Morar na Suíça: tudo o que você precisa saber para mudar

Morar na Suíça é um desejo de muitas pessoas que sonham com melhor qualidade de vida, segurança e querem viver em um país onde tudo funciona bem. Mas, como é de fato morar na Suíça e como nós brasileiros podemos ter chance de nos mudar para lá? Neste artigo vamos falar sobre assuntos como qualidade de vida, saúde, segurança, custo de vida, mercado de trabalho e mostrar o ponto de vista de brasileiros que vivem no país.

Como morar na Suíça? Principais possibilidades

A Suíça é considerada um dos melhores países para se viver e duas de suas cidades estão nas listas de maior qualidade de vida e bem-estar. O país é composto por 26 estados, que são chamados de Cantões, dividido entre as partes francesa, alemã e italiana. É um dos locais mais desenvolvidos do mundo e fica em pleno coração da Europa. Trabalhar e morar na Suíça é o sonho de muitos brasileiros. Mas, para isso se tornar realidade, é preciso seguir diversos passos antes e depois de chegar no país.

Como turistas, os brasileiros não precisam de visto para entrar na Suíça, contanto que sua permanência não extrapole 90 dias. Além do turismo, brasileiros também podem viajar para a Suíça para negócios, visitas, estudos, tratamentos médicos e participação em eventos e congressos. Já para morar, é preciso ter um contrato de trabalho, o que é mais fácil com a cidadania europeia, estar matriculado em alguma instituição de ensino ou investir no país. Veja como funciona cada uma dessas opções.

Com cidadania europeia

Cidadãos da União Europeia e da Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA) são autorizados a permanecer por três meses na Suíça enquanto procuram um emprego. Esse prazo pode se estender por seis meses durante uma busca de trabalho. As licenças são emitidas pelos escritórios cantonais de migração e é feita uma distinção entre estadias curtas (menos de um ano), estadias temporárias (de duração limitada) e estadias permanentes (de duração ilimitada).

Após conseguir um contrato de trabalho, o cidadão europeu recebe uma autorização de residência com validade de cinco anos e pode solicitar a cidadania após este período. Este foi o caso da brasileira Carolina Mischiatti, que mora em Lugano, parte italiana da Suíça, e possui cidadania italiana.

Sonho de Morar na Europa?

Confira nosso livro Sonho de Morar na Europa com as jornadas de vários brasileiros que vivem atualmente na Europa e conheça todos os passos para chegar no Velho Continente e realizar o seu sonho!

Fachadas antigas na Basileia

Carolina alerta que, mesmo sendo cidadã europeia, não é tão simples conseguir um emprego. “Para aceitar o seu pedido de visto de trabalho, a Suíça antes verifica se existe alguém com o perfil da vaga disponível que esteja recebendo seguro desemprego. Depois, procura nas cidades próximas, no cantão e em todo o país. Só depois abrem as vagas para os europeus.

Não tendo ninguém em toda a Europa, abrem para os países dos outros continentes. A não ser que você tenha alguma habilidade muito específica ou um histórico com a empresa que deseja te contratar”, conta Carolina.

Estudar e morar na Suíça

O nível de ensino da Suíça é um dos melhores do mundo e essa é uma das formas mais fáceis de um brasileiro emigrar para o país. O primeiro passo é ser aceito em uma instituição de ensino. Depois de escolher a escola ou universidade, precisa provar que vai ter recursos para arcar com os custos e pedir o visto de estudante.

Os estudantes brasileiros podem trabalhar por um número de horas definido por cada cantão depois do sexto mês vivendo no país. As universidades costumam ter uma página destinada a ofertas de empregos, moradia e serviço. Caso você pense em fazer doutorado, saiba que as universidades têm salários altamente competitivos para pesquisadores.

Trabalhar na Suíça

A Suíça é um dos países mais procurados em todo o mundo para trabalhar, devido à sua qualidade de vida e altas remunerações. Portanto, será um grande desafio encontrar um emprego na Suíça, mas não é impossível. Você pode já começar a procurar o emprego no Brasil ou usar os três meses que os brasileiros são autorizados a permanecer no país para buscar diretamente na Suíça.

Para se candidatar a uma vaga, você deve apresentar seu currículo junto com uma carta de motivação. Os documentos precisam ser redigidos na língua falada no cantão de sua escolha, apesar de muitas multinacionais aceitarem o inglês como língua de trabalho.

Com a proposta ou contrato de trabalho, você terá que pedir uma Autorização de Permanência, apresentando o documento. Ao ser aceita, essa autorização vai valer por cinco anos e poderá ser prorrogada por outros cinco. Passando os primeiros cinco anos, você também pode aplicar para uma Autorização de Residência permanente.

Investir no país

A cidadania por investimento na Suíça é chamada de residência por programa de investimento. O processo de candidatura é rigoroso e requer preparação para reunir todas as informações necessárias. O candidato não pode ter nenhum registro criminal e deve ter um alto nível em sua comunidade, organização, sociedade ou país.

Em alguns casos, é preciso provar a integração na sociedade suíça e fazer um curso de proficiência linguística ou exame na língua oficial do cantão que deseja viver. Cada cantão pode impor suas condições, que variam muito. Preenchendo todos os requisitos, o candidato pode obter a cidadania suíça, assim como o cônjuge e filhos menores de 18 anos de idade. A dupla cidadania é reconhecida na Suíça e não é necessário renunciar à cidadania de origem.

Os estrangeiros são bem-vindos para formar uma empresa que tem o escopo de criar empregos e oportunidades econômicas para cidadãos suíços locais, contribuindo para o desenvolvimento econômico do país. O proprietário da empresa pode obter a autorização de residência na Suíça. O cantão mais favorável para abrir uma empresa é Zug, devido à sua baixa tributação corporativa.

Para obter o passaporte suíço através do programa de cidadania por investimento, o custo poderá variar entre 1.132,500€ e 1.520€, dependendo do tipo de investimento e número de dependentes.

Qual é o custo de vida na Suíça?

O custo de vida na Suíça é um dos assuntos mais citados quando conversamos com brasileiros que vivem no país. Apesar das altas remunerações, é muito caro viver na Suíça e uma coisa acaba compensando a outra. “A Suíça é muito cara e acho que isso é uma coisa que a maioria das pessoas sabe. Então, sendo bem realista nos parâmetros, o que você paga 10 na Itália, aqui é pelo menos 20”, conta Carolina.

O brasileiro Caio César, que vive na parte francesa e alemã da Suíça, no cantão de Fribourg, em uma vila chamada Estavayer-le-Lac, também ressalta o alto custo para morar na Suíça. “A soma do meu salário e da minha esposa nos permite ter uma vida confortável. Mas, se você ganha 4 mil francos, tem filhos e aluga um lugar para morar, já fica apertado”.

erick
Foto do arquivo pessoal de Caio César, brasileiro que mora na Suíça.

Para você ter uma ideia dos custos básicos para morar na Suíça, separei alguns valores do site colaborativo Numbeo de custos com alimentação, moradia, transporte e lazer. Fizemos a conversão dos valores para real com a cotação de setembro/2020. Confira a seguir:

Restaurantes

Tipo de restaurante Média de custo em Francos Conversão para Reais
Restaurante econômico para uma pessoa 25 Fr. R$144,70
Restaurante de médio custo para 2 pessoas 100 Fr. R$578,75

Mercado

Produto Preço médio em Francos Conversão para Reais
Leite normal (1 litro) 1,57 Fr. R$9,09
Pão Branco Fresco (500g) 2,81 Fr. R$16,26
Arroz branco (1kg) 2,93 Fr. R$16,96
Ovos normais (12) 5,43 Fr. R$31,43
Queijo Regional (1kg) 22,92 Fr. R$132,65
Filetes de Frango (1kg) 25,08 Fr. R$145,15
Bife de paleta ou carne vermelha equivalente (1kg) 50,04 Fr. R$289,61
Maçãs (1kg) 3,94 Fr. R$22,80
Banana (1kg) 2,97 Fr. R$11,98
Laranjas (1kg) 3,60 Fr. R$20,84
Tomate (1kg) 4,17 Fr. R$24,13
Garrafa de Vinho 14 Fr. R$81,03
Cerveja Nacional 1,86 Fr. R$10,76

Transporte

Tipo de transporte Custo médio em Francos Conversão para Reais
Bilhete de metrô/ônibus 3,60 Fr. R$20,84
Passe mensal para transporte público 80 Fr. R$463
Taxi (1km na tarifa normal) 3,90 Fr. R$22,57
Gasolina (1 litro) 1,65 Fr. R$9,55

Serviços básicos

Tipo de serviço Custo médio em Francos Conversão para Reais
Básicos (eletricidade, aquecimento, arrefecimento, água, lixo) para um apartamento de 85m2 199,05 Fr. R$1.152
Internet (60 Mbps ou Mais, Dados Ilimitados, Cabo/ADSL) 58,82 Fr. R$340,42

Esporte e Lazer

Esporte/Lazer Custo médio em Francos Conversão para Reais
Academia (mensalidade para 1 adulto) 85,96 Fr. R$497,49
Aluguel de campo de tênis (1h no fim de semana) 35,43 Fr. R$205,05
Cinema, lançamento internacional, 1 lugar 19 Fr. R$109,96

Aluguel

Tipo de imóvel Custo médio mensal em Francos Conversão para Reais
Apartamento (1 quarto) no centro da cidade 1.522,13 Fr. R$8.809,13
Apartamento (1 quarto) fora do centro 1.164,16 Fr. R$6.737,58
Apartamento (3 quartos) no centro da cidade 2.820,50 Fr. R$16.323,66
Apartamento (3 quartos) fora do centro 2.189,66 Fr. R$12.672,67

Compra de imóvel

Tipo de imóvel Custo médio em Francos Conversão para Reais
Preço por metro quadrado para comprar apartamento no centro da cidade 11.236,66 Fr. R$65.032,24
Preço por metro quadrado para comprar apartamento fora do centro da cidade 7.636,47 Fr. R$44.196,12

Última consulta feita em setembro de 2020 no site Numbeo.

Melhores cidades para morar na Suíça

Zurique e Genebra são as cidades com mais oportunidades, mas também as mais caras para morar na Suíça. O bom é que, graças ao excelente sistema de transporte público do país, é possível residir nos subúrbios sem grandes sacrifícios.

Além destas duas cidades, Basileia e Berna são também bastante procuradas pelos estrangeiros. São localidades com oportunidades de trabalho, qualidade de vida e segurança.

Salários e mercado de trabalho na Suíça

O mercado de trabalho na Suíça tem grande demanda no setor de tecnologia da informação. Portanto, se você é um profissional de TI, tem mais chances de receber ofertas, além de ter boas condições de trabalho e os melhores salários. Os setores ligados à medicina e exportação também tiveram um aumento de vagas nos últimos anos. Há ainda uma busca por eletricistas e profissionais da área de saúde.

Diferente do Brasil, o cálculo salarial da Suíça é feito em horas. O salário mínimo foi adotado recentemente no país e a hora do trabalho suíço custa em torno de 20 Fr, o que equivale a R$ 115,75 (cotação de 04/09/2020). Para ficar mais claro, um trabalhador que preste seu serviço 8h por dia, 5 dias por semana, durante um mês, receberia 3.200 Fr.

Um dos salários mais altos do mundo

A Suíça se destaca por ter um dos salários mais altos do mundo e este é um dos fatores elogiados por brasileiros que moram por lá. Apesar do custo de vida ser bem alto, é possível viver bem no país com o salário recebido.

Alguns brasileiros ainda conseguem ajudar sua família no Brasil, como é o caso do Caio. “O valor da moeda é um ponto muito positivo, já que ela vale ainda mais que o euro. Eu sou de uma família humilde no Brasil e consigo ajudá-los e continuar tendo minha vida aqui”.

Ponte na cidade medieval de Diessenhofen

Além disso, como a Suíça está muito próxima a outros países, as pessoas conseguem usufruir do valor da moeda nas cidades vizinhas, como conta Carolina.

“Estamos a 1h40 de Milão, praticamente uma hora do aeroporto de Malpensa, 2h30 de trem de Zurique. Então, é uma posição muito boa, central, dá para viajar, pegar avião, trem, ir de carro. Vamos muito para a Itália, Lugano fica a 20 minutos da fronteira com a Itália. Portanto, tem muitas coisas que a gente vai fazer lá, muitas pessoas vão para lá para fazer compras, ir em restaurantes. O poder de compra acaba sendo muito vantajoso”.

Os salários iniciais giram em torno de 3.000 Fr mas, um professor do ensino primário, por exemplo, pode ganhar em torno de 6.981 francos, variando conforme os cantões do país. Os jornalistas ganham até 6.440 francos, pedreiros com uma boa formação e anos de experiência, podem ganhar em média 5.500 francos por mês.

Contratos de trabalho na Suíça não oferecem benefícios

Porém, Caio César conta que os contratos de trabalho são muito liberais e as empresas não são obrigadas a oferecer benefícios para seus empregados. “Muitas vezes os benefícios de trabalho não estão inclusos, como no Brasil. E eles não têm obrigação de oferecê-los. Então, você leva sua comida para o trabalho e precisa pagar seu próprio transporte, o que é um gasto a mais”.

De forma geral, os salários pagos na Suíça são muito bons e, mesmo com o alto custo de vida, as pessoas vivem bem. Antes de se mudar para morar na Suíça, é interessante calcular o valor que você vai gastar com aluguel, contas e lazer na cidade que pretende viver. O Franco Suíço, moeda oficial do país, é considerada uma das moedas mais estáveis e valorizadas do mundo. Atualmente, um franco suíço vale 0,93€ e R$ 5,79 (dados de 04/09/2020).

Impostos na Suíça

Em média, os trabalhadores da Suíça ficam com mais salário no fim do mês do que na maioria dos outros países ocidentais. Essa foi uma conclusão publicada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sobre impostos pagos em 35 países. A Suíça supera os demais países europeus da organização neste quesito.

Porém, as cargas tributárias podem variar muito em cada cantão e município. Além disso, existe um seguro de saúde obrigatório, que deve ser pago mensalmente por todos. A Suíça não oferece saúde pública gratuita e o valor do seguro saúde básico é bem salgado.

“É preciso pagar um valor mínimo e você pode colocar os opcionais que te dão um upgrade melhor em questão de hospital, atendimento, fisioterapia, medicina alternativa, de cobertura mundial e várias outras coisas. Para você ter uma ideia, o valor mínimo que pagamos aqui é cerca de 300Fr, 350 Fr”, conta Carolina.

Principais impostos ao morar na Suíça

Os três principais tipos de impostos diretos na Suíça são:

  • Impostos sobre renda e riqueza (impostos diretos);
  • Impostos de consumo (IVA, etc.);
  • Impostos sobre posse e despesas (impostos sobre veículos motorizados, cães, etc).

De acordo com Caio, o imposto de renda é o maior fardo para os contribuintes. E você leu certo no terceiro tópico, é preciso pagar impostos para pets. “Além de pagar imposto para ter um animal de estimação, até pouco tempo atrás você era obrigado a fazer curso de adestramento. Você paga porque tem que colocar uma identificação no seu animal. Eu tenho dois gatos e os dois têm. É como um chip que fica na pele do pet, que não faz mal e é obrigatório”, conta Caio.

Visto para morar na Suíça

Para ficar na Suíça por mais de 90 dias ou exercer algum trabalho remunerado durante a estadia, ainda que por menos de 90 dias, é preciso ter uma autorização de residência que é emitida pela autoridade cantonal do município, que é responsável pelos estrangeiros.

Existe um sistema dual para estrangeiros que querem trabalhar e residir na Suíça. Ou seja, eles são divididos em duas categorias:

  • Concessão de visto para cidadãos da EU e EFTA: é regulada pelo Freizügigkeitsabkommen (Acordo de Livre Circulação de Pessoas);
  • Concessão de visto para cidadãos de todos os outros países e Estados terceiros: é regulada pelo Ausländergesetz (Lei do Estrangeiro).

Vistos para cidadãos de Estados terceiros

Para os cidadãos de Estados terceiros, que é o caso dos brasileiros, as condições são mais restritivas e o acesso ao mercado de trabalho suíço mais difícil. Neste caso, é necessário ser qualificado ou especializado, ter uma profissão de interesse econômico do país ou o empregador precisa assegurar que não encontrou nenhum suíço ou cidadão europeu para a posição. Além disso, existe um sistema de cotas que limita o número de autorizações de trabalho para cidadãos de estados terceiros.

Visto de estudante

Para fins de estudo é possível solicitar o visto de estudante, contanto que esteja matriculado em uma instituição de ensino reconhecida. O visto deve ser solicitado no Consulado Suíço no Brasil antes de se mudar. Familiares dos trabalhadores estrangeiros com autorização de trabalho (cônjuges e filhos com menos de 25 anos) também podem se mudar para a Suíça.

Autorizações de residência para morar na Suíça

Conheça a seguir quais são as autorizações de residência na Suíça. Basta clicar em cima de cada item abaixo para abrir:

Permissão B (residência limitada)

A validade desta licença pode variar de 1 a 5 anos e permite que a pessoa trabalhe na Suíça. Ela é emitida com a apresentação de um contrato de trabalho de um ano ou mais, para familiares de suíços ou familiares de portadores da permissão B ou C. Para estes cidadãos, os impostos são cobrados na fonte, ou seja, deduzidos no salário.

Este é o visto de nossos dois entrevistados. Carolina é cidadã europeia e conseguiu a permissão B com o contrato de trabalho e o Caio mudou-se inicialmente com visto de turista, conseguiu prorrogar por causa de uma oportunidade de trabalho e hoje é casado com uma suíça, tendo direito à permissão B.

Permissão B para cidadãos europeus

Para cidadãos europeus, a permissão B é válida por 5 anos e poderá ser prorrogada caso todas as condições sejam respeitadas. A extensão poderá ser limitada a um ano, caso a pessoa fique desempregada por mais de 12 meses. Depois de 5 anos com a permissão B, os residentes podem solicitar a permissão C.

Para as pessoas dos países terceiros, como brasileiros, a licença precisa ser renovada anualmente e se vincula ao empregador. Normalmente, ela não é renovada caso acabe o contrato de trabalho. Além disso, é necessário que o portador viva no cantão que concedeu a permissão. Depois de 10 anos com a permissão B, brasileiros podem solicitar a permissão C.

A permissão B também pode ser emitida para alguns casos de pessoas que desejam morar na Suíça como aposentados, aqueles que querem montar seu próprio negócio, entre outros, contanto que comprovem que possuem recursos para se sustentar.

Permissão C (residência permanente)

Com esta permissão, o titular tem praticamente os mesmos direitos de um cidadão suíço, exceto o poder de voto, elegibilidade ao nível federal e serviço militar. É uma autorização de residência permanente, que não se vincula à obrigação de um contrato de trabalho.

Mas, existem algumas exigências como não viver fora da Suíça por mais de seis meses sem pedido de autorização ou não ultrapassar mais de dois anos fora, ainda que com autorização. Pessoas com permissão C deixam de ser tributadas na fonte e pagam uma espécie de imposto de renda anualmente.

Cidadãos da EU ou EFTA, Estados Unidos ou Canadá, ou ainda pessoas casadas com suíços podem requisitar a permissão C após 5 anos com a B. Aqueles de países terceiros ou cônjuges de pessoas com permissão B, precisam de 10 anos para solicitar a C.

Permissão Ci (residência com atividade remunerada)

Esta é uma autorização destinada a familiares de funcionários de organizações intergovernamentais e familiares de representantes estrangeiros. É emitida para cônjuges e filhos de até 25 anos de idade. A sua validade depende da duração da função do titular principal.

Permissão G (permissão transfronteiriça)

Destinada para pessoas que vivem em regiões que fazem fronteira com a Suíça e têm contrato de trabalho no país. Com esta permissão, é necessário retornar ao menos uma vez por semana ao local de residência.

Permissão L (residência temporária)

Esta permissão é emitida por um período preciso, normalmente inferior a um ano, para uma finalidade específica de permanência no país. Pode ser por razões de tratamentos, trabalhos com contratos curtos, estudantes de diversos cursos (inclusive de línguas), estagiários, pessoas que estão dando entrada nos documentos para casar com suíços, bailarinos e artistas.

Esta é uma autorização sujeita à cota anual de 115.500 Fr. Em alguns casos, pode ser prorrogada por até 24 meses, desde que o empregador se mantenha. A permissão L pode ser alterada para B em caso de extensão de contrato, ou para G para casos de domicílio próximo à fronteira.

Permissão N (para pessoas que pedem asilo)

Essa licença é concedida para aqueles que requerem asilo ao país. Caso o requerimento seja aprovado, a licença B é emitida para o refugiado e esta normalmente é substituída pela autorização de residência C após 5 anos.

Permissão F (para pessoas que são admitidas temporariamente)

Essa autorização é emitida para aqueles que tem o pedido de asilo rejeitado e estão à espera de repatriação ou para estrangeiros que são admitidos temporariamente na Suíça por decisão do Federal Office for Migration (FOM).

Permissão S (pessoas que necessitam de proteção)

Essa é uma petição temporária para perigo grave como guerra, violência e perseguição.

Procedimento para registro de autorização de residência

Cidadãos europeus e da EFTA devem se registrar em seu município de residência em um prazo máximo de 14 dias, que começa a contar a partir da chegada ao país. O registro deve ser feito sempre antes de começar a trabalhar.

Pessoas de outras nacionalidades precisam cumprir diferentes formalidades antes de chegarem na Suíça. Formulários devem ser preenchidos e entregues para a Embaixada ou Consulado Suíço no Brasil e o visto de entrada será emitido pelos representantes diplomáticos. Após chegar na Suíça, também é preciso fazer o registro no município de residência em até 14 dias.

Normalmente, o município transmite o processo para a autoridade cantonal que vai ser responsável pela emissão da autorização de residência. Os endereços das autoridades cantonais competentes podem ser encontrados no site da Secretaria Estadual de Migração.

Valores para solicitação de visto para morar na Suíça

As taxas para pedidos de visto nacional para a Suíça são recolhidas e regulamentadas pela Lei Federal sobre Estrangeiros (SR 142.209) e pelo Visa Code. Os valores são pagos em moeda local, de acordo com o câmbio fixado pela Suíça. A taxa é paga no momento de entrada do pedido e o valor não é reembolsável.

O valor para entrada de visto de um adulto é de R$ 484. Para crianças acima de seis anos, o custo é de R$ 242 e para menores de 6 anos o pedido é gratuito. Porém, os valores estão sujeitos à mudança de acordo com a flutuação do câmbio. Confira mais detalhes no site do Consulado Geral da Suíça.

Ruas de Zurique

Qualidade de vida ao morar na Suíça

Segundo um ranking publicado pela ONU em dezembro de 2019, apenas a Noruega é melhor do que a Suíça quando falamos de qualidade de vida. Esse índice é baseado em um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), calculado a partir de diversos indicadores como saúde, educação e emprego. Ao questionarmos nossos entrevistados sobre qualidade de vida na Suíça, vemos que o país faz jus à sua fama.

“A qualidade de vida aqui é fantástica. Moro em meio às montanhas e comecei a praticar muito hike (caminhada) pois faz parte da vida aqui. Além disso, o ar é puro, é muito difícil ter trânsito, a dois quarteirões da minha casa eu estou de frente para o lago, que é limpo e dá para nadar. Então, a qualidade de vida aqui, mesmo estando longe da minha família, com certeza compensa.

Só de pensar em voltar para São Paulo e ter medo de andar na rua, ser assaltada, da sujeira, do trânsito. Acho que eu não conseguiria mais viver desta forma. Aqui é muito seguro, nunca vi nada acontecer. Você pode andar com a bolsa aberta. É um estilo de vida diferente”, conta Carolina.

Carolina Mischiatti
Imagem do arquivo pessoal de Carolina Mischiatti, brasileira residente na Suíça

A qualidade de vida também é um dos pontos altos de morar na Suíça ressaltados por Caio:

“A qualidade de vida é muito boa. Temos muitas paisagens lindas e muita natureza. Há um crescimento de partidos políticos mais conscientes sobre o impacto ambiental. Como o gelo está derretendo nas montanhas e nos alpes, eles estão tentando salvar, porque o impacto é muito forte. Mas ainda continua sendo um lugar onde tem uma reserva natural muito bonita.

E é acessível, isso é bastante interessante. O dinheiro que eu e minha esposa gastaríamos em bares ou restaurantes, preferimos optar por conhecer uma montanha diferente, fazer caminhadas e esportes. A gente comprou um caiaque, ela comprou stand up paddle. Então, você tem acesso ao lazer. Quando está de folga, que é um problema, porque você trabalha bastante pelo custo de vida”.

O que fazer ao chegar na Suíça?

Como já falamos acima, se você vai morar na Suíça por mais de três meses, precisa se anunciar em sua comuna de domicílio em até 14 dias após sua chegada. Você deverá se dirigir ao Contrôle des Habitants/Fremdenpolizei da sua cidade, apresentar todos os documentos, anunciar sua chegada e pagar uma taxa de entrada. Para encontrar o endereço do Contrôle des Habitants/Fremdenpolizei mais próximo faça uma busca na internet a partir de seu código postal.

Também é essencial saber que, ao mudar de domicílio, é preciso informar a polícia de estrangeiros ou serviço de controle dos habitantes da sua comuna em até 14 dias após a mudança.

Faça o permis de séjour ou aufenthaltstitel

Este é o registro que já citamos acima quando falamos sobre visto, que se chama permis de séjour em francês, aufenthaltstitel em alemão, permesso di soggiorno em italiano.

Trata-se de um documento oficial que mostra as condições do seu estabelecimento na Suíça, sua duração e se você tem direito a ter familiares com você. Em determinadas cidades você consegue tirar os dados biométricos no mesmo dia. Em outras, poderá ser necessário esperar uma carta convite para cadastrar os dados.

Após fornecer todos os dados às autoridades, elas vão enviar seus documentos para as autoridades cantonais, que emitem o visto de residência, um documento parecido com um passaporte. Para o cadastro na prefeitura local, você deve levar seu passaporte, fotografia para documentos, o contrato de trabalho e comprovante de seguro de saúde.

Idiomas na Suíça

A Suíça possui quatro idiomas nacionais: francês, alemão, italiano e reto-romano.

O inglês não é uma língua oficial, mas é muito usado para ajudar na comunicação. O alemão é falado por 63% da população, o francês por 23% e o italiano por 8%. O reto-roma, ou romanche, é falado por menos de um por cento dos habitantes. O inglês é usado como um denominador comum, diminuindo as disparidades linguísticas.

Para Carolina, o idioma não foi um problema ao se mudar para o país, uma vez que ela já falava italiano e foi morar na parte italiana da Suíça. Já Caio foi para a Suíça francesa sem falar nada de francês e nos contou um pouco sobre como foi sua experiência para aprender a língua já estando no país.

Adaptação ao idioma

“Quando saí do Brasil, não falava nada de francês. Eu só sabia falar obrigada, bom dia e boa tarde ao chegar aqui. No começo, quando não estava trabalhando e tinha trazido uma reserva de dinheiro, tentei evoluir um pouco na língua em sites como Duolingo, Babbel, no Youtube e estudei bastante sozinho.

Quando comecei a trabalhar, passei a pagar uma professora particular. Foi uma experiência muito positiva, porque ela é uma pessoa ligada à natureza, tinha o marido e os filhos em casa e a gente se falava muito. Assim eu fui pegando. Ela me integrou na dinâmica deles e a gente começou a fazer trilhas, sempre falando francês. Com o tempo eu fui me integrando mesmo.

A minha esposa só fala francês. Ela é suíça e sua família também. Ela fala outras línguas como italiano, alemão e a gente também podia se falar em inglês. Mas, como tudo aqui é francês, nos falamos em francês”.

Clima na Suíça

A Suíça possui clima temperado e sua amplitude térmica costuma ser bem grande. Por exemplo, é possível que a temperatura varie entre – 3ºC e 18ºC nos meses de inverno em um mesmo dia. Outra característica marcante do clima na Suíça é que as estações do ano costumam ser muito bem definidas. Fatores como altitude, disposição das montanhas e distância do mar afetam o clima do país.

A presença de grandes massas de água dos lagos ajuda a criar diversos microclimas no interior do país. Em algumas regiões, neva bastante no inverno e nos meses de verão, a temperatura varia entre 18°C e 28°C. A temperatura média do outono e primavera fica entre 8°C e 15°C, mas as temperaturas podem variar muito de acordo com a altitude local.

Estações bem definidas

A Carolina se adaptou bem ao clima e adora o fato das estações serem bem definidas.

“Eu me adaptei bem ao clima. As estações aqui são muito definidas e eu gosto disso. Agora que é verão, é muito quente. Durante uma semana faz um calor infernal, depois fica gostoso. Durante três meses, é verão e calor, mas um clima bom. Outono é uma das melhores estações e é encantador para quem não conhece de fato o outono. No Brasil não temos o outono como aqui, com as folhas coloridas, é completamente diferente.

Recomendo para quem quiser vir conhecer a Suíça, ter a experiência de vir nessa época. Aqui em Lugano é difícil nevar, apesar de fazer muito frio. Mas todos os lugares têm aquecimento, então a gente não sofre tanto. Me adaptei muito bem ao clima, não sofro”.

Visite vinhedo em Lavaux quando morar na Suíça

Já o Caio se incomoda um pouco mais com o frio, mas também se adaptou.

“Para mim, o primeiro frio era muito novo e eu queria passar por isso. Então não foi difícil meu primeiro inverno. O segundo já foi mais, porque é muito longo o processo de chegada da primavera e do verão. Nós aproveitamos bem cada estação.

Agora no verão, por exemplo, estamos com um calor de 33°C, o que significa que o frio também vai vir forte. Mas estou preparado para isso. Esse último ano, casado com uma suíça, até dirigi na neve. O que sinto falta do Brasil é a praia, o calor, o tipo de natureza. Mas estou acostumado com o frio aqui”.

Vantagens e desvantagens de morar na Suíça

Baseada na percepção dos brasileiros que vivem no país, selecionei algumas vantagens e desvantagens de morar na Suíça. Confira a seguir.

Vantagens de morar na Suíça

O país é muito limpo e organizado, além de ter paisagens de tirar o fôlego por todo o seu território. A Suíça realmente investe em limpar as ruas, cuidar dos jardins, das praças e preservar a sua natureza. “Cada fim de semana, subo uma montanha diferente. As paisagens são lindas então, se você gosta de natureza, de aproveitar isso, aqui é o lugar certo”, ressalta Carolina.

A Suíça é multicultural e reúne pessoas de diversas nacionalidades. Além disso, sua localização é muito boa. Ele fica no coração da Europa e no máximo a três horas de voo de qualquer país do continente. “A experiência de vida de morar em um país como a Suíça é muito boa. Tem uma mistura de culturas, seja o alemão, o francês e o italiano e também as outras culturas, porque tem gente de todo lugar aqui. Eu trabalho com albanês, pessoas da América do Sul, com portugueses, francês, alemão. Para mim isso é muito positivo, é algo que vou levar para a vida. Além de fazer amizades com pessoas tão diferentes”, conta Caio.

Segurança é diferencial

A segurança é outro fator muito elogiado pelos brasileiros. Ambos dizem que nunca viram nada acontecer e que se sentem muito confortáveis para andarem na rua em qualquer horário, sem se preocupar com seus pertences.

Os altos salários também

O salário é outro fator muito elogiado pelos brasileiros que moram na Suíça. Apesar do custo de vida ser muito alto, ainda dá para viver bem com o que se ganha trabalhando no país. “Mesmo que ganhe um salário baixo inicial, você consegue ter uma qualidade de vida muito boa. Os aluguéis aqui em Lugano não são muito baratos, mas também não são absurdos para essa condição de salário”, avalia Carolina.

Desvantagens de morar na Suíça

Apesar de não ser o caso de nossos entrevistados, o clima é uma desvantagem para muitos brasileiros que vivem no país. É claro que isso vai depender da região que se vive e do clima local. Alguns relatam que fazem muitos dias sem sol, o que é um problema para nós brasileiros que estamos acostumados com bastante sol. Portanto, se for morar na Suíça, pesquise bem o clima do local.

Com certeza, o alto custo de vida é um dos fatores mais citados como desvantagem pelos brasileiros. Muitos reclamam que serviços como manicure, cabeleireiro e montador de móveis são itens de luxo na Suíça. Porém, a maioria também concorda que os salários compensam e que você consegue ter boa qualidade de vida.

Dificuldade em fazer amizade

A integração com os suíços é algo frequentemente citado como desvantagem por brasileiros que vivem no país. Segundo eles, é muito difícil fazer amigos. “É muito difícil fazer amizade. Não porque eles sejam preconceituosos, mas o jeito de ser é muito diferente do brasileiro. A gente está acostumado a conhecer as pessoas e elas já te convidarem para ir na sua casa, para fazer churrasco, para fazer coisas juntos. Aqui não é assim. Existem grupos e as pessoas convivem entre elas. Quando você conhece alguém e é apresentado a um grupo, aí as pessoas começam a te convidar para as coisas. Mas isso é muito difícil de acontecer”, conta Carolina.

Brasileiros reclamam que as coisas fecham muito cedo na Suíça. Se você esquece de comprar alguma coisa e passou das 19h, é preciso esperar até o dia seguinte. Também não é o local ideal para quem procura uma vida noturna agitada.

É difícil ir morar na Suíça?

Depois de pesquisar bastante e conversar com brasileiros que vivem na Suíça, posso dizer que apesar dos inúmeros benefícios de morar neste país incrível, não é tão fácil emigrar para lá. Para nós brasileiros, existem muitas limitações para conseguir um emprego e mesmo conseguindo, ainda temos que lutar para nos estabelecer e nos tornar cidadãos suíços.

Porém, se este é o seu sonho, você deve correr atrás. Apesar de todos os obstáculos no caminho, com certeza a qualidade de vida de morar na Suíça vale toda essa jornada.
Faça seu planejamento com calma e cautela para que tudo dê certo, boa sorte!

Seguro viagem é obrigatório para morar na Suíça

O seguro viagem é obrigatório para entrar na Suíça. O país faz parte do Tratado de Schengen. Para encontrar a melhor opção para a sua viagem, sugerimos que você pesquise em nosso comparador de seguro viagem.

Se optar por fazer a compra via nosso comparador, você ainda pode ganhar 10% de desconto, usando o cupom EURODICAS5 (que garante 5% de desconto) e escolhendo a opção de pagamento via boleto bancário (que te dá mais 5% de desconto).

Mariele é brasileira, formada em Jornalismo e especialista em Marketing Digital. Nasceu em Minas Gerais, estudou em Portugal e hoje mora em São Paulo. Suas duas grandes paixões são: viajar e escrever. Já visitou 9 países e conhece especialmente Portugal e Itália. Todos os dias aguarda ansiosamente pela próxima viagem.

Artigos relacionados

Emprego na Suíça: conheça o mercado de trabalho e oportunidades

Se você pensa em procurar emprego na Suíça, conheça o mercado de trabalho, as principais oportunidades e subsídios do governo para os trabalhadores.

Tudo sobre a Suíça: história, curiosidades, economia e mais

Confira tudo sobre a Suíça. Sua história, seus costumes, paisagens e muito mais. Conheça a moeda utilizada e algumas curiosidades sobre o país.

Clima na Suíça: conheça as características de cada estação

Frio e neve são as primeiras coisas que você lembra quando pensa no clima da Suíça? Descubra como são as estações do ano e se prepare.

Capital da Suíça: tudo o que você precisa saber sobre Berna

Quer saber mais sobre a capital da Suíça? Muitas pessoas pensam que é Zurique, mas a capital é Berna e ela reúne muitos encantos, conheça mais sobre ela.

Leis de bem estar-animal na Suíça: conheça a legislação

Visando garantir a dignidade e punir aqueles que maltratam e abandonam, as leis de bem estar animal na Suíça são um exemplo para todo o mundo.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube