Eu vim para a Espanha numa espécie de intercâmbio. A ideia era fazer mestrado e aproveitar para ver se conseguia voltar com o espanhol fluente. No final da história, acabei ficando, mas juntei a minha experiência com a de mais duas pessoas para contar para vocês como é fazer intercâmbio em Madrid. Vamos juntos?

Perguntas frequentes Resposta
Quanto custa estudar em Madrid? Depende do que você quer estudar, da data de início e da duração do intercâmbio. Os cursos de idiomas podem custar de 860€ a 4.000€. Para cursos especializados ou mestrados, este valor pode subir de mil a 30 mil euros.
Quantos euros precisa para entrar em Madrid? Para o visto de estudante, você precisa provar uma renda de pelo menos 600€ para cada mês de estadia. Este valor pode ser gerado mensalmente por uma pessoa que se responsabilizará por mantê-lo no exterior ou estar guardado numa conta disponível para uso na Espanha.

Como fazer intercâmbio para Madrid?

Primeiro você precisa saber o que você quer estudar, em qual escola e o tempo que você quer ficar. E claro, todas estas escolhas precisam estar de acordo com o seu orçamento.

Também é importante definir a data de início, já que esta pode influenciar no valor da viagem e também vai indicar se você precisa correr com a papelada ou pode ir com calma.

O ano letivo na Espanha começa no final de setembro, início de outubro. Por isso, é normal ter uma maior oferta de cursos para estas datas. Aqui, tente reservar com antecedência, pois muitas escolas oferecem desconto na matrícula, o famoso desconto early bird!

Para cursos de idiomas, também existem intensivos durante o período de férias espanhol, que vai de junho a agosto.

E aqui entra uma dica interessante: se você tiver que buscar apartamento para alugar entre junho e agosto, aproveite para fazer um bom negócio! Em geral, os preços em Madrid são muito elevados, mas é durante o verão que eles tendem a cair, porque a cidade se esvazia, e os estudantes universitários saem de férias, deixando muitos apartamentos livres e por um preço mais acessível.

Conseguir bolsa intercâmbio em Madrid

Luciana Ramos, tradutora e mestranda em Sociologia da Educação, conta que para fazer intercâmbio em Madrid ela precisou de muita estratégia acadêmica, persistência e determinação.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Procura assessoria para morar na Espanha?

Para solicitar a sua cidadania espanhola, visto, documentos, validação de diploma ou acompanhamento jurídico recomendamos o Escritório Madeira da Costa. Agende a sua consultoria e mude para a Espanha com segurança e tranquilidade.

SABER MAIS →

Ela foi uma das escolhidas em 2019 para um programa de concessão de bolsas para intercâmbio da universidade AUCANI USP. A seleção era para estudar o primeiro semestre de 2020 na Universidad Autónoma de Madrid (UAM).

“Eu havia pleiteado esse tipo de bolsa em quatro anos anteriores para outras universidades, tanto na Espanha como em outros países da América Latina. No ano em que passei, mantive a escolha na Autónoma porque tive relatos muito interessantes sobre ela, além, é claro, de que eu não poderia vivenciar essa experiência por conta própria”, revela.

Luciana Ramos, entrevistada, na Ponte Viejo Toledo
Luciana Ramos fez intercâmbio em Madrid durante oito meses em 2020.

O esquema de bolsas pode ser um dos mais rentáveis para fazer intercâmbio em Madrid. A maioria deles oferece o curso, mais uma mensalidade para manter-se no país e até mesmo inclui hospedagem.

Intercâmbio de idiomas

A criadora de conteúdo por trás do canal Juntos na Espanha, Renata Fukuda, acabou trocando uma viagem pela Europa por um intercâmbio de idiomas: “eu tinha uma viagem comprada para Espanha desde o começo do ano de 2022, para acontecer entre setembro e novembro. A ideia era ficar esses três meses fazendo uma eurotrip”, revela.

Foi aí que surgiu a vontade de se mudar para a Espanha de vez.

“Foi assim, bem do nada, mais uma mudança – e das grandes – surgiu. Então eu, que até então nunca tinha tido contato com a língua [espanhola], vi que era a hora de realizar um sonho antigo: o intercâmbio”.

Neste ponto, ela já tinha metade do caminho andado: hospedagem e passagem compradas, só faltava decidir onde estudar.

As nossas entrevistadas seguiram caminhos muito diferentes na hora de fazer intercâmbio: enquanto Luciana se planejou durante quatro anos tentando a bolsa na faculdade, a ideia de Renata nasceu de supetão.

Se você não estiver vinculado a uma universidade, as maneiras mais comuns de fazer intercâmbio são por conta própria – escolhendo uma escola e buscando estadia de forma autônoma – ou com uma agência, como fez Renata.

Qual o tempo ideal de um intercâmbio em Madrid?

Tudo vai depender dos seus objetivos!

Para fazer uma especialização acadêmica ou estudar em uma universidade, o seu intercâmbio em Madrid durará entre de um semestre a um ano letivo.

Já para aprender espanhol, o ideal é ficar no mínimo um mês.

Dá para sair fluente no espanhol do intercâmbio?

Sim, mas depende do tempo que você vai ficar, do nível de espanhol que você chegou e da sua disposição a aprender.

Mas atenção, dependendo do curso, você pode ser exigido um certo nível com antecedência.

“No meu caso, ter proficiência de nível intermediário no idioma já era um requisito, então, é interessante pensar que a exposição a ele durante o intercâmbio me permitiu desenvolver a autoconfiança para falar e me trouxe um repertório cultural que eu conhecia apenas de longe”, conta Luciana.

Ela ainda destaca que você precisa estar muito disposto a interagir sócio e culturalmente, estudar bastante e conhecer a língua falada nas ruas, as suas gírias, contrações e informalidades. “Além das aulas, morar com outros hispano-falantes contribuiu muito para que eu desenvolvesse competências linguísticas”, afirma.

E eu, Bianca, assino embaixo! Quando vim fazer mestrado, fiz uma entrevista em espanhol para que pudesse ingressar na universidade. Eu estava longe de ser fluente, mas me joguei de cabeça.

Cheguei me apoiando no “portunhol” e não tive vergonha de perguntar – às vezes até riam de mim na sala de aula. O resultado foi que consegui estágio estando apenas quatro meses na Espanha e, com dois anos de vivência, comecei a trabalhar 100% em espanhol (na área da comunicação e marketing!).

Quanto custa um intercâmbio para Madrid?

O valor pode variar muito! Existem cursos de especialização e mestrados que custam de mil a 30 mil euros, dependendo do tema estudado e da instituição.

Já para cursos de idioma, o valor começa em cerca de 800€. Cotamos os preços em três agências de intercâmbio para fazer a comparação:

Intercâmbio STB Beeducation CI Intercâmbio
Curso de 4 semanas sem acomodação a partir de 885 € a partir de 885 € a partir de 1.760 €
Curso de 4 semanas com acomodação Não disponível a partir de 1.985 € a partir de 2.952 €
Curso preparatório para exames de idioma a partir de 5.174 € a partir de 1.645 € a partir de 3.250€

É importante mencionar que estas cotações foram feitas online em setembro de 2023, sempre focando no valor do curso mais próximo. Por isso, o preço pode variar muito dependendo da época em que você vai viajar e das modalidades. Existem também opções com diferentes cargas horárias, o que influencia no valor.

Ainda mais, muitas agências cobram taxas por diferentes motivos, o que pode fazer que o valor flutue.

Melhores agências de intercâmbio de espanhol para Madrid

A grande vantagem de fazer intercâmbio em Madrid com uma agência é que você não tem que se preocupar com o estresse de encontrar moradia e outras burocracias, que levam tempo e exigem certo conhecimento.

Na Beeducation, por exemplo, os experts em intercâmbio podem ajudar a definir qual escola é a melhor para você, além de oferecer diferentes opções de estadia, como o homestay ou as residências estudantis, onde você vai alugar um quarto.

Como já comentamos, muitas agências cobram diferentes taxas. No caso da Beeducation, não há valores adicionados pela consultoria pós-venda, orientação de embarque e aplicação da matrícula.

Além disso, nos intercâmbios da Beeducation você pode escolher a carga horária do seu curso – alguns incluem sessões individuais com um professor, enquanto outros são ministrados apenas em grupos.

O Euro Dicas confia nas profissionais da Beeducation e por isso recomenda a todos os leitores, entre em contato e faça a cotação do seu intercâmbio.

Estudar em grupos

A maioria das escolas forma grupos bastante heterogêneos para as aulas de espanhol. Isso significa que você terá que utilizar apenas o idioma durante as classes, já que cada aluno é nativo de uma língua diferente.

Renata, por exemplo, fez intercâmbio em Madrid na escola de idiomas Enforex. Ali, o primeiro passo para definir como você vai estudar é uma prova para medir o seu nível de espanhol.

“Na prova também faziam algumas perguntas sobre a nossa preferência de estudo, se a gente gostava de estudar com muitas ou poucas pessoas, se a gente gostava ou não de trabalhar em grupo”, conta.

Renata Fukuda indo para a escola de intercâmbios em Espanha
Renata mudou-se à Espanha após o intercâmbio e afirma que os meses de estudo foram essenciais para aprender o idioma.

Estudar em grupos vai ajudá-lo a praticar o idioma fora de classe e também a fazer amigos. “Foi muito interessante ver um grupo tão diverso na aula: duas meninas chinesas mais novas, um cara da minha idade que era croata e tinha duas filhas pequenas, uma mulher iraniana que era professora de história…”, relembra.

“O spoiler é que todos viraram amigos, e alguns deles amigos que falo até hoje, um ano depois do intercâmbio! “.

Na hora de comunicar-se com o professor para tirar dúvidas ou entre asi, eles se apoiavam no inglês, também lançando mão da boa e velha mímica, dos tradutores e de imagens.

“As aulas eram de 9 da manhã até às 13h, então tínhamos a tarde livre, e normalmente nos juntávamos para comer e também explorar a cidade, fazer passeios e conhecer atrações turísticas. E era muito legal porque conseguíamos vivenciar o idioma nas ruas, e os professores eram bastante dinâmicos”.

Documentos necessários para fazer intercâmbio em Madrid

A maioria das escolas aceita aplicações de intercâmbio apenas para maiores de 16 anos. Os documentos gerais para fazer intercâmbio em Madrid são:

Passaporte

Pode parecer óbvio, mas fique atento na data de vencimento. Quando fui me inscrever no meu mestrado, por exemplo, percebi que o meu passaporte ia vencer em cinco meses, não cobrindo todo o curso! Tive que renovar correndo.

Por isso, recomendo prestar bastante atenção nesse detalhe para não passar apertado. E, caso aconteça algo ou você decida morar na Espanha, como eu, é bom ter o documento válido por muitos anos!

Visto de estudante

Apenas para quem vai ficar mais de 90 dias e não tem cidadania europeia. Já falemos de mais detalhes para conseguir a aprovação!

Seguro viagem

É um requisito para conseguir o visto. Mais do que um seguro viagem para Espanha, você precisa de uma espécie de plano de saúde contratado com uma seguradora autorizada a operar no país.

O seguro deve oferecer todos os serviços que o sistema de saúde público espanhol oferece – ou seja, precisa ser completo!

Para ajudá-lo nesta tarefa, no comparador Seguros Promo, você pode fazer um orçamento com apenas alguns cliques.

Precisa de visto para fazer intercâmbio em Madrid?

Sim, se o seu intercâmbio em Madrid durar mais de 90 dias. Caso contrário, o ETIAS será necessário a partir de 2025.

Se você não possui cidadania europeia, você precisa tramitar o visto de estudante para Espanha. É uma modalidade simples, e costuma ser difícil ser recusado. Nos casos mais complicados, eles costumam a pedir mais papéis, mas raramente negam de primeira.

Inclusive, quando me mudei para a Espanha, tive que passar todos os trâmites e o consegui por conta própria: juntei os papéis sozinha e os apresentei no Consulado de São Paulo.

A parte mais chata é comprovar renda, porque você precisa demonstrar que tem valores suficientes para manter-se durante a sua estadia ou precisa ter todo o dinheiro disponível numa conta para uso contínuo.

Plaza Mayor no atardecer em Madrid
Madrid é uma das cidades da Espanha que mais recebe estudantes estrangeiros. Foto: Bianca Alves

Não é que o dinheiro não pode estar investido, porém, geralmente, os trabalhadores do Consulado pedem para que esteja numa conta-corrente ou que você apresente uma conta que gera movimento suficiente para cobrir o valor mínimo.

Este valor é equivalente a 600€ mensais em 2023 – 100% do Indicador Público de Renda de Efeitos Múltiplos (IPREM)

Já para quem tem cidadania europeia, só é necessário tramitar o Número de Identidade de Estrangeiro (NIE).

Visto de estudante para a Espanha

Já demos um grande spoiler na seção anterior, mas você precisa garantir os seguintes documentos para conseguir o visto:

  • Formulário de solicitação;
  • Fotografia 3×4
  • Passaporte válido e em vigor (original e cópia);
  • Prova da admissão no curso (original e cópia);
  • Prova da disponibilidade de recursos econômicos (600€ por mês de estadia);
  • Seguro viagem;
  • Certificado de antecedentes penais;
  • Certificado médico;
  • Comprovante de residência no Brasil;
  • Comprovante de pagamento da taxa do visto.

Luciana teve que passar por todo este processo e conta a sua experiência.

“Após o resultado da seleção – e vibrando de alegria –, havia uma sequência de documentação que eu precisava organizar para apresentar ao Consulado Geral da Espanha, aqui em São Paulo. O processo foi relativamente rápido, por volta de uns dois meses na época”.

Prorrogação do visto

No caso de Luciana, ela ganhou uma prorrogação do visto uma vez que pegou o período da pandemia Covid-19 durante o intercâmbio.

“Durante a pandemia [o visto] foi prorrogado para atender às necessidades legais dos estudantes que estavam naquele território. Então pude ficar três meses mais”, conta.

Entretanto, esta concessão não é normal. Para mestrados e outros tipos de cursos profissionalizantes, dependendo da escola, você pode renovar por mais um determinado tempo para fazer estágio.

No meu primeiro mestrado, por exemplo, a escola me ofereceu um certificado de matrícula por mais um ano depois do final do curso, porque o meu estágio estava sob um convênio com a universidade.

Se este for o seu caso, você precisará passar pelo processo de renovação de visto, mas a lista de documentos é mais curta.

Custo de vida para estudantes

O custo de vida em Madrid é caro. Só não é o mais elevado do país porque perde para Barcelona.

A maioria dos intercambistas já vem com o local de hospedagem garantido, muitas vezes, negociado e alugado pela agência. Se você tem essa possibilidade, recomendo fazê-lo! É muito difícil encontrar apartamento para alugar por poucos meses e com um preço bacana – inclusive, é normal demorar uns dois meses só para conseguir encontrar algo.

Pessoas fotografam prédio de Cibeles em dia ensolarado
O custo de vida em Madrid é caro em comparação com o país, mas há bairros de estudantes mais acessíveis. Foto: Bianca Alves

E para se ter uma ideia, o preço médio de um apartamento de um quarto no centro de da cidade é 1.049,92€, sem contar que você precisa dar um mês de fiança e, muitas vezes, um mês de honorários imobiliários. Já para quem vai alugar quarto em Madrid, o preço tende a ser de 300€ a 700€.

Além disso, a economia da Espanha tem enfrentado um recesso em 2023, e a inflação no preço dos alimentos chegou a 14,3% em agosto deste ano, segundo o El País.

Gastos em Madrid

Para que você venha preparado, fizemos uma tabela com base nos dados da Numbeo e do Expatistan. Para realizar a estimativa final, consideramos uma pessoa jovem que tem a vida social agitada.

Gasto Valor
Supermercado 250€
Sair para comer tapas (consideramos 5 vezes ao mês) 20€ por refeição
Viagens a cidades próximas (por exemplo, Toledo) 60€
Conta de celular 20€
Academia e outras atividades físicas 50€
Baladas 60€
Mensalidade transporte público 30€
Outros gastos variados (roupas, presentes, lembranças e imprevistos) 100€
Total 670 €

É importante destacar que esta tabela se trata apenas de uma estimativa. Tudo vai depender do seu estilo de vida.

Além disso, o valor gastado também vai depender dos bairros de Madrid onde você circula. Os bairros estudantis, como Moncloa, costumam ter bares mais baratos do que no centro da cidade, por exemplo.

Como trabalhar no intercâmbio em Madrid?

Se você tem cidadania europeia, poderá trabalhar como um espanhol, apenas tramitando o seu NIE. Agora, se você tiver visto de estudante, poderá trabalhar durante o seu intercâmbio em Madrid com certas condições:

  • Trabalho de 30 horas semanais;
  • O trabalho não pode ser a sua maior ou principal fonte de renda;
  • A renda obtida neste trabalho não contará para renovações de visto;
  • O contrato não pode ter as mesmas horas que as aulas;
  • O trabalhador precisa estar capacitado para cumprir a função para qual foi contratado.

Esta permissão vale para todos os tipos de visto e curso, inclusive de idiomas.

Vantagens de fazer intercâmbio em Madrid

Sou suspeita para falar, porque, para mim, as vantagens de fazer intercâmbio em Madrid são muitas. Por isso, conto com a ajuda das nossas entrevistadas, Luciana e Renata, para listá-las:

  • Aprender espanhol rapidamente por meio do estudo e da prática cotidiana;
  • O visto de estudante permite trabalhar;
  • Madrid é uma cidade cosmopolita e com muitas atrações;
  • Apesar de ser uma metrópole, a qualidade de vida em Madrid é alta;
  • Ainda que o custo de vida em Madrid seja mais alto do que na maioria das cidades espanholas, é relativamente acessível quando comparado a cidades como Paris, Londres e Berlim;
  • Madrid é uma cidade aberta para o estrangeiro. É muito mais fácil fazer amigos locais do que em Barcelona, por exemplo;
  • O sotaque do madrilenho é mais neutro e fácil de entender do que em outras regiões, como a Andaluzia;
  • Madrid oferece uma grande variedade de cursos e universidades;
  • Das 25 melhores universidades da Espanha, 11 têm campus em Madrid, de acordo com a Forbes;
  • O transporte público em Madrid é excelente, podendo levar para cidades turísticas próximas à capital;
  • O aeroporto de Barajas em Madrid é um dos polos de voos internacionais na Europa, estando bem conectado com muitas cidades para quem quer viajar;
  • O madrilenho é muito mais compreensivo quando vê estrangeiros tentando aprender espanhol.

Eu poderia ficar um tempão contando histórias e juntando vantagens, mas a verdade é que ter a oportunidade de vivenciar uma experiência de intercâmbio na Europa é impagável.

Vale a pena fazer intercâmbio em Madrid?

Sim. E Renata reforça:

“Nesse um mês de intercâmbio fiz amizades muito boas, me senti mais preparada para entender o idioma, minha vontade era de fazer o curso inteiro [de dois anos]! Continuo estudando, e de lá pra cá meu espanhol evoluiu muito! Incluir o idioma na sua vida de várias formas ajuda demais!”.

Inclusive, para ela, o intercâmbio foi o início da sua mudança para Espanha. E ela diz que tem um projeto de seguir viajando a outros países, documentando tudo nas suas redes sociais e no seu canal do YouTube.

“Meu primeiro intercâmbio foi uma experiência incrível, e todos os dias eu pensava: eu preciso ter essa experiência de novo em algum outro destino! Acho que é uma experiência ótima que une o útil ao agradável: aprender um novo idioma e turistar! Meu conselho para quem quer fazer ou ainda tem alguma dúvida: FAÇA!”, conclui.

Luciana concorda:

“Acredito que todas as pessoas, mas com foco em nós, latino-americanos, temos o direito e o dever, quando possível, de acessar territórios para onde nossas riquezas materiais e intelectuais foram levadas, e tentar trazê-las de volta, ainda que por meio de vivências. Vale a pena fazer intercâmbio em Madrid, como vale fazer em qualquer outro país!”.

E para deixar ainda mais claro, selecionamos o vídeo do Felipe, do canal Um Casal de Amigos Meu, que conta como foi a sua experiência fazendo intercâmbio em Madrid.


Ficou com vontade fazer intercâmbio e já quer organizar a mudança? Esperamos que sim, especialmente se o intercâmbio for em Madrid. Boa viagem e bons estudos!