Emprego na Suíça: conheça o mercado de trabalho e oportunidades

Suíça  / 

Com a taxa de desemprego em 4.5%, segundo a Organização Internacional do Trabalho, a Suíça é uma das economias mais estáveis do mundo e emprega pessoas de diferentes nacionalidades. Além da presença de Organismos Internacionais, o incentivo governamental para a abertura de novos negócios e a estabilidade política são elementos que facilitam a admissão de empresas estrangeiras na Suíça, contribuindo para o quadro de baixo desemprego no país e de grande diversidade cultural. Saiba como conseguir emprego na Suíça a seguir.

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança no N26, um banco digital que funciona em toda a Europa.


O N26 não exige comprovação de rendimentos, você só precisa estar na Europa e ter seu passaporte em mãos.

ABRIR CONTA »

Há mais vagas de emprego na Suíça do que desempregados

De acordo com estatísticas oficiais do sistema previdenciário da Suíça, por volta de 147 mil pessoas estavam desempregadas em dezembro de 2017. No final do mesmo ano, 178 mil novas vagas de emprego na Suíça foram divulgadas, superando o final de 2016 em 22 mil vagas.

De acordo com estimativas do maior site agregador de procura de empregos na Suíça (JobAgent), apenas 30% das vagas são divulgadas. Isso pode indicar que a quantidade de vagas seja, na verdade, bem maior.

Alta demanda para algumas áreas de emprego

Por conta de um enfraquecimento do franco-suíço nos últimos meses, os setores de exportação e ligados à medicina tiveram um peculiar aumento de vagas. Além disso, há também busca por eletricistas e profissionais da área da saúde.

No entanto, a grande demanda está no setor de tecnologia da informação. Um profissional que busque um emprego na Suíça e tem conhecimento na área de TI, além de receber muitas ofertas, tem também condições de receber os melhores salários.

O setor de TI está aquecido em toda a Europa, saiba também como trabalhar com TI em Portugal e na Alemanha.

Emprego na Suíça para brasileiros

Há algumas empresas brasileiras na Suíça e muitas empresas de commodities  também tem uma filial no Brasil, o que acaba criando um interessante mercado de empregos na Suíça para brasileiros. Além do setor bancário, que por ser bastante globalizado também tem negócios no Brasil e interesse em contratar brasileiros.

Brasileiros sem cidadania europeia

No entanto, para brasileiros que não têm uma segunda cidadania europeia, o país só emite visto em situações específicas, como para cargos em posições sêniores. É o caso de diretores e presidentes de empresas ou grupos empresariais, por exemplo.

O visto para trabalhar na Suíça é solicitado pela empresa e, se estiver de acordo com todos os pré-requisitos, após autorizado por todos os órgãos suíços competentes, as autoridades suíças mandam uma autorização via e-mail ao consulado suíço no Brasil, que emite o documento.

emprego na suica entrevista.jpg

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é o Remessa Online.


No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

VER COTAÇÃO »

Emprego na Suíça: vagas na ONU

Outra possibilidade muito interessante são as Organizações Internacionais. Com uma de suas principais sedes em Genebra, a ONU não só pode empregar brasileiros em qualquer cargo, como tem uma espécie de cotas para cada país, o que coloca um brasileiro em condição de igualdade com os europeus que disputam uma vaga. Mas lembre-se que a fluência no inglês é imprescindível nesse caso. Saiba aqui como aprender inglês rápido.

A ONU tem um sistema próprio para candidaturas a vagas. É preciso fazer um perfil no sistema e buscar as vagas a partir de diversos filtros. A ferramenta funciona para vagas no mundo todo, não apenas na Suíça.

Idioma na Suíça

A Suíça tem oficialmente 4 idiomas:

  • Alemão, falado por 63.5% de sua população;
  • Francês, falado por 22.5% da população;
  • Italiano, falado por 8.1% da população;
  • Reto-romano ou romanche, falado por 0.5 % oficialmente (dentro desse grupo há +5 dialetos diferentes).

Há ainda 6,6% de outros idiomas, visto que é grande o número de pessoas na Suíça cuja língua materna não é nenhuma das 4 oficiais citadas anteriormente.

Além de todas essas línguas, o inglês é também um idioma muito falado na Suíça. Principalmente em grandes cidades como Genebra e Zurique.

É necessário saber uma das línguas oficiais

Para ter um emprego na Suíça é essencial o domínio do alemão, francês ou inglês. Os idiomas oficiais da região do país são muito importantes quando a posição requer atendimento ao cliente. Já o inglês é o idioma oficial em várias empresas estrangeiras.

Por conta desse cenário, é bastante comum encontrar trilingues e poliglotas na Suíça.

Emprego na Suíça: salários

Diferente do Brasil, a lei suíça não especifica um salário mínimo. Há uma ferramenta online disponibilizada pelo órgão federal suíço responsável por estatísticas que mostra a média paga na maior parte das áreas (disponível apenas nos idiomas oficiais). No site PayScale você também consegue ter uma ideia dos salários no país, basta pesquisar.

O salário, no entanto, é acordado entre o empregador e o empregado no processo de recrutamento, muito parecido com a Suécia (veja também como trabalhar na Suécia).

Os sindicatos são fortes. Em casos de profissões cujos sindicatos sejam fracos, ou que não haja um acordo coletivo, autoridades podem emitir um contrato padrão.

Emprego na Suíça: benefícios

Em termos previdenciários, as contribuições na Suíça são divididas no que eles chamam de Pilares (que são 3). São elas: a contribuição patronal, a contribuição do empregado (ambas obrigatórias) e uma possível previdência privada, a critério do próprio empregado.

Benefício em caso de desemprego

Se a pessoa tem um emprego na Suíça e, por alguma questão, se desliga da empresa, pode receber até 80% do seu último salário, por um período que pode se estender por até dois anos.

Além disso, tem uma ajuda do Estado com a disponibilização de conselheiros que auxiliam na confecção de currículos e no preparo para entrevistas. É possível ter acesso a bons cursos gratuitos a fim de aprimorar seu currículo para o retorno ao mercado de trabalho.

Em caso de migrar ao país de origem

Outra possibilidade é a pessoa retornar ao seu país natal. Neste caso, é permitido sacar toda a contribuição previdenciária do tempo de trabalho na Suíça de uma só vez.

Ajuda de custo para criação dos filhos

Empregados na Suíça com filhos tem acesso a um programa chamado Subsídios Familiares (em tradução livre). É uma espécie de Bolsa Família. Para cada criança nascida, a família recebe um valor de, no mínimo, 200.00 francos suíços para auxílio.

Se a criança nascer na Suíça, o Estado paga CHF 2000.00 para ajudar com os custos. A família também consegue ajuda para aluguéis mais baratos subsidiados. Por esses motivos, a Suíça está na lista dos melhores países da Europa para criar filhos.

Emprego na Suíça e o custo de vida

Mas nem tudo são flores. Apesar dos altos salários, é importante estar ciente dos preços ao tomar a decisão de viver no país. Grandes empresas costumam oferecer melhores benefícios para seus empregados, mas muitas empresas não oferecem nenhum benefício. Não há ajuda com saúde, transporte e alimentação.

Então, além desses gastos, ainda há uma série de seguros e impostos que devem ser considerados. Muitas vezes esses valores estão atrelados ao salário em si.

Projeto Papyrus

Um projeto lançado em Genebra no ano de 2017 nomeado Opération Papyrus surgiu como uma oportunidade de legalizar muitos imigrantes que podem provar que vivem no Cantão de Genebra há pelo menos 10 anos. Essa é a melhor oportunidade para alguns brasileiros encontrarem melhores empregos na Suíça.

A maior preocupação dos imigrantes quando o projeto foi lançado, em março de 2017, foi com a possibilidade de pessoas aplicarem com documentação incompleta ou equivocada. Isso poderia gerar um efeito inverso e denunciá-las ao governo para que recebessem uma carta convite para deixar o país.

Parece bastante burocrático arrumar emprego na Suíça. Caso se interesse por pesquisar vagas de emprego em outros países pela Europa, já falamos de alguns deles por aqui. Você pode conferi-los abaixo:

Seguro para entrar na Suíça

Se você vai para a Suíça, seja para morar ou visitar, saiba que o seguro viagem é obrigatório. Para contratar um seguro viagem ideal para o seu próximo destino você pode utilizar o nosso comparador de seguro viagem. Em parceria com o portal Seguros Promo, garantimos os menores preços aos nossos leitores em planos completos das principais seguradoras do mercado. Faça a cotação e aproveite!

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Ana Luzia é brasileira. Nascida em São Paulo, cursou Comércio Exterior e trabalha na área financeira. Apesar de amar curtir uma praia e pular carnaval, trocou o país tropical por Genebra, onde vive desde 2015. Apaixonada por artes e culturas diversas, divide seu tempo entre trabalho, aulas de francês e vida social. Sempre em busca de auto-conhecimento, gosta de escrever sobre suas experiências.