e apenas mudando para o informal Du quando lhe dão abertura. Às vezes isso não acontece nunca, pois colegas de trabalho às vezes não se consideram amigos.

Essa cultura muda em empresas internacionais, nas quais o inglês é a língua oficial ou onde há maior proximidade entre os colegas.

Precisa falar alemão?

Muitos brasileiros que conseguem um emprego na Alemanha em empresas internacionais, na maioria das vezes startups e empresas de tecnologia, passam anos vivendo no país sem falar alemão. Porém, outras áreas não permitem isso, como a já mencionada área da saúde. No entanto, quem quer crescer no mercado de trabalho alemão precisa aprender o idioma.

Cargos de chefia geralmente envolvem tratar com funcionários que falam apenas alemão. Além disso, quem tem a língua no currículo tem milhares de oportunidades a mais em comparação a quem não tem.

Alemão é a língua oficial no país e quem mora em cidades menores, fora dos grandes centros como Berlim, Munique e Frankfurt, vai ter que lidar com a burocracia, com vizinhos, com o caixa do supermercado, médicos e tantas outras situações onde o alemão vai ser necessário.

Portanto, aprender alemão desde o começo da busca de emprego é a melhor forma de garantir um futuro melhor no país.

Salário na Alemanha

Nessa busca pelo emprego na Alemanha, quando perguntamos “quanto ganha um trabalhador na Alemanha?não existe uma resposta fixa.

O salário mínimo na Alemanha depende de inúmeros fatores, categorias, sua qualificação, e também varia de acordo com a região do país.
Mas, para matar a curiosidade, podemos dar uma olhada em números gerais usando o site PayScale.

O que vemos nesses sites é o valor bruto do salário. E agora temos que levar em conta a parte dos impostos.

Impostos na Alemanha

Um fato que não é de conhecimento geral, é que a Alemanha é um país com uma infinidade de tipos impostos. Veja alguns exemplos.
Tem imposto para:

  • Ter cachorro;
  • Usar rádio, TV e internet;
  • Igrejas (caso você declare oficialmente que tem uma religião cristã).

O valor pago (e a obrigatoriedade) dependem do seu perfil como cidadão, como, por exemplo:

  • Seu status social: solteiro(a), casado(a), divorciado(a), em união estável, viúvo(a)…;
  • Se tem filho(s) ou não;
  • A sua idade.

Entre essas taxas que descontam do seu salário, estão os seguros sociais:

  • Seguro desemprego;
  • Seguro de saúde;
  • Contribuição para aposentadoria;
  • Seguro de saúde de longo prazo (que poderia ser considerado um seguro que cobrirá os cuidados necessários em um caso de invalidez).

E um detalhe: na Alemanha não existe o 13° salário

No fim das contas, os impostos podem variar de 14% a 45% do valor bruto do seu salário.

Portanto, quando você estiver procurando seu emprego na Alemanha, sempre verifique se o valor do salário apresentado é bruto ou líquido, e também confira se o valor representa o montante anual ou mensal. Prever o salário líquido é algo complicado em uma situação abstrata, por isso os valores que encontramos nos sites são valores brutos.

Custo de vida na Alemanha

Além do salário, também é preciso avaliar o custo de vida na Alemanha para fazer um balanço de como será viver no país.

As principais despesas são:

  • Moradia: aluguel, condomínio, contas de eletricidade, água, e aqui na Alemanha, o aquecimento;
  • Alimentação;
  • Transporte público;
  • Educação (quando se trata de nível superior, porque na Alemanha a educação básica é gratuita);
  • Vestuário;
  • Lazer.

Os valores das despesas variam conforme a cidade ou região onde conseguirá o seu emprego na Alemanha. Também é muito importante considerar o poder de compra na Europa e do Euro, em comparação com o Real, ou seja, não faz sentido comparar apenas os valores entre os custos no Brasil e na Alemanha, é preciso traçar uma equivalência entre o Real e o Euro.

Dicas para conseguir um emprego na Alemanha?

Como mencionado antes, diversas entidades não-governamentais auxiliam os estrangeiros na busca por emprego na Alemanha. Muitas destas nasceram de grupos de brasileiros, que conhecem a nossa situação em particular e podem oferecer conselhos valiosos para te ajudar.

O governo alemão também é outra fonte de conselhos, cursos e tantas outras formas de garantir que ninguém fique desempregado no país. Mesmo que sejam burocráticas, essas ferramentas devem ser usadas, pois, vêm com alguns benefícios como a garantir da extensão do visto, acesso ao banco de empregos especial do governo, e tantas outras.

Outra forma de buscar ofertas de emprego é ir diretamente ao site das grandes empresas alemãs. E também pode ser interessante assistir a um vídeo muito legal do canal “Viaje com a Cris”:



A dica principal é buscar informações ao máximo. Conversas com brasileiros que já migraram, grupos no Facebook e alguns imigrantes no Instagram estão abertos às perguntas de quem quer fazer o mesmo caminho que eles. Informação pode ser a diferença entre encontrar um emprego na Alemanha ou não, entre ter uma experiência de migração confortável, sem sustos nem apertos.

Por fim, o ebook O Sonho de Viver na Europa traz a experiência de brasileiros que se aventuraram e foram de mala e cuia para o Velho Continente, com dicas especiais para quem deseja se mudar da melhor forma possível.