Dinamarca

Como morar na Dinamarca: passo a passo para viver no país

Muitas pessoas sonham em viver em dos países mais desenvolvidos e felizes do mundo. Seu pequeno território não economiza em paisagens deslumbrantes, castelos e palácios históricos, além de uma cultura nórdica incrível, que fascina especialmente por ser o berço dos Vikings. Ficou curioso e quer saber então como morar na Dinamarca?

Precisa abrir uma conta bancária na Europa?

Você pode abrir a sua conta bancária grátis em 5 minutos e com toda a segurança na TransferWise, que funciona em toda a Europa.


A TransferWise não exige comprovação de rendimentos, você só precisa ter um endereço na Europa.

ABRIR CONTA »

Neste artigo, trazemos um panorama de tudo o que você precisa saber, com informações práticas sobre vistos e documentação, custo de vida, trabalho, estudo, principais cidades e muito mais. Siga nesta leitura e descubra!

Como morar na Dinamarca: 5 melhores cidades para viver

Com 5,8 milhões de habitantes, este país ao norte da Europa é hoje o segundo mais feliz do mundo, tendo apenas a Finlândia à frente. É o que afirma o ranking World Happiness Report 2019, que se baseou em dados da consultoria Gallup e da Organização das Nações Unidas (ONU). Confira a matéria completa.

Várias cidades oferecem, portanto, um nível bastante elevado de serviços e qualidade de vida para seus habitantes, bem como oportunidades de trabalho, lazer, segurança. Ao planejar como morar na Dinamarca, um dos passos mais importantes é pesquisar prováveis locais para fixar residência.

1. Copenhague

A capital do país é também a maior cidade da Dinamarca, com grande relevância cultural, econômica e turística. Copenhague possui aproximadamente 600 mil habitantes e é conhecida pela diversidade e liberdade civil, recebendo imigrantes vindos de países como Paquistão, Polônia, Marrocos, Noruega, Suécia, Itália, Alemanha.

A paisagem é moderna e inconfundível, com suas casas coloridas, milhares de bicicletas nas ruas e muita organização. Contudo, tanta qualidade de vida se reflete no custo de vida mais elevado no país e na dificuldade de encontrar moradia. Ao se informar sobre como morar na Dinamarca e em sua capital, é preciso considerar este ponto.

Viver na Dinamarca

2. Aarhus

É a segunda maior cidade do país e concentra muitos brasileiros, da mesma forma que Copenhague. Possui um custo de vida igualmente alto, mas também oferece boas oportunidades de negócios, formação acadêmica e empregos. É conhecida por sua infraestrutura portuária, um setor hospitalar relevante e um polo universitário importante, além do setor de energia alavancando o crescimento econômico da cidade.

3. Odense

Já Odense tem aparecido nas pesquisas sobre como morar na Dinamarca, chamando a atenção por ter um custo de vida um pouco mais reduzido que as grandes cidades. Entre seus atrativos, está a proximidade com a fronteira da Alemanha – o que garante lindíssimas paisagens naturais -, atrai turistas por ser a terra natal do escritor H. C. Andersen e boa receptividade aos estrangeiros.

Vale checar as oportunidades de estudos nas universidades locais e no polo tecnológico que reúne startups e empresas de comunicação, robótica e outras promessas de negócios.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a TransferWise.


Na TransferWise você vai economizar até 8x nas suas transferências e, se precisar de algum suporte, o apoio ao cliente é em português. Crie a sua conta grátis e envie dinheiro com toda segurança.

VER COTAÇÃO »

4. Aalborg

Bem ao norte do país, conserva o charme e a história de ter ido um dos principais pontos de comércio e cultura na Era Viking. Sua posição geográfica era e continua a ser estratégica, na cidade que reserva um grande comércio de pescado – especialmente o arenque -, bebidas e tabaco.

Também é a escolha de muitos jovens que procuram as universidades locais, que aproveitam o custo de vida um pouco menor e a excelente estrutura de transportes. Aliás, segundo o Numbeo, a cidade chega a ser mais cara que a capital. E uma curiosidade: Aalborg é a sede do maior carnaval de toda a Escandinávia e, por isso, fica repleta no mês de maio!

5. Herning

O design e a moda dinamarqueses são um verdadeiro patrimônio do país. É o que atrai muita gente que pesquisa sobre como morar na Dinamarca. Esta cidade pode ser um destino interessante por quem é dessas áreas, com escolas onde é possível aperfeiçoar sua formação e chances de trabalho nas empresas que ficam nas cidades vizinhas Ikast-Brande e Vejle.

Não tem a mesma infraestrutura urbana e se transportes que as outras cidades acima, mas ainda assim é um destino que atrai muitos moradores e visitantes. Aqui no Euro Dicas você encontra um artigo com tudo sobre a Dinamarca, para complementar sua leitura.

Custo de vida na Dinamarca

O site Numbeo posiciona a Dinamarca como o quinto país com maior custo de vida no mundo e o que tem maior qualidade de vida, em 2019. O preço a se pagar para usufruir de tantos benefícios é evidente, com altos impostos.

Mas vale destacar que o padrão de vida depende de diversos fatores, como estilo de vida, nível de consumo e outros itens que influenciam no orçamento mensal.

A seguir, listamos algumas das principais despesas para quem busca informações de quanto custa e como morar na Dinamarca.

Preço médio de aluguel

O problema de encontrar moradia é bem conhecido por quem está em busca de como morar na Dinamarca. Há uma grande concorrência entre quem procura e, normalmente, é necessário pagar uma caução para alugar um espaço (a caução pode variar entre 1 e 3 aluguéis). Os custos com moradia são mais elevados nestas três cidades: Aalborg, Copenhagen e Arhus, nesta ordem. Veja os preços médios:

Tipo de apartamento/localização Preço
Apartamento de 1 quarto no subúrbio ou em um vilarejo R$2.900
Apartamento de 1 quarto no centro da cidade R$3.813
Apartamento de 3 quartos no subúrbio ou em um vilarejo R$5.505
Apartamento de 3 quartos no centro da cidade R$7.263

*Convertemos os valores para reais em 27 de Dezembro de 2019.

Quanto custa e como morar Dinamarca comprando um imóvel

Os imóveis em Copenhagen e nas grandes também não são baratos para comprar. Contudo, podem ser uma boa opção para quem pode financiar ou se já tem o dinheiro para negociar e adquirir uma casa ou apartamento. Os valores oscilam de acordo com a localização. Veja a média do metro quadrado:

Tipo de casa Preço por metro quadrado
Comprar casa no subúrbio R$15.666
Casa no centro da cidade R$21.110

Fonte: Precios Mundi, com valores já convertidos em reais em dezembro de 2019.

Despesas da casa

Assim como aluguel, a moradia tem outros custos agregados. Na pesquisa sobre como morar na Dinamarca, um item importante a se calcular é o valor dos serviços básicos.

Despesas mensais da casa Valor mensal
Eletricidade, gás, água e lixo em um imóvel de 85 metros quadrados R$786
Internet com 60MPBS de velocidade (mensal) R$173

Alimentação

O cálculo de como morar na Dinamarca deve incluir, evidentemente, as despesas de alimentação. Em um supermercado, os produtos básicos ficam nesta faixa de preço:

Alimentos Preço médio
Água (garrafa de 1,5 litro) R$5,63
Tomates (1 quilo) R$13
Peito de frango (1 quilo) R$37
Cerveja nacional (500 ml) R$7,44
Maçãs (1 quilo) R$11,38
Leite (1 litro) R$5,20
Arroz (1 quilo) R$8,35

Lazer

Lazer/alimentação na rua Preço médio
Cappuccino R$22,04
Academia de ginástica (mensalidade) R$145
Ingresso de cinema R$62
Refeição em restaurante barato R$72
Almoço para duas pessoas no restaurante, com dois pratos principais e sobremesa R$314

Morar na Dinamarca

Transporte público e gasolina

Tipo de transporte Preço médio
Bilhete unitário em transporte público R$14
Passe de transporte público mensal R$242
Gasolina (1 litro) R$6,54
Taxi (tarifa ao km na bandeira 1) R$9
Carro Volkswagen Golf 1.4 de 90 kW (ou um carro novo equivalente) R$151.248

Precisa de visto?

Ele é obrigatório e cada vez mais difícil de conseguir. No planejamento de como morar na Dinamarca, é fundamental entender a necessidade do visto de residência. E, mesmo quem obtém um, geralmente só ganha uma permissão temporária que precisa de renovação periódica.

É preciso de 8 a 10 anos, em média, para que um visto permanente ou cidadania sejam concedidos – e há muitos requisitos para serem cumpridos.

Estas são as modalidades mais comuns de vistos disponíveis para aplicação. Cada um deles requer um processo e uma documentação específica:

  • Estudante;
  • Trabalho;
  • Au Pair;
  • Trabalho voluntário;
  • Trabalho religioso;
  • Trabalho nas férias;
  • Para estágio;
  • Para familiares.

Quanto custa?

O visto para morar na Dinamarca vai depender do seu período de estadia no país. De acordo com o Portal VSF Global, empresa terceirizada para emitir vistos na Dinamarca, os valores são:

  • Short Stay Schengen Visa: 60 euros (R$283);
  • Long Stay Family Reunification: 209 euros (R$983).

A esses valores, são acrescidos uma taxa de 17 euros (R$80,23) por visto emitido. Os vistos devem ser solicitados através do site VSF Global e são emitidos pelo consulado da Dinamarca.

Quem tem cidadania europeia precisa de visto?

Quem é cidadão de um dos países-membros da União Europeia tem permissão de ficar na Dinamarca por até 3 meses. Este período pode se prolongar até por 6 meses, caso a pessoa tenha um certificado de registro. Este documento é concedido para quem:

  • É trabalhador remunerado na Dinamarca;
  • Autônomo que deseja estabelecer um negócio no país;
  • Estudante devidamente matriculado em instituição de ensino dinamarquesa;
  • Quem é casado(a) com alguém que possua visto e residência legal na Dinamarca;
  • Há, ainda, a possibilidade de concessão desta permissão a quem comprova recursos suficientes para se manter sem precisar de ajuda do governo para seu sustento e moradia.

Descubra que tem direito e como obter a cidadania europeia.

Como funciona a saúde na Dinamarca

Outro item dos preparativos sobre como morar na Dinamarca é se informar quanto ao dia a dia da saúde no país. Os serviços são públicos e gratuitos para todos os cidadãos que vivam legalmente no país. Quem vai ficar menos de 3 meses na Dinamarca precisa fazer um seguro saúde para garantir atendimento em caso de necessidade.

Precisa de seguro viagem para entrar no país?

Sim. A Dinamarca é um dos países integrantes do Tratado de Schengen, acordo que facilita o trânsito de mercadorias, cidadãos e turistas entre 26 países europeus. Portanto, para entrar no país, mesmo como turista, é obrigatório ter o seguro viagem para Dinamarca com cobertura mínima de 30 mil euros.

O documento pode ser exigido na imigração e, caso você não o apresente, poderá ter a entrada impedida. É um risco que, definitivamente, não vale a pena correr. Se você ainda não tem o seu, utilize o nosso comparador de seguro viagem para cotar o seu. Em parceria com o Seguros Promo, garantimos o melhor preço aos nossos leitores.

como morar na dinamarca transporte

Trabalhar na Dinamarca

Outra informação central sobre como morar na Dinamarca é relacionada ao emprego. Para morar no país, como você já viu, é preciso garantir uma renda mensal elevada, suficiente para arcar com as principais despesas. Uma boa notícia é que a taxa de emprego é alta. Cerca de 74% das pessoas com idades entre 15 a 64 anos têm emprego remunerado no país, acima da média dos países mais ricos do mundo.

Como conseguir emprego no país?

O ideal, sem dúvida, é já chegar na Dinamarca com algum emprego garantido. Inglês fluente e falar um pouco de dinamarquês são exigências fundamentais para entrar no mercado de trabalho. É preciso ter um bom nível de estudo e preparação. Vale a pena incluir na sua investigação sobre como morar na Dinamarca, ainda, se a sua área profissional está bem cotada no país e o que está sendo exigido nos currículos.

Uma boa maneira de encontrar estas informações e realizar sua candidatura é nos sites de busca de emprego da Dinamarca. Selecionamos os principais para você:

Média dos salários no país

A média dos salários fica entre R$8.100 e R$12.400, já descontados as taxas e impostos, segundo o Precius Mundi. A remuneração pela hora de trabalho costuma ser de R$72 reais. Vale lembrar que não há um salário mínimo instituído legalmente na Dinamarca. O que cada pessoa ou categoria profissional recebe varia de acordo com a cidade, o porte da empresa, a qualificação do trabalhador e a posição que ele ocupa.

Uma informação importante é que a moeda local continua a ser a Coroa Dinamarquesa (DKK). Um euro vale DKK 7,47 atualmente (dezembro de 2019).

Estudar na Dinamarca

As escolas na Dinamarca, assim como os serviços de saúde, são públicas e gratuitas. No caso do ensino universitário, uma boa notícia é que várias instituições disponibilizam oportunidades para estrangeiros. Vale a pena acessar o site oficial de cada uma (praticamente todos possuem versão em inglês) para conhecer a documentação exigida e os critérios de seleção para cada programa.

Principais universidades

1. Universidade de Copenhague

Fundada em 1479 (isso mesmo), é a maior e a mais antiga universidade do país. Possui seis faculdades, mais de 200 programas nos níveis de graduação e pós-graduação. Geralmente, oferece bolsas para mestrado e doutorado, com foco em áreas como Agricultura, Biotecnologia e Tecnologia dos Alimentos. Confira a página oficial da Universidade de Copenhage.

2. Universidade de Aarhus

Fundada em 1928, é a segunda maior da Dinamarca. Entre os principais programas de bolsas oferecidos pela instituição, o destaque é o Future Cropping – Danish Innovation Scholarships, que procura estimular a inovação em Ciência e Tecnologia. São bolsas do governo para alunos com excelente desempenho acadêmico. Veja outras informações no site oficial da Universidade de Aarhus.

Se tem vontade de estudar na Dinamarca, conheça a Copenhagen Business School.

Como morar na Dinamarca e estudar com bolsa

Além do Future Cropping que comentamos acima, o governo dinamarquês oferece auxílios como o Statens Uddannelsesstøtte (SU). Ele é concedido a estudante de graduação, mestrado ou doutorado. Como as vagas na Dinamarca não estão entre as mais procuradas da Europa, a concorrência é menor, então aumentam as chances de quem está em busca de como morar na Dinamarca por esta via.

Os brasileiros sem cidadania europeia nem residência na Dinamarca podem concorrer a bolsas de estudo, principalmente alunos  de mestrado e doutorado que desejem estudar um período no país, desenvolvendo um projeto dentro de sua área de formação. A maioria é voltada às áreas de design, arquitetura e meio ambiente, muito fortes no país.

Alunos que têm notas altas que se inscreveram em um curso de ensino superior na Dinamarca e que não são dessas áreas podem concorrer às bolsas Danish Government Scholarships, oferecidas pelo governo dinamarquês. Neste artigo, há uma lista que detalha estas e outras bolsas e incentivos para quem quer estudar na Dinamarca de graça.

Quem sabe este não seja o passo que faltava para você morar, pelo menos uma temporada, neste país incrível?

Não deixe de dar uma olhadinha neste post com as principais curiosidades da Dinamarca, para conhecer ainda melhor este país, que pode ser próximo destino de viagem.

Vantagens de morar na Dinamarca

Além disso tudo, possui uma excelente qualidade de vida, pessoas muito educadas, uma arquitetura maravilhosa e sistemas que funcionam (saúde, educação, transportes…).

Agora que você já sabe o básico sobre como morar na Dinamarca já pode começar a se programar. Veja quanto custa a sua passagem para a Dinamarca no portal Kayak e economize ao comparar os preços das principais companhias aéreas.

Este artigo pode conter links comissionados para serviços e produtos de parceiros do Euro Dicas.
Compartilhe

Luciana Andrade

Luciana Andrade é jornalista, doutora em história, cursa especialização em marketing digital e não cansa de aprender coisas novas. À frente da Flows Conteúdo & Comunicação, escreve para diversos sites e clientes corporativos. Já morou em cinco cidades - no Brasil e na França - e está sempre planejando a próxima viagem.

Julia Discacciati

Julia é brasileira, formada em Turismo e mora em Portugal há 6 anos. Tirou o mestrado em Empreendedorismo na Universidade da Beira Interior e atualmente está terminando o doutorado em Gestão. Apaixonada por viagens, baladas e por fazer novas amizades, gosta de usar o tempo livre para conhecer novos países e culturas.

Artigos Relacionados

Fechar