Fazer investimentos no exterior é tão simples quanto no Brasil.Eles podem ser feitos com segurança, com possibilidade de obter bons retornos, e em uma moeda forte, como o euro, por exemplo. Investir na Europa é o desejo de muitos brasileiros que sonham em morar no exterior ou que querem ter um rendimento em outro país.

Mas a maioria deles não sabe por onde começar, em que investir, os tipos de rendimentos mais rentáveis e se vale a pena investir no continente europeu. Então, preparamos este artigo para responder a essas e a outras questões. Confira!

Como começar a investir na Europa?

Para investir na Europa, você precisa conhecer muito bem o mercado do país onde pretende aplicar o seu dinheiro e escolher uma boa corretora no país onde deseja investir. Ela vai auxiliar você no processo de busca por um investimento que tenha boas possibilidades de retorno. A empresa também irá orientá-lo sobre como enviar dinheiro para o exterior e assessorá-lo nos procedimentos burocráticos.

É um bom momento para investir na Europa?

Investir na Europa pode trazer bons retornos, principalmente porque a economia europeia é bastante estável, além de outras vantagens que o investidor pode obter, como, por exemplo, a possibilidade de conquistar um visto de residência e fazer um investimento em uma moeda estável, como o euro, por exemplo.

O único problema para o investidor brasileiro nesse momento, de acordo com uma entrevista dada pelo contador Joaquim Moreira para o Jornal Contábil, é a cotação da moeda a europeia, muito superior à brasileira (1 € está custando quase R$ 7!), o que torna o investimento sete vezes mais caro para o brasileiro que recebe em reais.

Com a com a conjuntura que atravessa o mundo, o investimento tem que ser muito ponderado, com a diferença de câmbio que existe real / euro ou real / dólar, os produtos e os investimentos no exterior tornaram-se demasiados caros.

Em contrapartida, se for um investimento imobiliário, o retorno também será superior em sete vezes. Mas, segundo o especialista, é preciso ficar atento à bolha imobiliária em Portugal, principal país onde o brasileiro investe na Europa. Isso porque a aquisição de imóveis no país luso também pode estar acima do seu valor real. É importante estudar bem os investimentos, pois, de acordo contador, o cenário ainda está muito longe de estar positivo devido à instabilidade da moeda brasileira.

Já escrevemos um artigo detalhando os motivos por que o euro não para de subir. Saiba tudo.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →

Quais são os melhores países para investir na Europa?

De acordo com a revista Forbes, os seguintes países estão entre os melhores países do mundo para investir.

  • Portugal;
  • Suécia;
  • Irlanda;
  • Dinamarca;
  • Holanda;
  • Finlândia;
  • Noruega.

Vale ressaltar que os países europeus ocupam as melhores posições do ranking de melhores para investir, o que comprova que investir na Europa é uma boa alternativa, quando a aplicação é feita no país, no negócio e no momento certo.

Mas, antes de escolher onde vai investir seu dinheiro, é essencial que você entenda a situação político-econômica do país e o mercado, para projetar os ganhos financeiros que você pode obter por sua iniciativa. Para isso, será necessário que pesquise bastante e que busque ajuda profissional.

Tipos de investimentos mais rentáveis na Europa

Há diversas opções para quem quer investir na Europa. Por isso, o continente europeu atrai investidores de perfis variados, que visam aumentar a rentabilidade dos recursos.

Segundo o especialista da Bastter.com, Nelson Huoya, em live com a Remessa Online, os principais investimentos na Europa são relacionados à compra de ações, compra de startups e de imóveis. Ainda assim, a equipe do Euro Dicas considera que o melhor investimento vai depender do seu perfil e do seu objetivo.

Descubra como transferir dinheiro para Portugal para comprar imóvel.

Investir em ações na Europa

De acordo com reportagem feita em fevereiro de 2021 pelo Infomoney, há evidentes vantagens para pensar nas bolsas europeias quando o investidor visa diversificar a carteira, entre elas:

  • Grande valorização em relação a outras bolsas no mundo;
  • O fato de 1/3 das empresas da Europa virem da Ásia;
  • Presença global da maioria das empresas europeias;
  • A Governança Ambiental, Social e Corporativa das empresas europeias é mais bem avaliada por métricas próprias do que as americanas e chinesas.

É preciso contratar uma corretora de investimento?

Sim. O primeiro passo para investir na Europa é abrir uma conta em uma corretora de investimento. Além disso, é de suma importância considerar o país em que está corretora está e a sua legislação.

Melhores corretoras de investimento

A Remessa Online, plataforma de envio e de recebimento de dinheiro recomendada pelo Euro Dicas, indica as seguintes corretoras espalhadas pelo mundo para você investir no exterior:

Documentos necessários para investir na Europa

Para abrir a grande maioria das contas de investimento no exterior é preciso somente apresentar uma cópia do seu passaporte, um comprovante de residência e uma carta do banco ou um extrato de meses anteriores.

É válido dizer, aqui, que o Banco Central do Brasil solicita a declaração de rendimento nos seguintes casos:

  • Declaração de Capitais Trimestral: quando o investidor tem uma quantia superior a 100 milhões de dólares no exterior;
  • Declaração de Capitais Anual: quando o investidor tem mais de 100 mil dólares no fora do Brasil.

Além disso, com base na resolução 3.854/10 do Conselho Monetário Nacional, pessoas físicas e jurídicas que morem no Brasil e que tenham participação no capital de empresas, ações, títulos de renda fixa, depósitos, imóveis, entre outros, devem, obrigatoriamente, entregar periodicamente a Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior para o BACEN.

Investir na Europa documentos

Neste artigo, você pode ver, em detalhes, como declarar remessas para o exterior no imposto de renda.

Como fazer as transações financeiras?

Há várias formas para você transações financeiras internacionais, a mais tradicional é por meio dos bancos, porém, também uma das mais onerosas. Então, para pagar menos taxas ao investir na Europa, nós do Euro Dicas recomendamos a Remessa Online. Por meio desta plataforma é possível:

  • Enviar e receber dinheiro dos seus investimentos na Europa com taxas econômicas;
  • Investir em corretoras;
  • Comprar imóveis na Europa;
  • Comprar ações na Europa, além de fazer outros investimentos, com a assessoria e a experiência da Remessa Online.

De acordo com o site da Remessa Online, para começar a investir no exterior você deve:

1. Abrir uma conta em uma corretora e começar a investir;

2. Criar seu cadastro na Remessa Online;

3. Verificar a taxa de câmbio e fazer transferências internacionais com a plataforma.

A Remessa Online não é uma corretora de investimento, e sim uma maneira simples e rápida de enviar dinheiro para uma corretora de investimentos no exterior.

Quer investir na Europa? Descubra, neste artigo, como investir no exterior através da Remessa Online.

Investir na Europa dá direito a visto de residência?

Sim, muitos países oferecem benefícios aos investidores de outros países, mas depende do país e do investimento feito.

Na verdade, essa foi a estratégia adotada por alguns governos para estimular a economia do país e atrair investidores estrangeiros. No entanto, esse direito é concedido apenas para aqueles que preenchem os requisitos legais de cada país.

Assim, se o seu objetivo é conquistar o visto, é importante conhecer as normas vigentes antes de fazer esse tipo de aplicação.
Quer saber mais? Confira abaixo as exigências de alguns países que garantem visto de residência para investidores.

Investir na Espanha

Quem decide investir na Espanha pode ter acesso ao visto de empreendedor. Com ele, é possível morar legalmente no país e empreender. Para tanto, você precisa realizar um investimento alto em aplicações como:

  • Comprar um imóvel na Espanha por no mínimo 500 mil euros;
  • Adquirir ações no valor ou depósito a partir de 1 milhão de euros;
  • Investir mais de 2 milhões de euros em títulos da dívida pública espanhola;
  • Investir em projetos empresariais na Espanha.

Investir em Portugal

O governo português oferece três tipos de vistos para investidores estrangeiros. O Golden Visa é destinado para aqueles investidores que realizarem aplicações como:

  • Comprar imóvel em Portugal superior a 500 mil euros;
  • Comprar bens imóveis antigos, a serem restaurados, no montante superior a 350 mil euros;
  • Transferir capitais no montante superior a 1 milhão de euros;
  • Criar empresas e gerar pelo menos 10 postos de trabalho;
  • Investir 350 mil euros em pequenas e médias empresas ou investigação científica.

O segundo, é o Visto D2 Portugal. Ele permite a criação de micro e pequenas empresas por cidadãos estrangeiros, com capital social a partir de 1 €. O terceiro, é o Startup Visa Portugal para empreendedores que pretendam criar uma startup com faturamento estimado em 350 mil euros em três anos ou acima de 500 mil euros por ano.

Investir na Itália

O governo concede vistos de permanência para os investidores que pretendem abrir uma empresa na Itália. Nesses casos, o estrangeiro pode solicitar o visto de empreendedor ou startup.
Diferente de Portugal e da Espanha, não há “Golden Visa” para investir na Itália. Isso significa, que não é possível ter visto para morar no país apenas por investir mais de 250 mil euros.

Saiba também como funciona a franquia na Itália e dicas para abrir o seu negócio fora do país.

Vale a pena investir na Europa?

Sim! Nelson Huoya explicou que fazer investimento no exterior vale muito a pena, principalmente devido à questão política, econômica e monetária do Brasil, que é instável. Segundo com o especialista, é simples e barato investir em outros países, e o investidor vai estar se protegendo contra o real, desvalorizado.

Além disso, podemos citar outras vantagens em investir na Europa, como a possibilidade de:

  • Conseguir um visto de residência e morar, trabalhar e estudar de forma legal na Europa, além de poder circular livremente pelos países que compõem o Tratado de Schengen;
  • Melhorar sua qualidade de vida ao escolher morar na Europa;
  • Obter rendimentos mais valorizados;
  • Diversificar sua carteira;
  • Fugir da burocracia e das pesadas cargas tributárias do Brasil, entre outras.

Ressaltamos a importância de você pesquisar bem o país onde país e o mercado onde você pretende investir, assim como o valor mínimo para investir, além de contratar uma corretora de investimentos para ajudar você no processo de investimento e minimizar os riscos da aplicação.

Destacamos, ainda, que brasileiros podem investir na Europa e em outros continentes, desde que sejam respeitadas a legislação e as normas do Banco Central, bem como a regulação cambial. Também não há restrições para envios de dinheiro para contas em moeda estrangeira. Agora que você já sabe como investir na Europa, recomendamos que você faça o planejamento para investir nesse sonho. Boa sorte!

Veja também como investir em imóveis em Portugal e ter rendimentos acima da média.