Morar com a família no exterior: conheça os desafios e planeje a mudança

Europa  / 

Se mudar sozinho, em casal ou com amigos para outro país é uma tarefa desafiadora e bastante complexa. No entanto, morar com a família no exterior é uma opção cada vez mais comum. É uma escolha que vai muito além de apenas sair da zona de conforto. Afinal, temos aqui, no mínimo, três pessoas mudando drasticamente suas vidas – inclusive crianças.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Nesse artigo você vai compreender quais são as principais dificuldades ao morar com a família no exterior. Confira algumas dicas para ajudar na mudança.

É difícil ir morar com a família no exterior?

Se você já saiu do país alguma vez para passar uma temporada ou morar durante um tempo sabe que este não é um processo simples. Muita coisa precisa ser considerada antes de tomar essa decisão.

Quando o assunto é morar com a família no exterior, as dificuldades podem ser multiplicadas devido a muitos fatores que vão sair com você do país. No entanto, com base no seu planejamento e nos motivos que o levou a essa decisão, essas dificuldades podem valer muito a pena.

Saiba também quais são as vantagens e desvantagens de morar fora do Brasil.

Distância da rotina e do convívio

Uma das maiores dificuldades em morar com a família no exterior é se distanciar de uma convivência rotineira que já existe no Brasil. Quando se tem filhos pequenos, esse problema se torna ainda mais acentuado: vou criá-los longe dos avós, tios, primos? A responsabilidade é imensa. Como pais, há de se avaliar o que seria melhor – e certo – para a vida dos pequenos.

A decisão é diferente se você for solteiro

Quando se é solteiro ou se muda de país sem a responsabilidade de prover o sustento de um dependente, muita gente arrisca viajar sem qualquer perspectiva de emprego.

Veja também se você tem perfil para morar no exterior e quais as características mais comuns das pessoas que tem sucesso nessa mudança.

Emprego no destino é a porta de entrada para a família

No entanto, quando a família está fazendo as malas, uma dica valiosa é que ao menos um dos adultos envolvidos tenham emprego garantido no país de destino. Além da questão financeira, o emprego dá direito a um visto de trabalho. Além disso, dá permissão para que o cônjuge e filhos vivam legalmente no país.

Poucas famílias planejam verdadeiramente a mudança

Apesar da dificuldade, ainda são poucas as famílias que fazem uma mudança planejada. No entanto, para que o processo de adaptação seja o mais tranquilo possível, é importante sempre conhecer os pré-requisitos do local e a cultura do país. No Canadá, por exemplo, existe idade mínima para que os filhos possam estudar lá.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

Já na Irlanda, o ensino é gratuito dos seis aos dezesseis anos, mas a saúde pública apenas até os três (concessões são feitas até os seis).

Morar com a família no Exterior

Como é morar no exterior com filhos

“É difícil mudar de país com filhos pequenos?” Essa é a pergunta que muitos entusiastas com a ideia de sair do Brasil se fazem. A resposta, assim como para quem viaja sozinho, é sim.

Para muitas famílias a maior dificuldade é enfrentada justamente pelos pais. As crianças pequenas costumam se adaptar com mais facilidade. Segundo relatos de famílias que se mudaram para países de língua inglesa, por exemplo, as crianças recebem total apoio das escolas. Algumas, inclusive, possuem programas de inclusão para crianças imigrantes.

E como é a adaptação das crianças?

Apesar de muitos pequenos se sentirem excluídos pelos coleguinhas devido à falta de comunicação, em alguns meses passam a se motivar em ir para a escola, conforme aprendem o idioma. Geralmente 3 a 4 meses são suficientes para que a criança comece a entrar no ritmo do país.

Os mais novos se adaptam muito rápido

O fato é que, quanto mais nova for a criança, mais fácil será a adaptação. Até os 3 ou 4 anos de idade a mudança tende a ter pouco impacto sobre ela.

Morar com a família no Exterior

Crianças entre os 5 e os 9 anos

Entre os 5 e 9 anos, alguns desafios já podem ser observados. Nessa idade a criança começa a estabelecer amizades e relações fora da esfera familiar. Na idade dos porquês, elas tendem a sentir e questionar tudo o que acontece, inclusive a tensão observada nos pais.

A partir dos 9 anos

A partir dos 9 anos, os pequenos já não se sentem mais tão pequenos assim e querem liberdade. Através da curiosidade e das amizades começam a definir suas identidades.

Mas a maior dificuldade ocorre na adolescência

Mas é na adolescência que morar com a família no exterior se torna um enorme desafio. Afinal, por parte deles pode surgir a oposição à ideia de se mudar.

Para muitos deles, ficar longe do círculo social e da aprovação pode parecer um pesadelo. Mas ao mesmo tempo, a idade propicia a receptividade, e a compreensão pode ser capaz de motiva-los a se abrirem à mudança.

Apesar de algumas dificuldades, o saldo da mudança é positivo

Apesar das dificuldades, pontos como a segurança e a qualidade de vida são motivadores para que as coisas de fato deem certo no novo país. E se um dia quiserem voltar, seus filhos com certeza terão, além da bagagem acadêmica e cultural, a fluência em pelo menos mais um idioma.

Leia também o artigo de opinião: “Por que é tão difícil se adaptar a outro país?”

Qual o melhor país para morar com a família no exterior?

Escolher e indicar o melhor país para morar com a família no exterior é tarefa quase impossível. A decisão depende de como você é, da sua profissão, de suas economias, da sua personalidade e também de como a sua família é.

No entanto, existem algumas ferramentas e relatórios que ajudam nessa tarefa.

Comunidade Internations

Todo ano a comunidade InterNations divulga relatórios diversos direcionados a expatriados como forma de informar e orientar aqueles que saíram ou pretendem sair de seus países de origem.

Dentre os relatórios, alguns estão direcionados especialmente a famílias de imigrantes e seus níveis de bem-estar, como no caso do Family Life Index.

Finlândia: melhor país para morar com a família no exterior

O levantamento de 2018 apontou a Finlândia como o melhor país para morar com a família no exterior. Dentre os destaques, a nação nórdica foi considerada uma das melhores do mundo também para criar os filhos.

Morar com a família no Exterior

Os países nórdicos dominam o ranking de melhores países para morar com a família

Dentre as demais colocações, temos países nórdicos também entre as 4 posições seguintes. São os demais a Áustria, Dinamarca e Suécia. O destaque vai para a qualidade da educação básica nesses países.

Outros países que vale a pena considerar

Mas se o clima e a dificuldade com o idioma são obstáculos generosos a serem ultrapassados, o ranking apontou surpresas muito positivas.

A Espanha, Holanda e Nova Zelândia também recebem destaques em termos de educação e saúde infantil, além do bem-estar familiar. Esta é apenas uma classificação. Como esta existem outras, para ajudar as pessoas a tomar uma melhor decisão. Veja mais informações sobre melhores países da Europa para criar filhos.

Há alguma fórmula para escolher o país?

No entanto, não existe fórmula para definir um melhor país que sirva para todos os casos. Hoje em dia, por exemplo, os países mais procurados para imigração são a Nova Zelândia, Austrália, Canadá e Portugal.

O que ter em consideração?

Se um dos adultos consegue emprego, visto e as condições de vida no país em questão são melhores, resta analisar questão de adaptação, como cultura, clima e idioma.

Mas, se a viagem está planejada e ninguém tem uma oferta de trabalho nas mãos, fatores como mercado de trabalho e custo de vida precisam ser levados em consideração. De outra forma, será muito difícil morar com a família no exterior.

Se você é pai ou mãe, também pode ser interessante saber como é criar filho no exterior.

Como funciona o visto para a família

O visto para cônjuges e dependentes varia muito de acordo com a política de cada país. Enquanto algumas nações permitem apenas que residentes (com nacionalidade local ou visto de trabalho) tragam seus familiares, outras, como no caso da Austrália, possibilitam até que estudantes apliquem ao visto para o parceiro ou filhos com até 17 anos.

Consulte sempre informações oficiais

Para maior precisão, consulte sempre as informações oficiais presentes no site do governo do país que pretende viajar, ou através do Consulado ou Embaixada ainda no Brasil.

Pesquise antecipadamente sobre o mercado

Para aumentar as chances de um emprego estável com direito a visto, procure antecipadamente se informar sobre quais são os profissionais em falta no país de destino.

Geralmente áreas como TI, Engenharia, Saúde ou Comércio Exterior costumam ter grande demanda. Algumas vagas possibilitam uma extensão do visto para os familiares – em alguns casos até para pais e avós.

Morar com a família no exterior: dicas para preparar a mudança

Morar com a família no Exterior

Preparar uma mudança com toda a família vai muito além de fazer as malas. Quando um cônjuge e, principalmente, filhos estão envolvidos, os cuidados são muito maiores para evitar frustrações. Veja o que é importante providenciar.

Também já compartilhamos várias dicas sobre os melhores países para morar no exterior.

Planejar-se financeiramente

Mesmo quando há uma proposta de emprego por trás da mudança, ter uma reserva emergencial é fundamental. Enquanto ainda houver inseguranças quanto a estabilidade financeira da família, viajar com reservas capazes de sustentar a todos durante pelo menos 6 meses (sempre de acordo com o custo de vida local) é ideal.

Se quiser saber quanto custa morar fora do Brasil, veja esse artigo com as principais despesas.

Vender casa é um risco

Em muitos casos, quando se vai viajar com a família, costuma-se vender casa, carro e todos os bens adquiridos até então. No entanto, apesar de essa ser uma estratégia comum e funcionar bem para muitas pessoas, é um risco muito grande de se assumir.

E se não houver uma boa adaptação? E se o emprego não aparecer? E se suas expectativas não forem as esperadas?

É importante ser realista

Ninguém quer minar sonhos, mas é preciso ter os pés bem fixados no chão quando se está colocando o bem-estar de toda a família em jogo. Procure alugar seus bens ou deixa-los em “stand-by” até que as coisas estejam estabilizadas no exterior.

Por maior que seja sua vontade de morar com a família no exterior, você deve fazer essa mudança passo a passo e de forma racional, para garantir o bem-estar de todos.

Como encontrar escola

Dependendo do país em que vocês forem se mudar, é preciso saber até mesmo o bairro em que irão viver, para só então garantir uma escola. Geralmente a prioridade de vagas é direcionada a crianças locais, sendo a oportunidade de vagas para imigrantes secundária.

Procure escolas que apoiam crianças estrangeiras

Além da localidade, consulte também quais escolas possuem suporte a crianças que não falam o idioma local. Muitos países possuem unidades de ensino onde estão disponíveis profissionais capazes de orientar, ensinar e promover a integração com os outros alunos.

Priorize um lugar perto ou com fácil acesso à escola

Tenha sempre como prioridade encontrar um lugar para morar com a família no exterior depois de ter definido a escola ou vizinhança ideal para seus filhos. Consulte as questões de transporte público e segurança, caso eles tenham que caminhar algum trajeto até a escola.

Pedir indicações de médico (pediatra)

Mudar de país com crianças pequenas implica em muitos cuidados, principalmente com a saúde dos pequenos. Portanto, procure se informar junto a conhecidos que vivam no país de destino, a prefeitura local ou até mesmo através das redes sociais, qual a disponibilidade e qualidade dos pediatras.

Comunique a mudança ao pediatra no Brasil e leve o necessário

Caso seu filho sofra de algum problema crônico, comunique o pediatra aqui no Brasil sobre a mudança e providencie todos os medicamentos. Lembre-se de levar consigo todas as receitas médicas, exames, acessórios e aparelhos necessários.

Quando se trata de saúde, a melhor alternativa é sair daqui 100% preparado para emergências e manutenções.

Consulte a compatibilidade de alimentos

Crianças costumam ter um paladar um tanto quanto exigente. Encontrar a alimentação compatível com a que eles tinham no Brasil pode ser bastante complicado.

Antes da viagem, consulte os supermercados e farmácias no exterior que oferecem papinhas, cereais, iogurtes, bebidas ou outros produtos alimentícios que seu filho esteja bem adaptado.

Dicas para adaptação à vida no exterior com a família

Como pais, é fundamental servir como rede de suporte durante todo o período de adaptação. Apesar de muitas crianças serem capazes de perceber quando algo não vai bem, basta seguir o planejamento e garantir que elas se sintam seguras e próximas de seus laços emocionais.

Confira algumas dicas que podem amenizar o impacto nas crianças e permitir que os pais cuidem com resto com mais tranquilidade.

Morar com a família no Exterior

Morar com a família no exterior: antes da viagem

Antes de viajar, é importante começar o quanto antes a introduzir o assunto da mudança para as crianças. Envolva os pequenos com informações sobre o país de destino e as coisas que essa nova casa pode trazer de bom.

  1. Exponha a criança à cultura e ao novo idioma. Utilize filmes, livros e desenhos animados;
  2. Faça uma lista de contatos com todos os amigos mais próximos dos seus filhos. Guarde endereços de e-mail, Skype, telefone e envie a eles seu novo endereço e telefone o quanto antes;
  3. Convide a criança a escolher aquilo que gostaria de levar com ela. Incentive que ela leve objetos que estima e que lhe remetam a boas lembranças. Pode ser um ursinho de pelúcia, um jogo, uma roupa especial, etc.

Também já compartilhamos 7 dicas para quem vai morar fora do país. Confira agora.

Morar com a família no exterior: após a viagem

As dicas de adaptação começam assim que se chega no país. Especialmente quando a casa em que irão morar já estiver definida.

  • Organize o espaço da criança de uma maneira acolhedora, com os brinquedos e objetos escolhidos por ela antes da viagem. No caso dos adolescentes, deixe-os livre para cuidar da disposição dos objetos;
  • Mesmo que a chegada seja bastante conturbada e cheia de coisas para resolver, reserve um tempo para conhecer a vizinhança. Vá com a família ao supermercado, a um café, um restaurante, um parque ou mesmo um ponto turístico próximo de casa;
  • No início, procure manter a rotina com as crianças, principalmente as mais novas. Alimentem-se nos mesmos horários, com os mesmos alimentos; vistam-se da mesma forma; tenham a mesma rotina dentro da casa nova. No primeiro momento, essa constância transmite mais segurança e estabilidade;
  • Assim que possível, estabeleça contato com os amigos e familiares que ficaram no Brasil. Evitar esse contato não evita o sofrimento – pelo contrário. Mostre que, apesar da distância, as crianças não perderam o contato com as pessoas que amam. Os adolescentes devem também ter acesso mais privado à internet para conversar com os amigos;
  • Antes de começarem as aulas, façam uma visita à escola. Conversem com diretores, professores e conheçam todas as dependências;
  • Quanto tudo estiver mais estabilizado, uma boa alternativa de adaptação é matricular seus filhos em alguma atividade extracurricular, como esportes, música ou artes.

Acredito que com esse texto você ficou a entender bem quais serão algumas das dificuldades ao morar com a família para o exterior. Caso você ainda sinta muitas dúvidas, você pode pedir uma ajuda personalizada através do serviço de consultoria para morar fora, por exemplo.

E você? O que acha desse assunto? Vale a pena mudar com a família para o exterior? Quais são as maiores dificuldades?

Se morar com sua família no exterior está nos seus planos, não esqueça do seguro viagem. Para fazer a cotação do seu seguro de forma personalizada, recomendamos que você utilize o nosso comparador de seguro viagem. Ele apresenta planos das principais seguradoras do mercado e ainda garantimos os melhores preços para os nossos leitores. Confira!

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Brasileira, tem formação em Design de Games e Comunicação em Computação Gráfica. Apaixonada por tecnologia, cinema e literatura, desapegou e foi viver na Europa em 2015. De volta ao Brasil, hoje é grande entusiasta de um estilo de vida quase nômade.