Morar na Europa é o sonho de muita gente e, geralmente, a Itália é uma das opções mais escolhidas pelos brasileiros. A facilidade na obtenção da cidadania por ascendência italiana, bons cursos em faculdades reconhecidas mundialmente e oportunidade de trabalho para profissionais especializados são grandes atrativos para o brasileiro que quer se mudar para o país da bota. Mas será que vale a pena morar na Itália?

A qualidade de vida é consideravelmente melhor que a do Brasil, mas alguns costumes locais costumam ser chocantes para quem está acostumado com o ritmo de vida brasileiro. Neste artigo, trazemos alguns fatores que devem ser considerados ao planejar sua mudança para a Itália.

Por que vale a pena morar na Itália? Principais vantagens

Existem várias vantagens para quem decide morar na Itália. Geralmente, a mais citada é a qualidade de vida. Mas o que torna a qualidade de vida tão atrativa na Itália?

Confira a seguir os principais fatores pelos quais, vale a pena morar na Itália para brasileiros:

Sistema de saúde público

Uma das vantagens de morar na Itália é o sistema de saúde público. Diferentemente do SUS no Brasil, ele não é universalmente gratuito, e o valor das consultas com especialistas varia de acordo com o imposto de renda declarado. O Servizio Nazionale Sanitario (SSN) é regional e tem boa cobertura na maior parte do país.

Geralmente, os italianos não costumam contratar convênios privados de saúde, exceto aqueles que são oferecidos em seus locais de trabalho. Em resumo, vive-se bem na Itália sem planos de saúde e dependendo somente da saúde pública.

Segurança

Um dos principais fatores que pesam na decisão de mudar de país é a segurança. A segurança na Itália, principalmente quando comparada à do Brasil, é significativamente maior.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Para o brasileiro, a sensação de andar em locais públicos sendo visado como alvo de roubos e assaltos é quase inexistente na Itália. Logicamente, é importante estar atento aos seus pertences em locais de alta circulação de turistas e no transporte público, mas a taxa de assaltos e crimes violentos na Itália é baixa, registrando queda nos últimos anos.

Educação de qualidade

O ensino público italiano é bem conceituado e mais um dos motivos pelos quais vale a pena morar na Itália. Existem boas opções de escolas gratuitas para crianças e adolescentes.

As universidades na Itália possuem taxas anuais que costumam ser acessíveis, além de serem mundialmente famosas. A instituição de ensino superior mais antiga do mundo fica em Bolonha, e Milão é conhecida por sediar cursos da área de design, moda e arquitetura que são referências internacionais.

Gastronomia

A Itália é mundialmente conhecida por seus pratos deliciosos e sabores variados. No entanto, quem mora no país percebe claramente que a culinária italiana vai muito além da pizza e das massas tradicionais.

Em uma ida ao supermercado, nota-se a qualidade e variedade das frutas, vegetais, cogumelos e ingredientes básicos que compõem uma série de pratos que, ao serem replicados em restaurantes brasileiros, não atingem a mesma qualidade daqueles encontrados na Itália.

gastronomia vantagem de morar na Itália

Como boa parte dos ingredientes das receitas italianas são produzidos no país, é bastante comum encontrar grupos entusiastas de produtos específicos. Um exemplo é a Confraternita della Zucca, que organiza feiras onde são vendidos pratos e receitas com abóboras. Outro grupo bastante conhecido é a Confraternita del Gorgonzola, que promove o verdadeiro queijo azul italiano.

Além disso, cada região possui sua gastronomia típica: a região de Piemonte, ao norte da Itália e próxima à fronteira com a França, traz uma série de pratos com carnes exóticas como cervo e faisão; a região de Trentino, próxima à fronteira com a Áustria, é conhecida pela criação livre de vacas nas montanhas, e a manteiga produzida nas cidades da área é famosa em todo o país; a ilha da Sardenha, conhecida por suas praias paradisíacas, é uma das maiores produtoras de queijo da Itália, incluindo o famoso Pecorino Romano.

Opções acessíveis de turismo

Quem mora na Europa ou conhece alguém da região já pode ter notado que os europeus têm mais facilidade para fazer viagens ao exterior. Até para as famílias de classe média, é bastante comum planejar férias em países vizinhos com uma certa frequência.

Isso acontece porque as passagens internacionais, tanto de avião como de trem, são relativamente mais baratas que no Brasil. Além disso, a distância entre os países é curta, facilitando roteiros de turismo que envolvam várias cidades italianas e culturas diferentes.

Na Itália, isso não é diferente. Os italianos que vivem ao norte do país viajam com frequência para a Suíça, que fica a mais ou menos uma hora de carro de Milão. Também é bastante comum ver suíços fazendo suas compras mensais em supermercados italianos, já que o preço dos alimentos é relativamente mais barato que em seu país de origem.

Além disso, viajar sem sair da Itália é bastante agradável. A variedade de paisagens e meios de transporte, que incluem trens para as cidades continentais e até mesmo balsas para as regiões da Sardenha e Sicília, fazem com que o turismo pelo país seja variado e dure o ano todo.

Proximidade entre cidades

A Itália possui um grande número de cidades e, por ser um país relativamente pequeno em extensão territorial, elas são relativamente próximas entre si. É bastante comum que uma pessoa que trabalha ou estuda em Milão, por exemplo, more em uma cidade próxima. Os preços dos aluguéis de apartamentos são significativamente menores e as cidades ao Norte da Itália possuem um bom sistema de transporte público entre cidades

As cidades ao Sul também contam com essa proximidade, mas, por basearem sua economia em trabalhos sazonais como turismo e agricultura, não possuem um transporte público tão confiável para quem mora longe do local de trabalho.

Água potável direto da torneira

Ao contrário dos brasileiros, a maior parte dos italianos bebe água direto da torneira. Em cidades maiores, não é difícil encontrar restaurantes que ofereçam esse tipo de água de maneira gratuita aos seus clientes. Nas regiões montanhosas, a água que abastece as residências é ainda mais pura, sendo notável a diferença no paladar.

No entanto, é importante ficar atento: cidades com grande volume de turistas em certas épocas do ano e baixa concentração de habitantes, como as da Sardenha, costumam ter seus sistemas de distribuição de água sobrecarregados com frequência. Nesses casos, é mais seguro consumir água mineral.

Descubra 10 coisas que todo brasileiro pensa quando chega na Itália.

Ofertas de trabalho para profissionais especializados

Apesar de existirem leis trabalhistas italianas que priorizam a mão de obra italiana em detrimento da estrangeira, o mercado italiano é aberto para profissionais altamente especializados.

É o caso de Ricardo, que se mudou para a Itália pela primeira vez em 2008 para fazer um mestrado em Design. Com o vencimento de seu visto de estudos após a conclusão do curso, ele retornou ao Brasil, mas logo recebeu uma oferta de uma empresa para a qual trabalhou durante sua primeira estada no país e, desde 2016, vive e trabalha em Milão.

Existem outras profissões que também contam com mais oportunidades de contratação na Itália. Confira a lista dos profissionais mais requisitados no país.

Quando não vale a pena morar na Itália? Confira as desvantagens

Como qualquer outro local, a Itália também conta com algumas características que podem desencorajar o brasileiro em sua decisão de escolher o país como sua nova casa. Confira a seguir os motivos pelos quais não vale a pena morar na Itália ou, pelo menos, precisam ser considerados na decisão.

Burocracia

Para o brasileiro que está acostumado com sistemas online para requisitar documentos ou centrais que concentram serviços como o Poupatempo, em São Paulo, a burocracia italiana é um choque. Muitas vezes, os próprios italianos têm dificuldade em requisitar documentos e marcar atendimentos nas agências do governo.

Grande parte dos serviços são agendados por telefone ou e-mail, com pouca automatização, e formulários geralmente devem ser impressos, preenchidos manualmente e entregues nas Comunes ou agências do Poste italiano, o equivalente aos Correios.

vale a pena morar na Itália burocracia

Durante a pandemia da Covid-19, muitos serviços burocráticos foram suspensos ou atrasados, com mudanças constantes nos métodos de atendimento. A vacinação, por exemplo, sofreu atrasos devido à falta de padronização nos cadastros e pouca organização da parte do sistema de saúde. Como resultado, vários idosos com problemas de mobilidade, que não conseguiram se deslocar aos postos de saúde para obter a vacina, ainda aguardam sua primeira dose.

Enquanto isso, pessoas que se encaixavam em dois ou mais grupos prioritários foram chamadas mais de uma vez para a fila, já que não houve velocidade na atualização do registro das vacinas distribuídas.

Desvalorização do Real em relação ao Euro

O custo de vida na Itália é adequado para aqueles que ganham em Euro, com opções de aluguel e alimentação mais barata fora dos grandes centros. No entanto, quem ainda possui fonte de renda prioritária em Reais pode encontrar dificuldade para manter o estilo de vida no país.

Em Agosto de 2021, a cotação do Euro chegou a R$6,20. Além disso, a baixa oferta de empregos para mão de obra não-especializada e preferência na contratação de trabalhadores italianos em relação aos estrangeiros pode dificultar a procura por emprego para quem busca uma fonte de renda imediata.

Dificuldade em aceitar imigrantes e machismo

Apesar da Itália contar com uma forte comunidade de imigrantes em seus grandes centros, ainda existe muita xenofobia, e boa parte dos imigrantes encontram dificuldades em serem aceitos pelos italianos mais tradicionalistas.

Thiago se mudou para a Itália com sua esposa e dois filhos e, por ter sobrenome e ascendência italiana, acreditava que seria visto como um italiano ao chegar no país. Infelizmente, ele relata ter experienciado preconceito assim que tomavam conhecimento de seu primeiro nome, que é bastante incomum na Itália e já denunciava sua nacionalidade brasileira.

Durante a minha experiência morando na Itália, aprendi que quando os italianos me dizem “mas você não parece brasileira!”, eles querem me fazer um elogio. Como moro com meu namorado e usamos o inglês para nos comunicarmos, muitas vezes pensam que eu sou americana, por isso, me tratam de maneira diferente. Boa parte das mulheres brasileiras que se mudam para a Itália relatam assédios casuais enquanto andam pelas ruas desacompanhadas e recebem tratamento diferente quando revelam sua nacionalidade.

Além disso, mulheres que não são casadas e têm filhos são tratadas com preconceito pelos italianos, independentemente de sua nacionalidade. A sociedade italiana é, ainda hoje, bastante preconceituosa e ataques de xenofobia e misoginia, envolvendo ou não violência física, não são incomuns para quem mora no país. A Bruna também contou um pouco sobre a experiência de ser brasileira na Itália e conta mais sobre essas questões.

Aprender o italiano

Apesar de receber um grande volume de turistas todos os anos, são poucos os italianos que falam outras línguas. Por isso, quem se muda para a Itália deve, obrigatoriamente, aprender italiano para as tarefas mais básicas do dia a dia.

Até mesmo profissionais com contato direto com imigrantes, como policiais e funcionários do governo, falam apenas o italiano ou variações dialetais da língua oficial. Procurar emprego sem dominar o italiano é ainda mais difícil, apesar de algumas vagas priorizarem profissionais que dominam o inglês.

Horário de almoço universal

O brasileiro acostumado a resolver pequenos problemas e adiantar compras domésticas durante seu horário de almoço pode esquecer a prática ao se mudar para a Itália. Em grande parte das cidades, até mesmo nos grandes centros, é comum que o comércio feche totalmente durante o horário de almoço.

Quem quer comprar um remédio na farmácia da esquina ou tirar um xerox em uma copiadora deve se planejar com antecedência, pois lojas de rua, que não se encontram em grandes centros comerciais, praticam o horário de almoço de 12h até 14h.

Variação climática

Quem visita a Itália a turismo se fascina com as paisagens diversas e opções climáticas do país. Em dezembro, as cidades montanhosas e situadas ao norte costumam registrar grande volume de neve, enquanto as cidades ao sul são conhecidas pelas praias paradisíacas e céu aberto durante o verão.

Quem mora na Itália, no entanto, deve se preparar para grandes variações climáticas, principalmente nos últimos anos, com o aquecimento global. Em Milão, por exemplo, os termômetros costumam registrar temperaturas de 40° durante o verão, com sensações térmicas ainda mais altas devido à localização geográfica da região da Lombardia, uma planície circundada pelos Alpes Suíços com baixa circulação de ar.

variação climática como desvantagem

Os brasileiros, em sua maioria, não são expostos a essa amplitude térmica morando no Brasil. Então, quem planeja uma mudança para a Itália deve investir em roupas adequadas a todo tipo de temperatura!

Dificuldades em fazer amizades

O brasileiro é conhecido por ser um povo carinhoso, afetuoso e amigável, até mesmo com estranhos. Por isso, se mudar para a Itália é um choque para quem está acostumado com esse tratamento, já que o italiano costuma ser um povo mais fechado por natureza.

As amizades dos italianos costumam partir de comunidades formadas nas escolas, trabalho e universidades. Por isso, grande parte dos brasileiros socializa com italianos a partir dessas atividades, como é o caso de Deise, que trabalha com serviços estéticos em Bérgamo e diz não ter dificuldades para fazer amizades com suas clientes, combinando programas casuais depois do expediente e durante finais de semana.

E o saldo, qual é? Vale a pena morar na Itália?

Recapitulando, as vantagens que os brasileiros encontram ao se mudar para a Itália são:

  • Bom sistema de saúde pública;
  • Gastronomia variada;
  • Maior segurança;
  • Opções acessíveis de turismo;
  • Educação pública de qualidade;
  • Proximidade entre cidades e facilidade de transporte;
  • Água potável de qualidade na torneira;
  • Ofertas de trabalho atraentes para profissionais especializados.

Por outro lado, as principais desvantagens em morar na Itália são:

  • Grande nível de burocracia;
  • Real desvalorizado em relação ao Euro;
  • Preconceito em relação a imigrantes e machismo;
  • Obrigatoriedade de aprender o italiano;
  • Grande variação climática durante o ano;
  • Horário de almoço universal para o comércio;
  • Diferenças de socialização entre brasileiros e italianos.

Levando todos esses pontos em consideração, é justo dizer que, quando se está preparado financeiramente e psicologicamente, vale a pena morar na Itália.

Dicas para morar na Itália

Agora que você já tem todas as informações para saber se vale a pena morar na Itália é hora de tomar sua decisão.

Além das diferenças sociais e linguísticas da Itália, o brasileiro que deseja se mudar deve estar preparado para procurar um apartamento e providenciar a documentação necessária para legalizar sua presença no país. Algumas dessas tarefas podem ser feitas antes mesmo da mudança, facilitando sua transição cultural e geográfica, e podem seguir o mesmo processo de outros países da comunidade europeia.

Puer conhecer a experiência de outros brasileiros que tiraram os sonhos do papel e decidiram emigrar? O e-book O Sonho de Viver na Europa, compartilha história e dicas de quem já passou pelo processo de imigração para ajudar você a entender melhor o processo, os desafios e vantagens-.