Cidades que pagam para morar: 10 regiões encantadoras

Europa  / 

Você já imaginou receber uma ajuda especial – dinheiro ou moradia – para viver em outro país? Pois saiba que existem cidades que pagam para morar. É isso mesmo. Por isso, se você quer mudar para o exterior, mas não tem dinheiro suficiente para sair do Brasil, pode ser a sua chance.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Confira o nosso artigo com 10 cidades do mundo que desejam atrair residentes. Vamos ver?

Cidades que pagam para morar: 10 casos

1. Albinen, Suíça

Albinen é uma pequena cidade na Suíça, localizada no cantão de Valais, no sudoeste do país. Este povoado oferece 50 mil euros para famílias que se comprometam a morar lá.

Porém, não é todo mundo que pode se mudar para lá e receber esse prêmio. Há requisitos para ser aprovado para esse benefício:

  • Ter menos de 45 anos;
  • Ficar pelo menos dez anos em Albinen;
  • Investir em uma casa de mais de 171.500 euros.

Se você estiver interessado nessa oportunidade, saiba tudo sobre morar na Suíça.

2. Tristão da Cunha, Reino Unido

Tristão da Cunha é um arquipélago paradisíaco do Reino Unido, localizado no sul do Oceano Atlântico. Mesmo que faça parte do domínio do Reino Unido desde 1816, a ilha fica entre a América do Sul, o Oceano Atlântico e a África. Essa região tem somente 275 habitantes e é a ilha mais remota habitada do mundo.

Por isso, Tristão da Cunha está entre as cidades que pagam para morar. A prefeitura ajuda a população local com dinheiro e se propõe a pagar, também, transporte e moradia dos novos habitantes. Você pode conferir mais informações de como trabalhar em Tristão da Cunha.

Mas há muitas regras a levar em consideração. Por exemplo, é preciso falar inglês, ter uma formação acadêmica e preencher o perfil profissional para os programas que a ilha busca implantar. Em compensação, o custo de vida é baixo e o governo local cobre alguns custos para ajudar os profissionais recém-chegados a se estabelecerem.

3. Alasca, Estados Unidos

Em 1867, o território do Alasca foi adquirido pelos Estados Unidos. Mesmo sendo o maior estado norte-americano em extensão territorial, é o menos povoado: possui 0,42 hab/km².

Após a Corrida do Ouro, descobriu-se que o Alasca possui também inúmeras reservas de petróleo. Então, os moradores da região recebem dinheiro referente aos royalties da commodity. Veja aqui como receber esse benefício.

Confira algumas exigências para ter direito aos lucros:

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »
  • É preciso viver na cidade;
  • Não ficar mais de 180 dias por ano afastado;
  • Não ter sido condenado ou preso.

Anualmente, os moradores se inscrevem no site e recebem mais de 2.500 dólares por meio do Fundo Permanente, criado pelo Governo.

4. Vermont, Estados Unidos

Entre as cidades que pagam para morar, o estado de Green Mountain está pronto para oferecer aos trabalhadores remotos de fora do estado até US $ 10 mil em dois anos. Mas os novos residentes só podem conseguir uma chance se fizeram a mudança a partir de 1º de janeiro de 2019.

Cidades que pagam para morar: Vermont

O Programa Remote Worker está oferecendo inúmeros subsídios por ordem de chegada para incentivar jovens profissionais a viver e trabalhar no estado. Para quem ainda não conhece, Vermont tem a terceira idade mediana mais alta do país, com 42,7 anos. Além disso, a sua população geral permaneceu a mesma ou encolheu um pouco.

Além de ter um custo de vida relativamente barato, os novos residentes recebem US $ 5 mil por ano para despesas qualificadas. Elas podem incluir custos de realocação, software e hardware de computador, acesso de banda larga e associação a um espaço de coworking.

5. North Platte, Nebraska

A cidade de North Platte, nos Estados Unidos, criou o programa WorkNP para atrair trabalhadores mais qualificados e incentivar empresas locais a recrutar talentos fora do Estado. Por isso, está entre as cidades que pagam para morar.

O programa corresponderá aos fundos de uma empresa local, de até US$5 mil para atrair um funcionário. Os fundos podem ir para despesas de realocação, adiantamentos ou depósitos, compras de equipamentos, ajudar no reembolso de empréstimos a estudantes, certificados de treinamento especializados, entre outros.

O programa tem alguns requisitos, de acordo com a NBC Nebraska. O trabalhador deve ganhar pelo menos US$ 20 por hora, morar na cidade por três anos e seu empregador deve ser um membro da câmara de comércio da cidade.

Confira nossas dicas para morar fora do país e planeje sua mudança.

6. Saskatchewan, Canadá

Como parte do plano de reativação econômica, a província canadense de Saskatchewan ou Saskatoon, oferece cerca de 13 mil euros para quem residir e trabalhar no exterior por pelo menos 7 anos.

A cidade possui cerca de 1,164 milhão de pessoas, de acordo com dados de 2017, mas Saskatchewan tem o objetivo de atrair graduados que queiram morar na região. Por isso, concede aos estudantes um crédito fiscal de até US $ 20.000 dólares canadenses (cerca de US$15 mil dólares americanos) em seu imposto de renda por meio do Programa de Retenção de Pós-Graduação (GRP).

Para quem frequenta uma instituição de pós-graduação em Saskatchewan, os pedidos são processados automaticamente na maioria dos casos. Então, certamente entra na lista das cidades que pagam para morar.

Para se qualificar para o GRP, você deve ter se formado há não mais de sete anos em um programa pós-secundário qualificado e já mora na província ou planeja se mudar para lá. Saiba mais informações no site do programa.

7. Utrecht, Holanda

Agora, se você quiser viajar para a Holanda, saiba que quem mora em Utrecht, recebe um incentivo mensal de 840€ em dinheiro. Porém, ao contrário das outras, o dinheiro não é dado por causa do baixo número de habitantes.

Na cidade, as pessoas podem escolher se querem ou não trabalhar. Você pode entender aqui como funciona o benefício.

8. Candela, Itália

Há ótimas cidades que pagam para morar na Europa. E Candela, na Itália, é uma que adotou essa política desde 2018.

Cidades que pagam para morar: Candela

A cidade, que fica perto do mar e a menos de duas horas de Nápoles, possui área de 96 km² e 2.824 habitantes, 29 hab/km². A região comporta 8 mil pessoas e procura aumentar sua população.

“É assim que funciona: 800€ para solteiros, 1.200€ para casais, de 1.500 a 1.800€ para famílias de três membros e mais de 2.000€ para famílias de quatro a cinco pessoas”, afirma o assistente do prefeito, Stefano Bascianelli.

A prefeitura também avalia possíveis créditos tributários para eliminação de impostos, contas e mensalidades em creches.

Para ser elegível a receber o dinheiro, há alguns requisitos:

  • Os novos residentes devem morar em Candela;
  • Alugar uma casa e possuir um trabalho com um salário de, pelo menos, 7.500 euros por ano;
  • A sua cidade de origem deve ter 2 mil habitantes ou mais.

Saiba, então, se vale a pena morar na Itália.

9. Ponga, Espanha

Dificilmente você já ouviu falar sobre Ponga. Por isso, o Governo decidiu inseri-la na lista das cidades que pagam morar.

Ponga é uma cidade da Espanha com pouco mais de 850 habitantes, a maioria idosos. O governo deseja atrair famílias para repovoar o lugar, e para isso oferece até 3.000€ para casais que desejem morar e mais 3.000€ para cada filho. Porém, o benefício não inclui moradia, que fica por conta da família.

As opções de acesso facilitam a entrada de trabalhadores para obter uma vida ativa e completa. Entre os atrativos do lugar estão a costa do Golfo de Vizcaya, um destino turístico durante o verão. A única exigência seria morar por, pelo menos, cinco anos em Ponga.

Confira como é morar na Espanha, custo de vida e melhores cidades.

10. Molise, Itália

Molise, cidade paradisíaca no sul da Itália, oferece 700€ por mês, durante três anos, a quem estiver disposto a se instalar em cidades da região com menos de 2 mil habitantes.

A campanha segue os moldes do que já foi feito na região da Sicília, e para ter o benefício, o novo residente precisa se comprometer a investir em um negócio na Itália. Veja os requisitos para participar e outras informações no site da cidade.

E aí, que tal viver em uma das cidades que pagam para morar? Já pensou nessa ideia? Se você tem vontade de explorar o mundo, descubra também tudo o que precisa para viajar para a Europa: documentos, euros e planejamento.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autores

Andrea é uma jornalista curitibana que uniu a paixão pela profissão e pelas viagens e fez disso sua vida. Viajou por todos os cantos do Brasil e também se aventurou pelos Estados Unidos, África e Ásia. Ao lado do filho e do marido foi morar no Sri Lanka e no Vietnã. Desde 2018 vive na Inglaterra e divide seu tempo entre a produção de conteúdo e os passeios pelo Reino Unido.

Carolina é luso-brasileira, jornalista e especializada em Comunicação Empresarial. Desenvolve e revisa conteúdos para diversas mídias. Adora viajar o mundo, conhecer novas culturas e escrever sobre suas experiências. Tem prazer em dar dicas de restaurantes, hotéis e também em ajudar brasileiros que desejem morar em outro país.