Tudo sobre a Suíça: história, curiosidades, economia e mais

Suíça  / 

Conheça tudo sobre a Suíça, esse pequeno país no mapa repleto de curiosidades e atrações que vão te fazer inclui-lo na lista de países se você pensa em morar na Europa.

Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil.


Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem. Faça uma cotação online sem compromissos e confira as várias opções de seguro para a sua viagem.

FAZER COTAÇÃO »

Conhecida por produzir os melhores chocolates e queijos do mundo e por ser o paraíso dos milionários, graças aos bancos seguros e discretíssimos, a Suíça possui um sistema político bem diferente de outros países europeus. Além, é claro, de paisagens belíssimas que variam de estação para estação.

Saiba tudo sobre a Suíça

Oficialmente chamado de Confederação Suíça, o país fica na Europa Central e tem área total de 41.285 km², sendo a superfície produtiva (aglomerados urbanos e áreas agrícolas sem águas, montanhas e áreas improdutivas) de 30.753 km².

Faz fronteira com a França a Oeste, a Alemanha ao Norte, a Áustria e Liechtenstein a Leste e Itália ao Sul. Não tem saída para o mar e 1.520 km² de seu território é coberto por água.

Pode-se dividir o país em três regiões geográficas principais:

  • Alpes Suíços: cadeia montanhosa que atravessa desde o Sul da Europa até a Europa Central. Cobre dois terços da área total do país;
  • Planalto Suíço: chamado de plateau, ocupa um terço da área total e vai desde o lago Leman, na fronteira francesa, atravessa o Centro e termina no Lago de Constança, na fronteira com Alemanha e Áustria;
  • Jura: do Lago Leman até o rio Reno, no Norte, essa região ocupa uma décima parte da área total da Suíça e é composta por uma linha de rocha calcária.

A população total é de oito milhões de pessoas, com densidade populacional de 193 habitantes por quilômetro quadrado da superfície produtiva. A distribuição populacional não é feita por igual, já que os Alpes ocupam a maior parte do território, mas por lá vive apenas 10% da população. Cerca de dois terços dos habitantes vivem no Planalto Suíço.

Capital, moeda e idioma

A capital da Suíça é a cidade de Berna e o país é uma república federal composta por 26 estados, chamados de cantões. Zurique é uma das principais cidades do país e também uma das melhores cidades para viver na Europa.

O sistema político é considerado uma democracia direta. Os cantões e municípios têm forte autonomia e os cidadãos têm participação direta na tomada de decisões.

A Suíça não integra a União Europeia, mas mantém acordos de livre comércio com o bloco. A moeda local é o franco suíço e uma unidade equivale a mais ou menos R$ 4,11.

Na falta de um, o país possui quatro idiomas oficiais: alemão, francês, italiano e romanche.

Bandeira da Suíça

Ao olhar rapidamente você pode confundir a bandeira da Suíça com um sinal semelhante ao adotado em hospitais e ambulâncias. Isso porque se trata de um fundo vermelho com uma cruz grega branca grossa e equilátera. A bandeira foi instituída pela Constituição Suíça de 1848. O símbolo apareceu pela primeira vez como emblema do cantão de Schwytz, um dos cantões fundadores da Confederação Suíça, em 1291.

A cruz representa a liberdade que o império concedia aos habitantes daquela região política.

Uma curiosidade: a bandeira da Cruz Vermelha Internacional é o oposto da bandeira da Suíça – ou seja, cruz vermelha em fundo branco. Isso se deve ao fato do seu criador, o general Guillaume-Henri Dufor, ter sido um militar suíço e co-fundador do movimento humanitário.

Bandeira da Suíça

Economia da Suíça

A Suíça é um dos países mais ricos do mundo e tem no terceiro setor sua principal fonte de recursos. A economia é de mercado e bastante próspera, com um PIB (Produto Interno Bruto) per capita maior que as grandes economias da Europa Ocidental.

Sua base é o trabalho altamente qualificado de uma mão de obra bem formada, tendo destaque os ramos da microtecnologia, alta tecnologia, biotecnologia, indústria farmacêutica e serviços bancários e de seguros.

A Suíça é a primeira praça financeira para gestão de fortunas e o porto seguro dos investidores, devido ao sigilo bancário vigente no país e o histórico de estabilidade do franco suíço.

As pequenas e médias empresas representam um papel importantíssimo para a economia local. Outros setores econômicos são o turismo e a produção agrícola e pecuária (que empregam menos de 10% da população ativa).

Saiba como conseguir emprego na Suíça.

Principais pontos turísticos da Suíça

A Suíça é exemplo nos quesitos economia, desenvolvimento e democracia, mas também dá um show quando se fala de pontos turísticos. Veja quais são os principais:

  • Monte Jungfrau: com 4.158 metros de altitude, que abriga a estação de trem mais alta da Europa e está sempre coberto de neve – de tirar o fôlego;
  • Chapel Bridge: uma ponte de madeira em Lucerna erguida em 1365. Na ponta sul fica a Wasserturm, a Torre da Água, e no alto das traves de madeira estão 112 pinturas do século XVII;
  • Zermatt: a montanha mais famosa do mundo, situada no pé de Matterhorn. Um fato interessante é que os carros são proibidos nessa zona turística.;
  • Lago Lucerna: considerado porta de entrada para a parte central do país e cuja atmosfera ao redor mistura modernidade, boémia, tradição e arte;
  • Centro Histórico de Berna: tombado Patrimônio da Humanidade pela Unesco e com suas características históricas detalhadamente preservadas;
  • Zurique e seus mais de 50 museus e mais de 100 galerias de arte, além da agitada vida noturna típica de uma metrópole;
  • Cataratas do Reno: a maior cachoeira da Europa, localizada entre os cantões de Schaffhausen e Zurique.

Tire suas dúvidas sobre como morar na Suíça.

Breve história da Suíça

Os Helvécios habitavam a região Centro-Norte da Europa em 500 a.C. Quando decidiram ir para o Sul, em 58 a.C., foram dominados pelo Exército Romano sob o comando de Júlio Cesar e seu território permaneceu sob o controle romano até 400 d.C. Algumas das principais cidades suíças datam do período de ocupação romana, como Genebra, Zurique, Basileia, Lausanne e Martigny.

Depois da queda do Império Romano o território foi invadido por tribos germânicas, como os Burgúndios e Lombardos. Somente em 1º de Agosto de 1291, quando os cantões Uri, Schwyz e Unterwalden se uniram e realizaram a Confederação Helvética, que a unidade nacional da Suíça foi formada.

A partir de 1332, a confederação começou a crescer e acolher novos membros. O cantão de Lucerna aderiu à união nesse mesmo ano, enquanto Zug aderiu em 1352 e Zurique, Berna e Glarona em 1353, criando a confederação de oito Estados-membros.

Primeiras dificuldades

As dificuldades começaram por volta de 1414, quando os habitantes de Valais, vendo o aumento da influência dos Lordes de Raron na região, passaram a se rebelar e se defender. Pequenas guerras ocorreram em torno da confederação contra os Borguinhões, ao mesmo tempo que a Suíça abocanhava novos territórios. Chegou o momento de aumentar a confederação, mas Uri, Schwyz, Unterwalden, Zug e Glarona eram contra.

Ainda assim, em 1477, um acordo acalmou os ânimos e permitiu a entrada dos cantões de Friburgo, Soleura e Grisões, criando a confederação dos 13 estados-membros.

A Guerra dos Suabos de 1494, o último grande conflito militar entre a Antiga Confederação Helvética e a Casa de Habsburgo, trouxe mais membros para o país em crescimento.

República Helvética

Em 1761, finalmente foi criada a Sociedade Helvética em Zurique, que se reunia todos os anos no Cantão de Argóvia para discutir a história e o futuro da Confederação. A corrupção cometida pelas famílias ricas levou a uma série de revoltas entre os séculos XVII e XVIII e a Revolução Francesa de 1789 mostrou aos suíços que era possível mudar a confederação.

Após a Tomada da Bastilha, os suíços começaram a questionar o sistema político em vigor e poucos anos depois ocorreu a Revolução de Genebra em 1792, que levou à criação de uma nova Constituição em 1794.

Em 12 de Abril de 1798, cerca de 120 representantes dos cantões de Argóvia, Basileia, Berna, Friburgo, Vaud, Lucerna, Schaffhausen, Solothurn e Zurique proclamaram a República Helvética, cuja constituição lembrava muito a constituição francesa. Napoleão ordenou que a nova república fosse invadida e desarmada, mas após sua derrota na Batalha de Waterloo a Suíça voltou ao sistema federal. O século XIX foi marcado para a progressão para a democracia moderna.

Um fato que ajudou muito no desenvolvimento da Suíça e preservação de sua identidade nacional foi ter evitado envolver-se em conflitos ao longo da história. Desde 1815 o país não participou de nenhuma guerra e nem mesmo demonstrou apoio durante a Segunda Guerra Mundial. Sua posição geográfica, isolada por montanhas, facilitou a neutralidade.

Lago de Genebra

Confira nossas dicas para morar fora do Brasil.

Curiosidades sobre a Suíça

Algumas leis da Suíça são bastante controversas, principalmente para quem vive em países conservadores. O porte de armas é permitido e, embora isso não seja exatamente uma novidade, você vai ficar surpreso em saber que o consumo de drogas injetáveis (como heroína) é permitido em prédios públicos sob o cuidado de médicos e enfermeiros. Isso faz parte de uma política não agressiva para tirar as pessoas da rua e que trata a questão das drogas como saúde pública.

Outro fato que levanta discussões é o suicídio assistido. A eutanásia, permitida no país desde 1942, fez com que mais de mil estrangeiros migrassem para o país em 2015 para usufruir desse direito.

Os suíços são conhecidos pelas leis que protegem os animais. Entre elas, está a de adotar porquinhos-da-índia, papagaios, cacatuas e periquitos em pares, pois são animais muito sociáveis, e atordoar as lagostas e crustáceos antes do cozimento.

E sabe quanto o país chega a produzir de chocolate, um dos seus carros-chefes? 180 mil toneladas por ano.

Se você ficou curioso sobre o país do chocolate, saiba que o seguro viagem é obrigatório para entrar em seu território. Utilize o nosso comparador de seguro viagem e veja quais são os planos mais adequados ao seu destino com o melhor preço do mercado. Basta inserir os seus dados pessoais e de viagem e confira os planos de seguradoras renomadas no mercado, além de um desconto exclusivo para pagar menos no seu seguro.

Em destaque no Euro Dicas
  • Sabia que é obrigatório ter Seguro de Viagem para entrar na Europa?

    Seja para morar ou visitar, a imigração pode exigir esse documento no país destino. Se você não tiver, será obrigado a voltar ao Brasil. Em parceria com a Seguros Promo garantimos aos nossos leitores o melhor preço de seguro de viagem.

    COTAR SEGURO »
  • Precisa enviar dinheiro para outro país?

    A nossa plataforma preferida é o Remessa Online. No Remessa Online você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com segurança.

    VER COTAÇÃO »
  • Pensando em morar em Portugal?

    Escrevemos um guia com todos os passos necessários para organizar a sua saída do Brasil com rapidez, segurança e sem complicações. Receba grátis o índice e primeiras páginas.

    RECEBER AMOSTRA »
COMPARTILHE
Autor

Clara é natural do interior de São Paulo e tem muito orgulho do sotaque caipira. Jornalista que adora gatos, tatuagens e livros, vê o mundo de cabeça para baixo e tem como vícios memes da internet e soltar piadas inesperadas no meio de uma conversa.