Fazer um intercâmbio na Alemanha é uma oportunidade incrível para quem busca não apenas aprimorar suas habilidades no idioma alemão, mas também mergulhar em uma cultura rica e diversificada.

Conhecido por sua excelência em educação e inovação, o país oferece uma variedade de programas de intercâmbio em suas renomadas universidades e instituições de ensino, abrindo portas para você se desenvolver profissionalmente em um ambiente internacional. Confira as nossas dicas e o relato de quem viveu essa experiência!

Como fazer um intercâmbio na Alemanha?

Há diversas possibilidades, mas o mais indicado é por meio de uma agência de intercâmbio ou de uma escola de idioma reconhecida. Principalmente se você não conhece ninguém que já more no país e que possa dar um auxílio.

É sempre bom ter uma assistência ou a quem recorrer em momentos de necessidade. Seja optando por uma agência ou não, o planejamento do intercâmbio deve ser bem-planejado e iniciado com pelo menos seis meses de antecedência.

Planeje-se para o intercâmbio

Ao planejar seu intercâmbio, é essencial considerar não apenas os custos previstos, mas também reservar um orçamento para despesas inesperadas (que, querendo ou não, sempre acabam surgindo). Também vale preparar-se mentalmente para enfrentar os perrengues que surgem no caminho.

Além disso, é comum que intercambistas comecem estudando o idioma local e, em seguida, aproveitam oportunidades acadêmicas ou profissionais, o que pode levar a uma extensão da estadia e, em alguns casos, até a uma mudança permanente para a Alemanha.

Uma dica que pode ajudar a diminuir essa “ansiedade” é estabelecer objetivos claros para o seu intercâmbio, sejam eles educacionais, profissionais ou pessoais. E claro, tenha um plano flexível, que permita ajustes conforme as circunstâncias mudam. Isso inclui estar aberto a diferentes oportunidades que possam surgir durante sua estadia, como estágios, projetos de pesquisa ou redes de contatos, que podem enriquecer ainda mais sua experiência ao morar na Alemanha.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Melhores agências de intercâmbio para a Alemanha

Caso opte por uma experiência com o suporte de uma agência,  deixamos aqui uma lista com as melhores:

Vale a pena contratar agência de intercâmbio?

Com certeza!

Acredito que contratar uma agência de viagem para um intercâmbio pode ser vantajoso, especialmente para quem está realizando um intercâmbio pela primeira vez.

A Beeducation é uma opção de agência para quem quer fazer intercâmbio na Alemanha, com cursos disponíveis em Berlim e parceria com escolas renomadas da região. O atendimento é bem personalizado e o orçamento é planejado conforme as suas necessidades. Essa agência é a nossa principal indicação!

Quais são os tipos de intercâmbio na Alemanha?

Além do aprendizado de alemão, há outros tipos de vivências possíveis no país, como o intercâmbio escolar, o acadêmico ou os que envolvem trabalhos, voluntários ou pagos, como de Au-pair. Vamos explicar rapidamente cada uma deles aqui, mas neste artigo focaremos no intercâmbio do idioma alemão.

Intercâmbio escolar

O intercâmbio escolar normalmente acontece na adolescência, em que o participante frequenta a série equivalente a que estaria estudando no Brasil, e mora na casa de uma família local.

A ideia de intercâmbio surgiu de uma prática em que dois estudantes “trocariam de lugar”, um brasileiro mudaria para a casa de uma família na Alemanha, e o alemão iria para a casa da família no Brasil, por exemplo. Essa ideia de troca, porém, nem sempre acontece, ainda assim manteve-se o uso da palavra intercâmbio.

Intercâmbio acadêmico

Na Alemanha, o intercâmbio acadêmico é mais comum para brasileiros. Isso porque muitas universidades oferecem cursos em inglês, o que não é o mesmo caso para escolas, dificultando a vinda de adolescentes para estudar na Alemanha.

Assim como o programa Erasmus, oferecido entre universidades da Europa, é possível fazer uma parte do curso na Alemanha, sendo estudante de uma universidade pública no Brasil. Também é comum que estudantes ganhem bolsas de estudo para mestrados ou doutorados em universidades alemãs, ou participem de programas específicos oferecidos pelo governo.

A brasileira Michelle Alves escolheu Berlim para fazer o intercâmbio na Alemanha.
Michelle Alves decidiu ir estudar em Berlim após conhecer a cidade em um mochilão em 2019. Foto: Felipe Minnicelli

A brasileira Michelle Alves veio morar em Berlim para fazer seu mestrado em Marketing Digital. Ela conta que este sonho surgiu em 2015, após finalizar seu primeiro intercâmbio como Au Pair nos Estados Unidos.

“Levou algum tempo para me organizar, não só financeiramente, mas também psicologicamente. Minha vontade era fazer um mestrado no Reino Unido, mas me desmotivava muito o valor dos cursos e do custo de vida por lá…

Então, quando conheci mais sobre as possibilidades de fazer um mestrado na Alemanha, comecei a pesquisar instituições particulares onde os cursos seriam ensinados em inglês (já que não sei o alemão), e acabei encontrando a faculdade onde cursei Marketing Digital.

Para o processo de inscrição, a criadora de conteúdo, que já tem 10 intercâmbios na bagagem, comenta que os documentos necessários foram:

  • Carta de motivação;
  • Carta de recomendação;
  • Histórico escolar;
  • Prova de proficiência em inglês com nota de pelo menos 6.5.

“Após ser aceita pela faculdade, foi só fazer as malas e vir para Berlim!”.

Intercâmbio de alemão

De maneira geral, qualquer tipo de intercâmbio vai apresentar o idioma ao intercambista, e, muitas vezes, até ajudar a sair falando alemão por aí, como o trabalho de Au pair na Alemanha, por exemplo. Já outros tipos, como o acadêmico, podem ajudar menos nesse lado, com aulas normalmente em inglês e o convívio, principalmente, com estudantes internacionais.

Então, a opção ideal para aprender o idioma é focar nisso na maior parte do tempo enquanto estiver por aqui. E acredite, esse tempo deve ser muito bem aproveitado para que se obtenha bons resultados no domínio do alemão.

Principais cursos e instituições para intercâmbio na Alemanha

Existem diversas instituições que oferecem cursos de idioma para fazer intercâmbio na Alemanha. Algumas agências possuem parceria com certas instituições, mas você pode entrar em contato diretamente com os cursos, caso não queira o suporte da agência. Confira a lista com algumas das principais instituições:

Goethe-Institut

A vantagem do Goethe-Institut, além de ser mundialmente reconhecido por seus cursos de alemão de alta qualidade, está na sua ampla presença em diversas cidades da Alemanha, oferecendo maior flexibilidade na escolha do local de estudo.

A instituição tem uma variedade de cursos, incluindo programas intensivos, cursos voltados para negócios e preparação para exames. Porém, os custos dos cursos costumam ser bem mais elevados em comparação com outras opções, o que é justificado pelo prestígio e reconhecimento da marca.

Carl Duisberg Centren

Com sede em Colônia e unidades em outras cinco cidades alemãs (Berlim, Marburg, Munique, Radolfzell am Bodensee e Saarbrücken) a Carl Duisberg Centren também é uma instituição conhecida por seus cursos de alemão, oferecendo programas que vão desde cursos gerais até preparação para exames e alemão para negócios.

DID Deutsch-Institut

Muitas agências possuem parceria com o DID Deutsch-Institut por ser uma das escolas mais prestigiadas do país. A escola tem convênio com o Mensa, a cantina das universidades locais, oferecendo aos alunos a oportunidade de experimentar a atmosfera das instituições de ensino superior alemãs. Aqui, as opções para estudar são em Berlim, Frankfurt, Hamburgo e Munique.

Humboldt-Institut

Se você está decidido em ficar em Berlim, quer vivenciar o dia a dia na capital alemã e dispõe de um orçamento mais folgado, o Humboldt-Institut pode ser uma opção excelente para fazer seu intercâmbio na Alemanha.

A instituição se destaca como uma das melhores opções para cursos de idiomas em Berlim, com turmas compactas e professores altamente qualificados.

Alpadia Language School

Outra opção bacana é a Alpadia Language School, que possui parceria com a Beeducation para quem quer fazer intercâmbio na Alemanha. A escola oferece um ótimo custo-benefício, tem diferentes modalidades de cursos em Berlim e Freiburg, uma cidade super charmosa na parte sul da Alemanha, perfeita para uma imersão no país.

Durante o mestrado na Alemanha, a brasileira Michelle Alves também aproveitou para fazer um curso intensivo de alemão na cidade. “No começo desse ano estudei alemão durante 4 semanas na Alpadia. O valor foi 445€ por semana, com material e acomodação em casa de família com café da manhã”.

O que precisa para fazer intercâmbio na Alemanha para aprender alemão?

Já mencionamos a importância do planejamento mental e financeiro antes de fazer um intercâmbio na Alemanha. Mas, além disso, o que é bom ter em conta na preparação?

  • Preste atenção em todos os requisitos do curso de alemão para fazer a escolha certa. Geralmente há uma idade mínima, por exemplo, e nem todas as escolas aceitam menores de 18 anos;
  • Leia e procure saber bastante sobre o país antes de aventurar-se por aqui. Por tratar-se da cultura da Alemanha, as pessoas esperam um comportamento diferente do que estamos acostumados;
  • Idealmente, aprenda o básico de alemão. Se você vai começar do zero, tente, antes de iniciar o intercâmbio, fazer aulas de alemão em um aplicativo de idiomas ou em uma escola no Brasil. Não dá tempo de aprender muita coisa, mas ter noções básicas pode auxiliar nos primeiros dias de vivência no país;
  • Prepare seu psicológico para estar aberto a conhecer gente e a lidar com situações nem sempre simples de se resolver. Algumas sessões de terapia ou vídeos de experiências de outras pessoas podem ajudar.

Melhores cidades para fazer intercâmbio na Alemanha

Outro ponto importante no momento de tomar a decisão de se fazer um intercâmbio é em que cidade morar na Alemanha. Para o objetivo de se aprender o idioma, essa decisão será particularmente importante.

Nós, que vivemos no país, sabemos que é bem diferente a experiência de quem mora em cidades grandes, como Berlim e Munique, comparada com uma cidade menor. E a diferença pode ser ainda mais crítica se essa cidade estiver mais isolada e longe de cidades grandes.

Dominar o alemão requer uma prática diária e conversar com as pessoas na rua para se soltar é um passo essencial para quem quer chegar lá mais rápido. Morar em uma cidade como Berlim é ter ao seu redor mais gente falando inglês, em algumas situações, do que alemão. Portanto, em geral, se o objetivo é aprender com mais rapidez, a recomendação é optar por uma cidade menor.

Porém, há quem prefira os grandes centros. Michelle Alves conta que optou por Berlim, e não mudaria sua escolha.

“Eu amo a cidade, amo a sua diversidade, amo o fato de ser super vegan friendly (sou vegana desde 2016). Berlim é multicultural, sempre tem algo novo para fazer, eu adoro morar aqui!”, completa.

Mas, se você quer se aventurar nas cidades menos óbvias, confira algumas opções:

Heidelberg

Com uma das melhores universidades da Alemanha e uma arquitetura incrível, Heidelberg oferece um ambiente acadêmico rico e é menos dominada pelo inglês em comparação com as grandes cidades.

Centro de Heidelberg, na Alemanha
Apesar de turística e universitária, Heidelberg oferece o ambiente perfeito para uma imersão na língua.

Freiburg

Tão encantadora quanto Heidelberg, Freiburg está situada na região da Floresta Negra e também é conhecida por sua universidade, além da qualidade de vida. É uma cidade onde o alemão predomina, sendo perfeita para uma imersão.

Tübingen

Esta cidade histórica oferece um cenário bem interessante para aprender alemão. Sua universidade, uma das mais antigas da Europa, atrai estudantes do mundo todo, mas a língua predominante nas ruas e nas aulas é o alemão.

Göttingen

Com uma mistura de medieval e contemporâneo, essa cidade universitária é bastante conhecida por sua atmosfera acadêmica, mas no dia a dia, o alemão é amplamente falado.

Aachen

Aache costuma atrair profissionais e estudantes de todo o país por ser uma das cidades mais baratas para morar na Alemanha. Famosa por sua universidade técnica, tem uma população estudantil bem expressiva e oferece um ambiente propício para aprender alemão.

Quanto custa intercâmbio de alemão na Alemanha?

Os preços de um intercâmbio na Alemanha para aprender alemão podem variar bastante dependendo da cidade escolhida, do período que você planeja ir para estudar e da duração do curso.

A Beeducation, uma empresa especializada em intercâmbios, oferece opções de cursos de idioma em Berlim com duração de 4 semanas a partir de R$ 5.645,34.

Na tabela abaixo, fizemos a cotação com três agências para o período de 4 semanas de curso de alemão:

Agência de intercâmbio Beeducation EF Education First CI Intercâmbio
Valor do curso R$ 5.645,34 USD 3.060 = R$ 15.104,77* R$ 5.247,10
Duração do curso 4 semanas (15h/semana) 4 semanas
(17h/semana)
4 semanas
(15h/semana)
Valor com acomodação R$ 12.637,03 USD 3.930 = R$ 19.399,27* R$ 12.885,10
Tipo de acomodação Quarto privativo em casa de família com duas refeições por dia Quarto duplo em casa anfitriã com duas refeições por dia Quarto privativo em casa de família com duas refeições por dia

* Cotação do dia 18 de dezembro de 2023.

Deve-se considerar que esses valores são apenas do curso, moradia e algumas refeições, sem considerar os demais gastos que fazem parte do custo de vida na Alemanha como alimentação, transporte e outras necessidades do dia a dia.

No caso da EF, o custo final já inclui seguro viagem e saúde internacional, algo bem importante de considerar no seu planejamento.

Custo de vida de um intercambista na Alemanha

Os custos de vida para um intercambista na Alemanha podem variar bastante dependendo de vários fatores. Cidades maiores, como Berlim, Munique ou Hamburgo, geralmente são mais caras em comparação com as menores. No entanto, muitas vezes as cidades pequenas da Alemanha não são os destinos mais procurados, devido à menor variedade de cursos disponíveis ou potenciais desafios de adaptação.

Tirando a moradia, que frequentemente pode ser incluída no pacote do curso, outros custos a serem considerados são: alimentação além da fornecida pelo anfitrião, transporte, material didático (em alguns casos) despesas pessoais, entre outros.

Confira a tabela a seguir com alguns valores com base nas informações retiradas do site Numbeo.

Cidade Berlim Munique Hamburgo
Refeição em restaurante barato 12€ 15€ 15€
Transporte
(passe mensal)
49€ 49€ 49€
Ticket Cinema 12,57€ 13€ 13,75€

Também é importante considerar o estilo de vida do estudante. Se você é do tipo que gosta de comer fora com frequência, planeja passeios ou viagens de fim de semana durante o curso, ou deseja incluir outras atividades de lazer na sua rotina, esses fatores influenciarão no custo total da sua estadia na Alemanha.

De qualquer forma, é interessante observar que a diferença de custo entre as principais cidades alemãs não é tão grande, especialmente após a implementação do Deutschlandticket. Este é um passe mensal com um valor fixo de 49€ que permite viagens ilimitadas em todos os meios de transporte público do país.

Documentos para fazer intercâmbio na Alemanha

  • Seguro viagem Alemanha com cobertura mínima de 30.000€ para as despesas médicas e hospitalares;
  • Comprovação financeira para bancar o custo de vida no período (para uma estadia de 1 ano, esse valor é de 10.332€ bloqueados em uma conta bancária);
  • Contrato ou comprovante do local onde ficará durante o intercâmbio.

Toda a documentação pode ser providenciada com o suporte da agência. Como mencionamos, é possível também fechar o curso com uma escola de idiomas e fazer tudo de maneira independente, mas ter a ajuda de quem já tem experiência no assunto é bem melhor para evitar ciladas.

Precisa de visto para fazer intercâmbio na Alemanha?

Para intercâmbios de curta duração, de até três meses, não é necessário solicitar um visto de estudante na Alemanha. No entanto, ainda são necessários alguns documentos e procedimentos, como os que citamos acima.

Visto é necessário para intercâmbio na Alemanha com mais de 3 meses.
Se o intercâmbio na Alemanha ultrapassar os 3 meses, o visto deve ser providenciado.

Caso você decida prolongar o período de três meses já estando no país, o visto para estudar na Alemanha pode ser solicitado aqui mesmo.

Porém, a solicitação deve ser feita com alguma antecedência, preferencialmente 45 dias antes de fechar os três meses, e o curso de alemão deve ser intensivo para o visto ser emitido, ou seja, no mínimo 18 horas semanais.

No caso da Michelle Alves, o processo foi semelhante.

“O visto de estudante eu tirei em Berlim, um mês após ter chegado na cidade. Levei a carta da faculdade, passaporte, Anmeldung e a comprovação financeira, que ao meu ver é o passo mais desafiador do processo de visto de estudos na Alemanha.

É preciso bloquear em uma conta cerca de 11 mil € para comprovar ao governo que você pode se manter por aqui ao longo dos primeiros 12 meses de curso. Uma outra é ter alguém no Brasil que seja seu sponsor e esteja disposto a te ajudar com as despesas durante o seu curso superior”, pontua.

Qual o tempo ideal de um intercâmbio na Alemanha?

Não há tempo ideal para um intercâmbio na Alemanha quando se está aprendendo alemão.

Diferente de aprender espanhol e outras línguas latinas, que se aprende rápido conversando com nativos, para o alemão é necessário estudar antes de sair falando, além de ser persistente.

Alunos assistindo à aula presencial.
A melhor maneira de ficar fluente durante um intercâmbio é praticando o idioma fora das aulas.

Como mencionamos antes, começar com aulas de alemão ainda no Brasil pode ajudar bastante, pois é mais tranquilo ultrapassar a barreira para começar a usar o idioma e se comunicar com mais facilidade.

Já nos casos de quem vem ao país sem saber nada, serão necessários pelo menos uns seis meses para chegar a um nível intermediário, em que é possível se comunicar com desenvoltura, porém não em tópicos avançados, com vocabulário mais extenso. Não se trata, portanto, de um tempo ideal, mas de uma média de quem já passou pela experiência.

É possível ficar fluente em alemão durante o intercâmbio?

A resposta para essa pergunta não é muito direta. É sempre possível alguém tornar-se fluente em um idioma, mas cada pessoa tem suas habilidades e usa diferentes métodos ao aprender uma nova língua.

O alemão, como já sabemos, não é dos idiomas mais fáceis e nem muito parecido ao português. Para quem sabe inglês, ajuda em partes, mas a estrutura é um pouco mais complicada, com pronúncia e vocabulário bem diferente.

Eu, Ana Carolina, por exemplo, fiz um curso de integração na Alemanha quando me mudei, com duração de 8 meses. Estudando o idioma diariamente, cheguei ao nível B1, mas não acho que tenha vocabulário suficiente para me considerar fluente — mesmo vivendo no país há quase dois anos. De qualquer forma, sei o suficiente para me comunicar no dia a dia e resolver algumas coisas mais burocráticas.

Também é importante considerar o que realmente significa ser fluente em um idioma. De modo geral, se para você fluência envolve manter conversas básicas, onde podemos falar sobre nossas experiências, compartilhar informações pessoais, falar sobre nossas atividades e fazer perguntas sobre a vida da outra pessoa, então, sim, acredito ser possível alcançar um nível de fluência em alemão em cerca de seis meses, com muita prática!

Tempo médio de aprendizado

Há estudos que comprovam que entre seis e sete meses seria um período suficiente para aprender alemão, constatando que são necessárias de 750 a 900 horas de estudos do idioma, ou 30 a 36 semanas em média, para ter algum domínio.

Comparando com japonês e chinês, em que são calculadas quase 90 semanas de estudo, não está tão difícil assim.

É possível trabalhar no intercâmbio na Alemanha?

Indo direto ao ponto, trabalhar na Alemanha durante um intercâmbio de idioma é bem complicado.

Caso esteja apenas com a entrada como turista, no período de três meses, não é possível trabalhar. As regulamentações são bem rígidas por aqui, portanto, nem tente contorná-las. Para o visto de residência mencionado acima também não é permitido o trabalho, pois considera-se que a pessoa esteja aqui apenas para os estudos.

Uma opção seria entrar em intercâmbio de Au Pair, assim pode-se estudar o idioma, por menos horas, e receber um salário, além de praticar alemão diariamente com a família.

No intercâmbio acadêmico é mais fácil

Já em um intercâmbio acadêmico, as possibilidades são diferentes, e pode-se trabalhar com uma carga horária de 20 horas por semana, nos chamados minijobs na Alemanha.

Vale lembrar que estágios não estão incluídos nesta opção.

Dicas para fazer seu intercâmbio na Alemanha

Bom, a primeira coisa a fazer é verificar a necessidade de visto, dependendo da duração e do tipo de intercâmbio que você quer fazer.

A segunda dica é investir um pouco no aprendizado prévio do alemão antes de se jogar em uma viagem de intercâmbio na Alemanha. Na verdade, isso vale para qualquer idioma, não só para o alemão. Sempre sugiro que o intercâmbio seja feito quando você já atingiu o nível intermediário.

Mas por que fazer isso? Acredite, lidar com as burocracias e outras situações do dia a dia não é nada fácil sem um conhecimento básico da língua. Isso facilitará sua adaptação e tornará seu intercâmbio muito mais proveitoso.

Além disso, procure conhecer ao máximo a cultura e familiarizar-se com os costumes locais antes de embarcar, a fim de minimizar o choque cultural. Tente também sair da sua zona de conforto e considere cidades menores para uma imersão mais profunda.

Por fim, planeje seu orçamento cuidadosamente, considerando o custo de vida e possíveis despesas extras!

O canal Alemanizando fez um vídeo super bacana com as principais dúvidas sobre estudos e intercâmbio na Alemanha, com a Michelle Alves. Confira:

Vale a pena fazer intercâmbio na Alemanha para aprender alemão?

A resposta aqui é bem fácil, sim, vale a pena fazer intercâmbio na Alemanha. Por vários motivos diferentes, incluindo o fato da língua ser falada por cerca de 130 milhões de pessoas, e em países de importante economia e participação na política global.

“Tanto o mestrado quanto o curso intensivo foram experiências muito engrandecedoras de viver. Eu sou muito grata pelas oportunidades que a vida me dá, e acredito que são únicas!”, finaliza Michelle.

Além disso, a vida na Alemanha é boa, o país é bem organizado, culturalmente diverso e com muitas paisagens urbanas e naturais que merecem uma visita. Fora a história rica que pode ser explorada em cada cidade e região, e as peculiaridades culturais, como gastronomia, artes e vida noturna animada, principalmente nas grandes cidades.

Outro fator importante é que o país não é dos mais caros da Europa, o que pode facilitar um pouco a vida dos intercambistas. E ele está no meio do continente e rodeado por vários outros países que podem ser visitados também nesse período. Boa sorte e bom intercâmbio para você!