Está planejando uma viagem para a Europa? Quer seja para passar férias, intercâmbio ou trabalho, é preciso ter todos os documentos necessários para evitar problemas na imigração do aeroporto. Um dos documentos exigidos é o comprovante financeiro para a Europa.

Confira o artigo abaixo e descubra como funciona a apresentação do comprovante financeiro para a Europa e o que é preciso fazer para entrar no continente sem problemas. Vamos lá?

Pergunta Resposta
Precisa de comprovante financeiro para entrar na Europa? Sim, é preciso comprovar que tem meios de se sustentar durante a estadia.
Quanto precisa comprovar para entrar como turista? Depende de qual país você vai entrar, no artigo abaixo mostramos alguns exemplos.
Quais documentos são aceitos como comprovante? Dinheiro em espécie, extratos do banco e do cartão de crédito, saldo disponível em conta-corrente e em conta internacional e limite de seu cartão de crédito.

Comprovante financeiro para a Europa é obrigatório?

Sim. O comprovante financeiro para a Europa é obrigatório para todos os estrangeiros que desejam entrar em qualquer um dos países do continente.

Ele serve para provar que o viajante tem como arcar com todos os custos durante a estadia na Europa. Assim, os governos locais não terão gastos com os turistas no país. Além disso, não ter como se sustentar durante essa estadia pode causar desconfiança de que você não pretende sair da Europa.

O comprovante deve ser apresentado para os agentes de imigração no país de destino. Nem sempre os oficiais solicitam os documentos, mas se eles pedirem e você não tiver o seu, pode ter sua entrada no país negada. Por isso, nunca viaje sem esse documento.

Documentos aceitos como comprovante financeiro para a Europa

Para entrar no velho continente, é necessário apresentar o comprovante financeiro para a Europa e provar que tem o mínimo para se manter durante a estadia. Se você tentar passar pela imigração com menos, pode gerar desconfianças sobre como pretende se manter durante sua viagem – e se tem intenção de voltar para casa.

Dentre a lista de documentos que servem como comprovantes financeiros para entrar na Europa, destacamos:

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →
  • Dinheiro em espécie;
  • Extratos do banco e do cartão de crédito;
  • Saldo disponível em conta-corrente;
  • Saldo em conta internacional;
  • O limite de seu cartão de crédito;
  • Se possui um cartão pré-pago internacional e o seu saldo.

Nunca deixe para mostrar os documentos online, dependendo de internet, energia e outros fatores que você não pode controlar. Por isso, sempre imprima todos os documentos e tenha em mãos.

Lembre-se de guardar seus documentos e papéis num envelope ou pasta com tudo organizado, para facilitar a amostragem ao agente da imigração, caso sejam pedidos.

Quanto é preciso comprovar para entrar na Europa a turismo?

O valor mínimo do comprovante financeiro depende do país de destino. Isso porque ele é estipulado de acordo com o custo de vida local. Porém, via de regra, cada pessoa deve comprovar que possui no mínimo 70€ para desembolsar por dia de viagem.

Outro valor de referência importante é comprovar que cada pessoa tenha pelo menos 600€ para todo o período da viagem, ainda que a estadia seja breve. Por esse motivo, é aconselhável levar uma quantidade de dinheiro em espécie ou em saldo de débito. Mas também se lembre de trocar seu dinheiro antes de viajar.

Veja o valor mínimo do comprovante financeiro nos principais países europeus.

Qual o valor mínimo exigido em Portugal?

Segundo o Consulado Geral de Portugal em São Paulo, cada pessoa deve ter 75€ na entrada do país e comprovar ter 40€ por cada dia de permanência. Assim, para uma pessoa permanecer 15 dias em Portugal, por exemplo, é necessário ter 675€, o que equivale a cerca de R$4.046 (cotação do euro 1€ = R$5,99 em fevereiro de 2022).

Vale lembrar que em Portugal não é obrigatório apresentar o comprovante financeiro caso você tenha uma carta convite ou um termo assinado por um cidadão português ou estrangeiro residente legalmente no país.

Qual o valor mínimo exigido na Espanha?

De acordo com o Consulado-Geral do Brasil em Barcelona, a quantidade mínima a ser comprovada é de 90€ por dia/pessoa, e um mínimo total de 810€ ou seu equivalente legal em moeda estrangeira.

Qual o valor mínimo exigido na França?

A Embaixada da França no Brasil recomenda que cada pessoa tenha como comprovar os seguintes valores:

Situação de viagem Valor
Tenha reserva de hotel 65€ por dia
Não tenha reserva de hotel 120€ por dia
Em caso de reserva parcial (que não cubra toda a estadia no país) 65€ por dia de reserva e 120€ para o resto da estadia
Se for se hospedar na casa de um amigo ou familiar 32,50€ por dia

Qual o valor mínimo exigido na Itália?

Para entrar na Itália também é exigido que se comprove a disponibilidade de meios de subsistência suficientes para a duração da estadia e para o regresso ao país de origem. No entanto, quem for por motivos de trabalho não precisa apresentar o documento.

Porém, nos sites oficiais do governo italiano ou mesmo no Consulado Brasileiro não há informações de quanto seja exigido. Mas, o ideal é que você leve pelo menos 60€ por dia de viagem.

Qual o valor mínimo exigido na Inglaterra?

A moeda da Inglaterra é a Libra, diferente dos outros países europeus. E como a moeda tem valor mais alto, pesa um pouco mais no bolso do brasileiro.

O indicado é sempre levar um valor em espécie, em torno de 500 libras por semana/pessoa, para economizar no IOF e pagar pequenos gastos do dia a dia. No entanto, não há informações oficiais sobre qual o valor mínimo exigido por dia de viagem, você deve sempre considerar o bom senso.

Para isso, confira neste artigo qual é o custo de vida na Inglaterra e planeje sua viagem.

Vale lembrar que, além da exigência de um valor mínimo, há também um limite de valor máximo: cada pessoa pode levar somente até R$10 mil (ou o equivalente em moeda estrangeira) em espécie sem a necessidade de declarar a quantia à Receita Federal.

Comprovante financeiro é exigido pela imigração
Valor do comprovante financeiro varia de acordo com cada país europeu

Precisa de comprovante financeiro para morar na Europa?

De maneira geral, os documentos exigidos para morar na Europa são os mesmos para quem viaja apenas a turismo. A diferença é que será necessário apresentar o visto específico para garantir a residência no continente.

No caso do comprovante financeiro para viver na Europa, pode ser necessário provar que você tem condições financeiras de permanecer no continente, caso não vá a trabalho. Você pode apresentar um contra cheque ou comprovante do limite do cartão de crédito, por exemplo.

Ou, no caso de quem vai estudar, pode ser uma declaração autenticada que será sustentado pelos pais enquanto estiver no país.

Os outros documentos são:

  • Passaporte válido;
  • Visto ou autorização de residência – estudo, trabalho ou investidor;
  • Seguro viagem, com cobertura para toda a estadia. Nesse caso é necessário um seguro viagem de longa duração;
  • Comprovante de hospedagem ou carta convite;
  • Carta de aceite da instituição de ensino, caso vá estudar na Europa;
  • Declaração da empresa, se for viajar para trabalhar.

Se você ainda não contratou o seu seguro viagem, utilize o nosso comparador de seguros para garantir o menor preço. Em parceria com o Seguros Promo, garantimos as melhores ofertas aos nossos leitores.

Outros documentos exigidos para entrar na Europa

Para entrar em qualquer país, é necessário apresentar uma série de documentos importantes para confirmar sua identidade e intenções durante a estadia. Por isso, além da comprovação financeira, existem outros documentos exigidos para viajar para a Europa:

  • Passaporte válido: no caso dos países do Tratado de Schengen, seu passaporte precisa ter pelo menos três meses de validade após a data esperada para o fim da viagem. Também deve conter, ao menos, duas páginas em branco;
  • Seguro viagem: é obrigatório ter um seguro com cobertura de no mínimo 30.000€ para entrar nos países membros do Tratado de Schengen. Faça a cotação do seu seguro viagem aqui;
  • Comprovante de hospedagem: reserve seu hotel antes de sair do Brasil. Imprima e leve com você todos os comprovantes de reserva, pois eles querem saber onde você vai ficar hospedado;
  • Carta convite: se em vez de pagar um hotel por conta própria, você está indo a convite de um amigo ou de uma instituição, você precisa apresentar uma carta convite. O documento é assinado pelo seu anfitrião, que confirma ser responsável por recebê-lo;
  • Passagem de volta: ter a passagem de retorno é obrigatório na lista de documentos para viajar para Europa. A passagem pode ser de retorno para o Brasil ou qualquer outro destino fora da Europa;
  • Visto: dependendo do motivo da viagem e destino, você pode precisar de um visto para Europa.

Algumas dicas extras

É extremamente importante que, além de ter ao alcance das mãos todos os documentos necessários para entrar na Europa, você possa comprovar renda para entrar no continente e se manter no período de sua viagem.

Por isso, mesmo que você já tenha tudo pago e esteja levando dinheiro mais do que o suficiente, tenha o comprovante financeiro para a Europa consigo. O melhor que pode fazer é reunir todas as informações para verificação e provar que tudo está dentro da legalidade.

Conheça as melhores opções para levar dinheiro para o exterior.

Se eu não tiver o comprovante financeiro para Europa posso ser barrado na imigração?

Sim. Se o oficial de imigração pedir um comprovante financeiro e você não tiver, ele pode impedir sua entrada no país. Aliás, em 2018, último ano com dados divulgados, o número de brasileiros impedidos de entrar na União Europeia foi de 4.984 pessoas. Os dados foram registrados pela Frontex, agência europeia de controle das fronteiras do bloco.

Segundo a agência, os brasileiros foram majoritariamente barrados pela falta de visto válido ou permissão de residência e a falta de documentos que justifiquem a viagem ou as condições de permanência.

Não arrisque. Se você, por algum motivo parar no radar da imigração, pode levar horas até ser liberado ou ser mandado de volta caso falte algo, o que com certeza atrapalhará seu itinerário.

Leia também nosso artigo sobre Leis da Europa que você precisa conhecer antes de viajar.