Comissário de bordo: conheça a carreira e como começar

Reconhecido pelo glamour, pela realização pessoal e, claro, por um atrativo retorno financeiro, o trabalho de comissário de bordo é o sonho de muitas pessoas. Agora imagine se existisse a oportunidade de viver essa conquista enquanto trabalha e viaja pela Europa? Para algumas pessoas, isso pode ser possível. Descubra se você cumpre os requisitos e como se candidatar para ser comissário de bordo na Europa.

O que é um comissário de bordo?

Muito além do sorriso e atendimento aos passageiros, um comissário de bordo é elemento importante para a segurança da aeronave, bem como de todos os que estejam dentro dela. Basicamente, as funções de um comissário incluem garantir segurança, conforto e tranquilidade tanto aos passageiros quanto a tripulação.

Como ser um comissário de bordo

A um primeiro contato, pode não parecer tão complexo o trabalho de um comissário de bordo, mas é aí que muita gente se engana — principalmente se estiver se candidatando a uma vaga na Europa. Além de uma série de requisitos físicos, o emocional conta muitos pontos para os que desejam seguir a carreira.

Essas são apenas algumas das características esperadas de um bom candidato

  • Comunicativo;
  • Simpático;
  • Paciente;
  • Diplomático;
  • Adaptável;
  • Habilidades para demonstrar autoridade na hora e na dose certa.

Se você está interessado em trabalhar no exterior, pode ser interessante ler as dicas que compartilhamos para pesquisar vagas no exterior.

Requisitos para trabalhar como comissário de bordo

O cargo não exige ensino superior, seja aqui no Brasil ou no Velho Continente, mas ainda assim é preciso estar muito bem preparado para preencher todas as minuciosas exigências. As especificações são variáveis de acordo com a companhia aérea, mas alguns requisitos mínimos são necessários para seguir a carreira. Veja quais são eles:

Por que escolhemos a Goldenergy em Portugal?

  • Idade mínima de 18 anos (21 para algumas companhias, também com idade máxima inferior a 30 anos);
  • Altura mínima de 1,58 – 1,60 (altura máxima também pode ser aplicável) e peso adequado;
  • Ensino médio completo;
  • Inglês fluente;
  • Visto para trabalhar no país ou passaporte europeu (exigência para algumas companhias);
  • Ter boas habilidades de natação;
  • Ter boa apresentação;
  • Não ter tatuagens ou piercings visíveis;
  • Apresentar boas condições físicas e médicas para o exercício da profissão.

Curso de comissário de bordo

No Brasil, quem quer entrar para a carreira de comissário de bordo precisa fazer um curso em instituição aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) ou passar por prova oficial do órgão. No entanto, se a Europa é seu foco de atuação, esse processo não é necessário.

Nesses casos, é preciso realizar cursos equivalentes do país em que se deseja atuar. Após ter sido aprovado na primeira seletiva, onde é feita a triagem dos currículos, o candidato deverá passar por entrevista e só então ingressar em um curso de formação.

Média de valores dos cursos

Os cursos são pagos em sua grande maioria e são feitos nas bases das companhias e têm duração entre 6 e 8 semanas. O custo pode passar dos 1.500€, mais 500€ de inscrição, devendo o candidato também arcar com os gastos em acomodação e refeições. Informe-se sobre as vantagens de cada companhia, pois algumas oferecem a formação gratuitamente e/ou cobrem despesas de estadia e alimentação.

A formação inclui treinamento em simuladores, incluindo pouso na água, primeiros socorros, meteorologia, sobrevivência, como proceder diante de pacotes suspeitos e inclusive um curso de comunicação, para aprender a agir com mais sensibilidade — tanto com os passageiros como com os funcionários do cockpit.

É preciso se deslocar?

Em geral, as grandes companhias aéreas (inclusive as companhias aéreas low cost como a Ryanair) oferecem sessões de provas em diversos países. No entanto, pedem para que o candidato se desloque aos países que abriguem suas respectivas bases para ter início a formação.

No caso da Lufthansa, por exemplo, a maioria das contratações são direcionadas às bases nas cidades de Frankfurt e Munique. Outras oportunidades oferecidas pela empresa estão em suas subsidiárias SWISS, Austrian Airlines, Eurowings e outras. Já a EasyJet possui bases no Reino Unido, França e Alemanha, aumentando o leque de opções dos candidatos.

comissário de bordo exigências

Open Days das companhias aéreas

Em geral, os interessados podem fazer as provas iniciais nos chamados “Open Days”, que são grandes eventos de recrutamento realizados em diversas localidades (inclusive no Brasil). No entanto, os selecionados nessa primeira etapa devem se deslocar aos países em que a companhia possui base, e só então dar continuidade ao processo.

Veja como fazer uma entrevista de emprego em inglês.

Salário comissário de bordo é bom?

Algumas companhias diferenciam também os rendimentos de acordo com o país escolhido para aplicar a candidatura, favorecendo algumas localidades.

De acordo com reportagem publicada no portal Eco, o salário médio dos comissários de bordo da Ryanair em 2018 rondam os 1.750€ líquido, ou seja, já depois do desconto dos impostos.  Na companhia portuguesa TAP, os salários líquidos variam entre 1.500€ e 2.000€. Na Emirates os salários são mais elevados, os funcionários ganham em média 2.2215€ limpos.

Sem expectativas de fortunas para quem vai morar na Europa, mas é possível sim viver bem com salário de comissário de bordo. Em geral, as companhias low costs tendem a pagar menos que as demais, mas ainda assim cobrem as despesas e um pouco mais.
É preciso lembrar que, em início de carreira, os valores são mais baixos.

Quem escolhe o Reino Unido para ingressar na Ryanair tem salário inicial de 700£, já os outros países da zona do Euro ganham 750€. Outras maiores, como a Lufthansa, já oferecem um inicial bruto entre 1.500€ e 1.600€.

Veja também 12 segredos de um piloto de avião que (quase) ninguém sabe.

Melhores empresas para trabalhar como comissário na Europa

Antes de optar por uma ou outra empresa, é importante que não se esteja totalmente focado no salário, deixando benefícios e progressão de carreira de fora. Os fatores que garantem a felicidade e o bem-estar do comissário são fundamentais para fazer uma boa escolha, e muitas são as companhias que oferecem ótimas oportunidades aos seus funcionários.

Vantagens

Algumas das vantagens importantes de serem observadas estão no pagamento de bônus, flexibilidade de trabalho, oferta de cursos, seguros, planos médicos e odontológicos, boas taxas em staff travel (desconto em viagens), descontos em hotéis e restaurantes, etc.

Como se pôde perceber, são muitos os fatores levados em consideração para escolher a companhia ideal. Portanto, antes de se entregar à carreira, pesquise muito bem informações oficiais e opiniões de quem já atua na empresa a qual pretende se candidatar.

Abaixo, você pode vai encontrar sobre os nomes de algumas das consideradas melhores companhias para acessar as informações gerais e requisitos necessários à vaga de comissário de bordo.

Dentre as companhias low cost, destacam-se a:

Já as de grande porte — e que costumam pagar melhor, com mais benefícios — estão o grupo:

  • Emirates;
  • Air France;
  • KLM;
  • British Airways;
  • Lufthansa;
  • Alitalia;
  • TAP.

A demanda por comissários de bordo é grande, e as chances de contratação aumentam principalmente conforme os idiomas que o candidato domina. A previsão é de que, até 2020, 660 mil comissários sejam contratados.

Para ficar por dentro dos processos seletivos das maiores e melhores companhias, esteja atento também aos sites da Groundlink e Crewlink.

É preciso ter visto?

Um dos grandes desafios para quem quer ser comissário de bordo na Europa certamente é a obtenção de visto para trabalhar no país desejado. O documento é obrigatório em todas as companhias aéreas, exigindo ainda que não haja restrições para transitar entre as demais localidades. Algumas companhias, inclusive, somente aceitam candidatos com passaporte europeu.

Entenda de uma vez por todas quando é que é preciso um visto para Europa.

Tenho que falar mais de um idioma?

Mesmo que você esteja em uma empresa portuguesa, por exemplo, o inglês fluente é imprescindível. Agora, em se tratando de uma companhia com grande diversidade de rotas e passageiros, quanto mais idiomas o candidato falar, melhores são as suas chances de contratação.

Em alguns casos, é exigida a também fluência no idioma da companhia, como acontece na Air France (inglês e francês) ou da Lufthansa (inglês e alemão), por exemplo. Fique atento aos requisitos de cada empresa.
Veja as melhores maneiras para aprender inglês.

Existe um perfil para ser comissário de bordo?

Todo mundo precisa ter perfil para ser comissário de bordo? A resposta é sim. Muitos interessados na carreira costumam se indignar principalmente com a questão da altura e peso. No entanto, é importante ressaltar que esse não é um requisito estético, mas de segurança para o próprio comissário.

As medidas exigidas funcionam especialmente para que o comissário seja capaz de transitar seguramente pela aeronave, bem como alcançar compartimentos de bagagens de mão com conforto. Algumas empresas limitam até mesmo candidatos com mais de 5 graus em seus óculos.

Idioma, postura e outras características

Em se tratando de um comissário de bordo internacional, idioma e uma postura adequada também são imprescindíveis. Em alguns casos, por questões internas e pontuais de determinada companhia, uma ou outra característica pode se tornar importante e decisiva.

Existem situações onde, por exemplo, mulheres com filhos ou candidatos com um forte senso de liderança acabam sendo reprovados das seletivas. Lembrando que não se tratam de requisitos, mas sim de situações onde a companhia se vê inclinada a tais preferências para harmonizar certo quadro de funcionários.

Quais as regras que os comissários de bordo devem seguir?

O uniforme impecável, o sorriso no rosto e pensar que eles viajam de um lugar para o outro sem parar, aguça a nossa imaginação e curiosidade sobre essa profissão. Quais regras estes profissionais precisam seguir e qual foi o percurso que eles fizeram para chegar onde estão é algo que muitos querem saber.

Júnior Lacerda nos contou algumas regras dos comissários de bordo e as diferenças entre o mesmo trabalho no Brasil e em solo americano.

Saiba como conseguir emprego no exterior ainda no Brasil.

Curiosidades sobre as regras dos comissários de bordo

  • As tatuagens nunca podem ser visíveis;
  • Os comissários de bordo devem manter o olho no peso;
  • Pelos perceptíveis nas narinas, orelhas e/ou axilas devem ser cortados ou então removidos – alerta a companhia aérea American Airlines para os comissários de bordo;
  • Dentes devem apresentar um aspecto limpo, natural. A dentição frontal deve ser completa. Retentores dentais devem ter tonalidade suave ou transparente. Aparelhos devem ser transparentes ou prateados – são alertas também da American Airlines;
  • As unhas também são uma preocupação e algumas companhias aéreas chegam a estipular o tamanho: não devem ser mais longas do que meia polegada (1,27 cm) medida à partir da ponta dos dedos e deve haver equilíbrio entre comprimento e forma;
  • O mesmo acontece em relação ao tamanho da barba, limitando inclusive o tamanho do bigode;
  • Assim como as tatuagens, piercing nem pensar;
  • A roupa íntima deve ser branca quando a camisa do uniforme é branca.

As regras dos comissários de bordo não param por aqui: o comprimento do cabelo para algumas companhias aéreas também é determinado. Além disso, não são permitidos cabelos com cores diferentes ou cortes que não sejam formais.

Conheça 10 mitos sobre comprar passagens aéreas.

Preparação para se tornar comissário de bordo

Além disso, é preciso passar por um curso de formação de comissários de bordo. Somente depois de concluir os estudos, que duram em média 5 meses, o candidato poderá enviar currículos para as companhias aéreas.

Uma vez contratado pela companhia aérea, o comissário de bordo passará por um novo treinamento que dura em média 4 meses. A diferença deste segundo treinamento para o primeiro feito no curso de formação é que ele também terá práticas dentro das aeronaves.

É importante alertar que, se a companhia aérea opera com 3 aeronaves diferentes, significa que o comissário de bordo terá que fazer um treinamento para cada uma delas e terá uma espécie de carteira de motorista para cada uma, que comprova que está apto para cada um dos modelos.

regras dos comissários de bordo

Treinamento necessário

Falando em treinamento, em ambos os países os estudantes recebem formação de primeiros socorros e até vão para locais que simulem a selva para treinar sobrevivência, caso ocorra um pouso de emergência.

Entre outras coisas, eles devem matar galinha, preparar fogo com gravetos, cozinhar e simular que estão cuidando dos passageiros feridos. A simulação também acontece como se fosse um pouso na água, em que o treinamento é feito em piscina ou lago.

Nos Estados Unidos, porém, o candidato não precisa fazer nenhum curso antes de enviar o currículo. O único treinamento é feito na companhia aérea, que dura em média, 6 semanas.

Segundo Júnior, a diferença de tempo de treinamento é que no Brasil as práticas são focadas tanto em segurança quanto em serviço, enquanto nos Estados Unidos, o foco é totalmente voltado para a segurança.

Nos Estados Unidos a aparência é menos cobrada que no Brasil

Segundo Júnior Lacerda, no Brasil a aparência dos comissários de bordo é mais cobrada do que nos Estados Unidos. Andar no aeroporto carregando um copo de café ou qualquer outro objeto não é permitido, para não “descaracterizar o uniforme”.

Nos Estados Unidos os americanos não são tão atentos nem rígidos e se o comissário de bordo trocar a gravata, não será criado nenhum problema.

Outras diferenças entre Estados Unidos e Brasil

As companhias aéreas americanas exigem muita atenção no quesito segurança. Está na lista de regras dos comissários de bordo a necessidade de circular no corredor para constatar que está tudo normal a cada 15 minutos. Os profissionais se revezam na tarefa – contou Júnior.

Turbulência: ele falou também sobre o aviso do cinto de segurança. No Brasil, não importa se é uma forte ou fraca turbulência, o comissário de bordo também deve sentar-se e colocar o cinto. Nos Estados Unidos, os profissionais só sentam e colocam o cinto em caso de forte turbulência.

Horas trabalhadas: também há diferença no que diz respeito a quantidade de horas mensais que um comissário de bordo pode trabalhar. No Brasil, não podem passar de 85 horas, enquanto nos Estados Unidos pode chegar a 145 horas.

Escala de comissários: Júnior nos contou que a escala nas companhias aéreas brasileira é bem difícil de ser alterada, enquanto nos Estados Unidos os comissários de bordo encontram maior flexibilidade, como por exemplo, definindo o número máximo de horas mensais e mínimo que preferem fazer por mês.

Horas de voo: No máximo, um comissário de bordo voa 9 horas por dia. No caso de voos de 50 minutos, pode chegar a fazer 3 em um único dia. Voos intercontinentais, por exemplo, permite que os profissionais fiquem mais tempo no hotel.

Se o seu próximo destino é a Europa, lembre-se que precisa contratar um seguro viagem, ele é obrigatório para entrar no continente e pode ser exigido de você ainda no aeroporto. Por isso, utilize o nosso comparador de seguro viagem e compare os principais planos do mercado para encontrar o ideal para você, garantimos o melhor preço aos nossos leitores.

Vantagens e desvantagens de ser comissário

Ser comissário de bordo é um sonho para muitas pessoas. Profissão com todo um toque de requinte, incentivos para conhecer o mundo todo e evoluir principalmente como indivíduo. No entanto, esse não é um sonho que se vive o tempo todo, e alguns pontos contra às vezes pesam na decisão.

Veja o que é preciso levar em consideração:

Vantagens

Uma das maiores vantagens (mas que pode ser desvantagem para algumas pessoas) é o dinamismo. Não existe uma rotina na vida do comissário de bordo. Os horários de trabalho são variáveis, os destinos, os dias de folga e até mesmo os colegas de aeronave. Então, se você tem o perfil de que não se encaixa numa rotina padrão de se levantar sempre no mesmo horário, chegar no trabalho e ter hora para sair, provavelmente irá se dar muito bem na vida de comissário de bordo.

Já imaginou poder viajar e interagir com pessoas do mundo inteiro, sendo pago para isso? Desfrutar da gastronomia, ficar hospedado em excelentes hotéis, ter experiências únicas de vida e tornar cada dia uma nova forma de enriquecimento cultural são algumas das vantagens mais evidentes, e que acabam valendo a pena todos os revezes possíveis.

Desvantagens

Por outro lado, viver esse mundo de sonhos implica em pagar um preço — e não são todas as pessoas que bancam emocionalmente esse custo.

Dentre as principais desvantagens de se trabalhar como comissário de bordo certamente é a necessidade constante de adaptação. Esse dinamismo e novidades constantes por vezes desgastam física e emocionalmente um comissário de bordo. É preciso se adaptar a climas, idiomas, alimentação, cultura… tudo isso acompanhado de um jetlag inseparável.

Vida solitária

Outra desvantagem dos comissários que optaram por traçar a carreira na Europa é a vida solitária. Sim, você estará todos os dias cercado por pessoas; mas todas diferentes. Pode ser difícil fazer amizades e estabelecer laços. A falta de suporte emocional pode ser grande.

Flexibilidade mas nem tanto

E novamente, toda essa flexibilidade implica em um outro ponto conta: não necessariamente você irá folgar nos feriados. Em alguns casos, você pode ter de passar o Natal em um país que não comemora a data, ou passar em branco outras datas como seu aniversário, Páscoa, Ano Novo…

Comissário de bordo pode não ser o seu emprego de sonho, mas existem muitas outras oportunidades na Europa. E lembre-se, para entrar no continente europeu é obrigatório portar o Seguro Viagem Europa em 26 países. Leia nosso artigo sobre o tema, veja quais são os países que exigem e como contratar ao melhor preço.

Brasileira, tem formação em Design de Games e Comunicação em Computação Gráfica. Apaixonada por tecnologia, cinema e literatura, desapegou e foi viver na Europa em 2015. De volta ao Brasil, hoje é grande entusiasta de um estilo de vida quase nômade.

Todo o conteúdo do portal Euro Dicas é escrito por redatores brasileiros que moram ou moraram na Europa e compartilham suas dicas de como escolher o país de destino, qual o custo de vida, cultura, idiomas e dia-a-dia. O objetivo é apoiar quem pretende sair do Brasil para morar na Europa.

Artigos relacionados

Family Search: saiba se é seguro e como funciona

Para ajudar a conectar familiares existe o Family Search, ferramenta que coleta, preserva e compartilha registros genealógicos no mundo todo.

Apostila de Haia: o que é, como fazer e quanto custa

Entenda o que é a Apostila de Haia, por que ela ajuda quem quer morar fora do Brasil, quais documentos pode apostilar e onde apostilar.

Carta de motivação: modelos e dicas para preparar o documento

Confira dicas para preparar uma carta de motivação, um modelo desse documento e veja exemplos de como escrevê-la para intercâmbio, mestrado e universidade.

Países fáceis de imigrar: veja os 4 mais receptivos da Europa

Confira a lista de países fáceis de imigrar e descubra o porquê da facilidade. Veja como é a adaptação, visto e burocracias para brasileiros nesses países.

Cidades que pagam para morar: 10 regiões encantadoras

Confira a lista de cidades que pagam para morar ou dão moradia ou terreno e veja quais são as condições para isso. Há várias na Europa.

Conseguir emprego no exterior ainda no Brasil: dicas úteis

Conseguir emprego no exterior não é uma tarefa fácil, mas temos dicas para fazer um bom currículo, onde procurar vagas e os melhores países para trabalhar.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube