Como estudar na Europa de graça: dicas e oportunidades

Estudar no velho continente é o sonho de muitos brasileiros que pretendem melhorar seu currículo. Mas, como muitas vezes um curso no exterior custa caro, hoje vamos te mostrar como estudar de graça na Europa.

Como estudar de graça na Europa: bolsa de estudo para diversos países europeus

Veja informações de bolsas de estudos em cinco países europeus, o que elas cobrem, quem pode se candidatar e como se candidatar, assim como o custo de vida em cada um dos países citados.

1. Alemanha

Uma das maiores potências mundiais e com uma qualidade de vida muito elevada, as universidades alemãs não cobram os custos de mensalidade dos cursos de graduação e pós-graduação nas universidades públicas de estudantes.
Em algumas universidades federais, é cobrada uma contribuição semestral e/ou taxas administrativas (cerca de 50 euros). Apenas os cursos de graduação nas universidades públicas da Alemanha são gratuitos. Os cursos de mestrado são pagos, mas têm valores abaixo dos outros países.
Os doutorandos pagam uma pequena contribuição à universidade de cerca de 150€ a 200€ por semestre e só pagam as mensalidades depois dos seis primeiros semestres.

Brasileiros podem se candidatar

A boa notícia é que não precisa ser europeu para se candidatar a uma vaga. É possível estudar na Europa de graça mesmo sendo estrangeiro. A maioria dos cursos seleciona os candidatos de acordo com o histórico escolar e uma boa carta de motivação.
Algumas universidades europeias também pedem cartas de referência de professores, universidades e chefes.

Sobre a bolsa de pós-graduação na Alemanha nas áreas relacionadas ao desenvolvimento, do DAAD

O Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) é a instituição que publica bolsas de estudos na Alemanha. No site, é possível buscar as bolsas disponíveis. Em janeiro (quando produzimos o artigo), o país está com inscrições de bolsas abertas para programas relacionados ao desenvolvimento econômico.
As bolsas compõem o programa EPOS, focado no aperfeiçoamento de profissionais que se destacam em desenvolvimento.

Sonho de Morar na Europa?

Confira nosso livro Sonho de Morar na Europa com as jornadas de vários brasileiros que vivem atualmente na Europa e conheça todos os passos para chegar no Velho Continente e realizar o seu sonho!

Duração do curso

A duração dos estudos varia entre um e três anos, de acordo com o curso. Os selecionados recebem bolsa mensal, seguro-saúde, ajuda de custo para passagem aérea e curso preparatório de alemão. Além de excelente rendimento acadêmico, o pré-requisito básico para uma candidatura é ter o mínimo de dois anos de experiência profissional na área do curso pretendido após a conclusão da graduação.
Essa conclusão deve ter ocorrido há menos de seis anos no momento de início do curso escolhido pelo candidato. Neste documento é possível ver todos os pré-requisitos de acordo com a área. As inscrições podem ser feitas até 31 de março de 2020.

Sobre as bolsas de estudo para pesquisas climáticas

Se você tem interesse em saber como estudar de graça na Europa, essa informação é importante: você pode se inscrever no International Climate Protection Fellowship Programme da Fundação Alexander von Humboldt. São oferecidas até 20 bolsas de estudo por ano para profissionais de países em desenvolvimento que desejem fazer pesquisas climáticas na Alemanha.
As inscrições vão até 1º de março de 2020. O programa dura um ano e começa um ano depois, em março de 2021. São selecionados estudos em várias áreas, como: os aspectos jurídicos, econômicos, sociais e de saúde relacionados à crise climática. Entre os requisitos da bolsa está:

  • Possuir o primeiro diploma universitário (bacharelado ou equivalente), concluído há menos de 12 anos, até o final das inscrições;
  • Habilidades de liderança;
  • Vasta experiência de trabalho (pelo menos 48 meses no momento da inscrição) ou um doutorado concluído na área de proteção climática ou conservação de recursos relacionados ao clima;
  • Publicações científicas (para candidatos a pós-doutorado) em periódicos revisados ​​por pares de acordo com padrões internacionais;
  • Uma declaração detalhada de um “host” na Alemanha, incluindo um contrato de orientação; os detalhes da proposta devem ser discutidos com o host em potencial antes da inscrição;
  • Cidadania de um país não-europeu de transição ou de desenvolvimento que também é a residência habitual e o local de trabalho do candidato;
  • Conhecimento de inglês e/ou alemão muito bom, documentado por certificados de idioma apropriados;
  • Duas referências de especialistas por pessoas qualificadas.

As bolsas para os candidatos selecionados variam entre 2.170€ e 2.670€ por mês para viver na Alemanha e ajuda de custo para viagens e para desenvolver seus projetos. Está previsto, ainda, um auxílio a mais para quem for com o cônjuge e filhos.

Custo de vida na Alemanha para estudante

Além dos estudos, é preciso pagar as despesas com custo de vida na Alemanha. Os estudantes na Alemanha gastam entre 600 e 800 euros por mês com alimentação, transporte, acomodação e demais despesas.
Geralmente, o governo alemão exige 8 mil euros para um ano de quem quer estudar no país. O governo também autoriza universitários brasileiros a trabalhar 120 dias por ano em tempo integral ou 240 dias, meio período. Conheça os tipos de vistos para estudar na Alemanha.

2. Dinamarca

O governo dinamarquês concede anualmente as bolsas de estudo Danish Government Scholarships. Em 2020, as inscrições vão até 1º de março. O programa é voltado para estudantes de mestrado e doutorado que desejem realizar intercâmbio na Dinamarca.

Sobre as bolsas

As bolsas cobrem integralmente os custos de tuition dos estudos durante o período em que o estudante estiver na Dinamarca e incluem, ainda, um valor mensal de 6.500 coroas dinamarquesas (cerca de 870€ na cotação de janeiro de 2020), que podem ser usadas para lhe auxiliar com o custo de vida na Dinamarca.
São aceitos candidatos que pretendam cursar entre 5 e 12 meses em instituições de ensino superior do país. De acordo com o Ministério do Ensino Superior e Ciência, será dada prioridade aos candidatos:

  • Que motivem a escolha de um programa de pesquisa ou campo de estudo específico por meio de sua relação com a língua, a cultura ou outras áreas de especialização dinamarquesas;
  • Indicados por um professor que ensine dinamarquês em seu país de origem;
  • Quem estuda línguas e literatura dinamarquesa ou escandinava;
  • Quem se refere a um conferencista internacionalmente reconhecido na instituição dinamarquesa desejada com quem gostaria de estudar;
  • Quem entrou em contato com a universidade anfitriã dinamarquesa pretendida e recebeu um convite de um professor para estudar ou fazer pesquisas lá (somente estudantes de doutorado);
  • Quem estuda em uma universidade ou instituição parceira da universidade anfitriã dinamarquesa pretendida.

Não é necessário que o candidato selecionado atenda a todos os critérios, mas quem atender a mais critérios terá uma melhor posição no processo de seleção. Saiba tudo sobre como estudar na Dinamarca de graça.

Custo de vida na Dinamarca para estudante

Um estudante precisa de, no mínimo, 750€ para morar na Dinamarca, pagando moradia, alimentação, contas, transportes, entre outras despesas. Estudar de graça Dinamarca

3. França

A Universidade de Franche-Comté, que fica na região leste da França (próxima à Suíça), está com inscrições abertas para as bolsas Victor Hugo, destinadas a estudantes latino-americanos de destaque, matriculados em uma universidade parceira da Universidade de Franche-Comté e que desejam cursar um mestrado na instituição.
Sua candidatura às bolsas de mestrado deve ser enviada por e-mail até o dia 28 de fevereiro de 2020. Campus France: conheça a agência oficial do governo francês.

Sobre a bolsa

As bolsas são concedidas por um ano universitário e cobrem os custos de inscrição na Universidade de Franche-Comté, acomodação em residência universitária, assinatura na internet, duas refeições por dia em restaurante universitário e treinamento intensivo em francês por dois meses (julho e agosto) no Centro de Linguística Aplicada (CLA) da Universidade. Os candidatos devem enviar uma inscrição para sua instituição de origem, um parceiro da Universidade de Franche-Comté. As universidades parceiras enviarão a lista de estudantes que indicaram à Universidade de Franche-Comté. Entre os requisitos para se candidatar estão:

  • Possuir a nacionalidade de um dos países latino-americanos de língua espanhola ou portuguesa ou do Haiti e morar em um desses países no momento da aplicação;
  • Ter menos de 35 anos de idade no momento da inscrição e durante o ano acadêmico na universidade;
  • Ter pelo menos um diploma de bacharel ou equivalente, reconhecido pela França;
  • Ser estudante registrado no momento da inscrição, em um curso ministrado por uma Universidade da América Latina e Haiti parceiro da Universidade de Franco-Condado.

Consulte a descrição da bolsa Victor Hugo, os procedimentos de inscrição e faça o download do formulário de inscrição.

Custo de vida na França para estudante

Estudantes gastam cerca de 800€ por mês para morar na França (para Paris, calcula-se em torno de mil euros para estudante). Veja também o artigo que escrevemos sobre o custo de vida na França.

4. Holanda

Se você pretende saber como estudar de graça na Europa, deve conhecer as bolsas oferecidas pela Holanda. O país oferece, até mesmo, bolsa exclusiva para brasileiros, a Orange Tulip Scholarships Brazil (OTS).

Sobre a bolsa OTS

É uma iniciativa voltada para estudantes brasileiros. São mais de 80 bolsas destinadas a cursos ministrados em inglês com qualidade internacionalmente reconhecida.  O prazo de inscrição varia entre as 27 universidades participantes, mas termina entre fevereiro e maio de 2020.
Os benefícios do OTS podem chegar a 25 mil euros em anuidades mais ajuda de custo (que pode ser integral ou parcial sobre o valor da anuidade). Em alguns casos, cobre também os custos do visto e seguro. Para se candidatar ao programa Orange Tulip Scholarship Brazil, devem ser cumpridos os seguintes requisitos gerais:

  • Ter a cidadania brasileira;
  • Possuir excelente desempenho acadêmico;
  • Ter obtido o grau necessário para cursar o programa desejado;
  • Não estar atualmente estudando ou trabalhando na Holanda;
  • Possuir fluência escrita e oral em inglês (certificado de proficiência será exigido);
  • Estar atualmente no processo de admissão ou já ter sido admitido em alguma(s) instituição (instituições) de ensino superior holandesa(s) participantes do programa.

Nuffic Neso Brazil: saiba como estudar na Holanda.

Bolsa da Universidade de Twente

A Universidade de Twente também oferece bolsas de estudo para a Holanda. No total, são 50 bolsas de mestrado e as inscrições vão até 1º de maio. O apoio financeiro varia entre 3 mil e 25 mil euros, dependendo do estudante selecionado. A quantia pode ser usada para o estudante arcar com as despesas de manutenção no país, ou mesmo para tuition. Para ser elegível, é preciso ter sido aceito por um dos programas de mestrado destacados. Entre eles, estão: Matemática Aplicada, Estudos de Comunicação, Nanotecnologia, Tecnologia de Energia Sustentável e Psicologia. Confira os requisitos para admissão:

  • Obter carta de admissão;
  • Ser (provisoriamente) admitido em um dos programas de qualificação da UT Master a partir do ano acadêmico 2020/2021 (setembro);
  • Possuir um número de aluno;
  • Não ter se formado em um programa de pós-graduação da UT;
  • Cumprir as condições para obter um visto de entrada na Holanda (se aplicável);
  • Apresentar teste do idioma inglês Academic IELTS 6.5 (ou TOEFL iBT de 90) e um 6.0 adicional (TOEFL iBT 20) na pontuação das habilidades de fala;
  • Não ser elegível para um empréstimo de estudo holandês;
  • Apresentar excelente desempenho acadêmico.

Saiba tudo sobre a bolsa de estudos da Universidade de Twente, na Holanda.

Custo de vida na Holanda para estudante

Assim como a França, por exemplo, o custo de vida na Holanda é elevado. No entanto, como estamos falando em valores para estudantes e levando-se em consideração que eles já sabem como estudar de graça na Europa – e conseguiram o mérito – e vão dividir moradia com outros estudantes, estima-se que sejam necessários no mínimo 800€ mensais para se manter no país.

5. Reino Unido

Se você pretende saber como estudar de graça na Europa, deve colocar o Reino Unido entre suas opções. Até o dia 28 de fevereiro, a Universidade de Lancaster está com inscrições abertas de bolsas de estudos para mestrado e doutorado para as suas Faculty Postgraduate Scholarships, nas áreas de artes, humanas ou ciências sociais. Como estudar de graça na Europa Reino Unido

Sobre as bolsas

Os programas têm duração de um ou três anos, respectivamente, com opções de bolsas de mestrado e doutorado juntos, em quatro anos. O auxílio das bolsas depende do programa escolhido e das capacidades e necessidades do candidato.
A universidade não diz um valor médio para as bolsas, mas informa que elas podem cobrir totalmente os custos de estudo do aluno, além de oferecer um adicional anual de 15 mil libras (cerca de R$ 81.500 na cotação atual) para auxiliar com os custos de vida no Reino Unido.
No caso dos valores acima de 5 mil libras (quase 6 mil euros), além dos custos de tuition, os bolsistas deverão trabalhar na sua área de estudos como contrapartida. No entanto, esse trabalho é de no máximo a seis horas por semana. Os pré-requisitos para se candidatar às bolsas variam de acordo com o curso e você pode verificar todos os procedimentos na área de bolsas de estudo departamentais da universidade.

Custo de vida no Reino Unido para estudante

Com bolsa de estudo o custo de vida na Inglaterra pode ficar menor. Estima-se que um estudante precise de, pelo menos, 800€ para viver no país. Saiba também como morar no exterior de graça.

Dicas para se candidatar e estudar na Europa de graça

O primeiro passo para estudar na Europa de graça é fazer um planejamento. Você deve ir juntando dinheiro para a passagem e fazer seu passaporte. Além disso, deve preparar seus certificados, diplomas e currículos em inglês e caprichar na carta de motivação (também em inglês). Confira algumas dicas sobre como estudar de graça na Europa.

  • Pesquise informações sobre bolsas de estudos em sites das universidades do país onde pretende estudar;
  • Veja também divulgações sobre bolsas de estudo feitas pelo portal Estudar Fora;
  • Pesquise países que não cobram mensalidades para seus estudantes, mesmo que sejam internacionais, como a Noruega, por exemplo (noruega.org.br);
  • Estude bastante a língua exigida pelo país onde pretende estudar. Exame de proficiência em inglês normalmente é um dos pré-requisitos de admissão;
  • Grécia, Hungria, Polônia e Áustria são ótimas opções para os estudantes, pois as universidades não cobram matrícula nem mensalidades para os estudantes da União Europeia e EEA e a mensalidade para quem é de outros países fica em torno de 750€ por semestre, bem em conta, principalmente levando-se em consideração que o custo de vida nesses países é relativamente baixo em relação aos outros europeus;
  • Leia todos os requisitos da bolsa de estudo para a qual deseja se inscrever e veja se é elegível;
  • Informe-se sobre o Euro Brazilian Windows, o programa do Erasmus Mundus exclusivamente para brasileiros estudarem na Europa.
  • Além das bolsas específicas de alguns países, que estão com inscrições abertas, programas do Governo, como o CAPES e o CNPq oferecem bolsas de estudos para estudantes cursarem universidades no exterior.

Pesquise as universidades que oferecem o curso que você quer fazer e se candidate! Estudar na Europa vai te fazer crescer e viver uma nova cultura. Uma experiência única para levar para toda a vida! Se você pretende estudar de graça na Europa (ou pagando), saiba que é preciso ter um seguro de viagem Europa para entrar nos países do Espaço Schengen. Entenda tudo no nosso guia essencial.
Gostou? Deixe seu comentário e leia também como é morar na Europa na opinião de uma brasileira.

Carolina é luso-brasileira, jornalista e especializada em Comunicação Empresarial. Desenvolve e revisa conteúdos para diversas mídias. Adora viajar o mundo, conhecer novas culturas e escrever sobre suas experiências. Tem prazer em dar dicas de restaurantes, hotéis e também em ajudar brasileiros que desejem morar em outro país.

Amanda Corrêa é brasileira, jornalista, mora na Europa desde 2014. Possui Mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, experiência na área de assessoria de imprensa e televisão. Já morou na Inglaterra e atualmente mora em Portugal. Amanda já visitou 15 países do mundo, ama viajar e conhecer novas culturas e gastronomias. É co-fundadora do site Vagas pelo Mundo, apresentadora do podcast "Partiu Morar Fora" e produtora de conteúdo para diversos portais.

Artigos relacionados

Family Search: saiba se é seguro e como funciona

Para ajudar a conectar familiares existe o Family Search, ferramenta que coleta, preserva e compartilha registros genealógicos no mundo todo.

Apostila de Haia: o que é, como fazer e quanto custa

Entenda o que é a Apostila de Haia, por que ela ajuda quem quer morar fora do Brasil, quais documentos pode apostilar e onde apostilar.

Carta de motivação: modelos e dicas para preparar o documento

Confira dicas para preparar uma carta de motivação, um modelo desse documento e veja exemplos de como escrevê-la para intercâmbio, mestrado e universidade.

Países fáceis de imigrar: veja os 4 mais receptivos da Europa

Confira a lista de países fáceis de imigrar e descubra o porquê da facilidade. Veja como é a adaptação, visto e burocracias para brasileiros nesses países.

Cidades que pagam para morar: 10 regiões encantadoras

Confira a lista de cidades que pagam para morar ou dão moradia ou terreno e veja quais são as condições para isso. Há várias na Europa.

Conseguir emprego no exterior ainda no Brasil: dicas úteis

Conseguir emprego no exterior não é uma tarefa fácil, mas temos dicas para fazer um bom currículo, onde procurar vagas e os melhores países para trabalhar.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube