O trabalho freelancer certamente vem crescendo no mundo todo. Segundo a plataforma Workana, só no Brasil houve um aumento de 33% em 2020. Uma das vantagens de trabalhar sem vínculo empregatício é que permite que você ofereça serviços para diferentes países. Por isso, muitos brasileiros querem trabalhar como freelancer na Europa.

Mas, será que vale a pena? Confira no artigo abaixo quais são os países que oferecem os melhores vistos para quem deseja trabalhar como freelancer na Europa. Ainda, veja se vale a pena morar no continente e prestar serviços para o Brasil. Vamos lá?

É possível trabalhar como freelancer na Europa?

Sim! É possível trabalhar como freelancer na Europa legalmente porque alguns países já oferecem visto de trabalho freelancer. E, claro, com o avanço da tecnologia, fica mais fácil trabalhar de qualquer lugar do mundo com uma boa conexão de internet!

Mas, primeiro vamos entender o que é um trabalho freelancer.

O que é ser freelancer?

Isso significa que você não tem um vínculo empregatício com uma empresa e pode decidir quando e onde trabalhar. Ou seja, o freelancer é um profissional que vende bens ou serviços sem ter vínculo de trabalho ou contrato de tempo integral com uma única empresa. Algumas pessoas trabalham com contratos formais, mas não é uma exigência.

Sendo assim, muitas pessoas querem essa comodidade. Vale lembrar que você pode tanto morar no Brasil e prestar serviços freelancers para a Europa ou morar em algum país Europeu e prestar serviços por lá.

E com o uso da internet e todos os aplicativos online, é possível oferecer serviços de diversas formas. Se você mora no Brasil, certamente pode trabalhar como freelancer para empresas na Europa com produção de conteúdo, tradução, design, entre outros. Da mesma forma, se você vive na Europa, também pode prestar serviço para empresas brasileiras.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Precisa enviar dinheiro para outro país?

Depois de testarmos as principais alternativas do mercado (Paypal, Western Union, Moneygram, etc), a plataforma que nós recomendamos é a Wise. É seguro, rápido e fácil de utilizar.

Ver Cotação →

Melhores países para ser freelancer na Europa

Escolher um país para ser freelancer é uma tarefa que demanda bastante pesquisa. Isso porque, você deve considerar alguns pontos que vão além do visto, como:

  • Custo de vida;
  • Qualidade de vida;
  • Facilidade de obter documentos por conta própria;
  • Acesso a serviços de saúde;
  • Recepção a imigrantes;
  • Visto para autônomos e freelancers;
  • Idioma.

Para ajudar, veja quais são alguns dos melhores países para trabalhar como freelancer na Europa.

Portugal

Para quem busca por qualidade de vida e facilidade, morar em Portugal é uma excelente opção. Isso sem contar, é claro, o idioma. Além de ter um visto adequado para trabalhadores autônomos, o país foi eleito pela Global Peace Index em 2021 como o 4º país mais seguro do mundo e, segundo a Forbes, está entre os 9 países mais baratos para se viver.

Alemanha

Além de oferecer um visto com possibilidade de trabalho freelancer, a Alemanha é uma das economias mais sólidas do mundo. Também oferece muitas oportunidades aos jovens, deixando-lhes espaço para a iniciativa. Além disso, o país tem excelente qualidade de vida. Mas, vale lembrar o alemão é um idioma bastante difícil de aprender.

Espanha

A Espanha é outro país que os brasileiros escolhem para morar, seja pela facilidade da língua, qualidade de vida e até o clima que em algumas épocas do ano é bastante parecido com o do Brasil.

Polônia

Se você busca por um custo de vida barato, a Polônia é o lugar certo. Além disso, o país é a sede de muitas multinacionais, por isso, para você conseguir um bom trabalho freelancer não precisa saber polonês, mas inglês.

Inglaterra

A Inglaterra também é um excelente país para freelancers. No país a moeda é a libra esterlina, muito valorizada em relação ao real. Além disso, você pode conseguir um visto de trabalho sazonal que permite a estadia de até dois anos. Por outro lado, é importante lembrar que o custo de vida na Inglaterra é bastante alto.

Melhores vistos para freelancers na Europa

Na Europa alguns países já oferecem visto para freelancers. Aliás, alguns países ainda não estão nessa lista, mas já anunciaram o interesse em criar vistos para nômades digitais, autônomos e freelancers, como Grécia e Croácia. Veja os países com as melhores opções de visto para freelancers.

Portugal

Um dos países mais fáceis de ser freelancer na Europa é Portugal. Isso porque o país tem um visto especialmente para autônomos, investidores e empreendedores, o Visto D2. Vale lembrar que para conseguir o visto como autônomo pode ser necessário apresentar alguma promessa ou contrato de prestação de serviços que comprove um convite para atuar profissionalmente no país.

Trabalhar como freelancer na Europa

Ao solicitar o visto D2 você pode ficar no país por 4 meses. Após esse período é preciso solicitar uma Autorização de Residência, que permitirá a permanência por mais 1 ano. A autorização pode ainda ser renovada por períodos de 2 anos, mas é preciso comprovar que continua exercendo atividades profissionais. Então, depois de 5 anos já é possível pedir um visto de residência permanente ou cidadania portuguesa.

Espanha

Quem deseja trabalhar como freelancer na Espanha pode solicitar o visto de residência e trabalho autônomo. Mas, vale lembrar que o processo é um pouco complexo e são exigidos alguns pré-requisitos como comprovar qualificação e experiência profissional, demonstrar o projeto de negócio ou atividade a ser realizada e ter meios financeiros tanto de subsistência como para implementação do projeto.

Esse visto permite a permanência na Espanha por 1 ano.

Alemanha

A Alemanha também é um excelente país para quem quer trabalhar como freelancer na Europa. Aliás, ela foi pioneira ao oferecer visto para freelancers de até 3 anos e pode ser prorrogado por mais 3 anos. Aliás, após esse período o visto pode ser convertido em autorização de residência.

Mas, para solicitar esse visto é preciso comprovar que você já possui clientes no país, já que um dos seus objetivos é fomentar a economia local.

Estônia

A Estônia é conhecida como o paraíso dos nômades digitais, ela oferece um visto para freelancers que permite a estadia de até um ano, aliás foi o primeiro país do mundo a oferecer essa opção.

Para conseguir o visto de nômades digitais é preciso comprovar a capacidade para desenvolver o seu próprio trabalho, independente de onde estiver e trabalhar de forma remota, pela internet. Também é necessário comprovar a renda mensal de pelo menos 3.504€ (renda total) nos seis meses anteriores à inscrição.

É possível morar na Europa e trabalhar como freelancer para o Brasil?

Sim, é possível morar na Europa mas trabalhar para o Brasil.

Aliás, essa é a realidade de muitos brasileiros que sonham em morar no velho continente. Para isso, o ideal é que você tenha um visto de nômade digital, empreendedorismo ou autônomo, como citamos acima.

Também, essa pode ser uma excelente experiência e as empresas costumam valorizar a vivência internacional ao contratar os freelancers.

Uma das desvantagens disso é que ganhar em Real e pagar em Euro ou Libra não é fácil, já que a moeda brasileira pode custar de 6 a 7 vezes menos que as europeias. Então, é sempre necessário atenção à cotação do câmbio e como receberá os seus pagamentos internacionais.

É possível morar no Brasil e trabalhar como freelancer na Europa?

Também é totalmente possível morar no Brasil e trabalhar como freelancer na Europa. Para isso, basta procurar trabalhos remotos que aceitem brasileiros.

Algumas das vantagens desse método são os horários flexíveis, diminuição de gastos com deslocamentos, a possibilidade de viajar e se deslocar para outras cidades enquanto trabalha e claro, o pagamento em moedas muito mais valorizadas que o Real, como Euro ou Libra.

No momento de receber o pagamento dos serviços prestados no exterior, o trabalhador deve pagar alguns impostos como IOF. Além disso, é preciso apresentar alguns documentos. Mas, a boa notícia é que atualmente esse processo é bastante fácil e econômico com as plataformas digitais como a Wise e a Remessa Online, por exemplo.

Como conseguir emprego freelancer na Europa morando no Brasil

Para conseguir trabalhos como freelancer na Europa você deve buscar por trabalhos remotos, que permitam que o contratado esteja em qualquer lugar do mundo. Para isso, uma dica é usar as redes sociais como Facebook e, principalmente, Linkedin.

Ainda, uma das melhores opções para pesquisar vagas no exterior é utilizar os sites de emprego em diversos países. Nestes você pode pesquisar pelo tipo de serviço que procura, país, salário e outras variantes.

Vale a pena trabalhar como freelancer na Europa?

Sim! Trabalhar como freelancer na Europa é uma excelente opção para quem quer aliar a qualidade de vida que o continente europeu oferece com a liberdade de um trabalho freelancer.

Apesar disso, deve-se atentar ao custo de vida na Europa e acesso a serviços de saúde, que nem sempre estão disponíveis para trabalhadores autônomos. Também, quem quer morar na Europa, mas continuar trabalhando como freelancer no Brasil, precisa fazer um bom planejamento financeiro para aliar o custo de vida com a desvalorização do real. Entendendo esses pontos negativos, é inegável que vale a pena trabalhar como freelancer na Europa. Algumas das principais vantagens são:

  • Oportunidades de empregos em diversos países;
  • Qualidade de vida;
  • Aprimoramento do currículo;
  • Liberdade.

Tudo isso sem contar que os salários costumam ser mais atrativos que no Brasil, principalmente por conta da valorização da moeda.

Dicas finais

Se você gostou dessas dicas e está pensando em morar na Europa e trabalhar como freelancer por lá, veja o nosso Ebook Sonho de Viver na Europa. Um livro de inspiração que conta a história de brasileiros no Velho Continente, veja todas as vantagens e desvantagens de ser um imigrante na Europa!