Na coluna anterior, falei da minha experiência em buscar emprego na área de Comunicação aqui em Portugal. Também relatei muito rapidamente como têm sido o mercado de trabalho para meu marido, que é da área de TI. Como sei que Portugal é um país de muitas oportunidades para quem é formado neste setor, que tal hoje falarmos um pouco mais da experiência dele? Saiba como é trabalhar em TI em Portugal no artigo a seguir.

Como é trabalhar em TI em Portugal?

Luís trabalhou por cerca de 20 anos numa multinacional no Brasil com funções como programador, líder técnico e gestor de projetos. Por um bom tempo, trabalhava no escritório e depois de um período começou a atuar em casa, em home-office. Em dado momento, notou que sua carreira não tinha muito como evoluir.

Nós dois estávamos passando pela mesma situação. Carreira estagnada, rotina exaustiva e receio da situação política e econômica do Brasil. Depois de muita ponderação, chegamos a conclusão que havia chegado a hora de pôr em prática uma antiga ideia: morar fora do país.

Pesando os prós e os contras

Como sempre teve de lidar com muitos colegas de trabalho em outros países, Luís sempre falou a língua inglesa com muita facilidade. O caminho natural de imigração seria o Canadá, onde a comunidade de brasileiros é bem expressiva. Mas havia dois impedimentos: a documentação complexa exigida e o frio excessivo da região.

Eu até que não me importaria de ter um pouco de neve na porta de casa ocasionalmente, mas Luís não estava disposto a congelar. Conversamos sobre outras possibilidades.

Documentação necessária para imigração

Mesmo sendo filho de portugueses, por anos eu havia adiado fazer o processo de reconhecimento de cidadania portuguesa junto ao Consulado. Admito, por absoluta preguiça de ter de lidar com burocracia. Certo dia, minha irmã decidiu arregaçar as mangas e correr atrás da papelada. O processo inteiro durou quase 1 ano. Quando o cartão de cidadão chegou, acabei deixando ele repousar numa gaveta.

Casal em parque em Portugal
Maurício Martins compartilha a experiência do marido que trabalha em TI em Portugal

Um dia, quando conversávamos sobre as possibilidades de imigração, lembrei daquele cartãozinho abandonado na gaveta. Foi ali que os planos de mudar para Portugal foram ganhando forma e no final do mês de agosto de 2020 chegamos a Braga.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Quer morar em Portugal com segurança e qualidade de vida?

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

Saber Mais →

Tivemos sorte e nos primeiros dias conseguimos marcar uma ida ao SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) para pedir o cartão de residência do Luís. Como somos casados, não se tratava do tão falado reagrupamento familiar, que é o termo usado para familiares de estrangeiros portadores de visto, o que não é o caso dele. Familiares diretos de cidadão português (cônjuge, filhos, pais e sogros) precisam apenas entrar em contato com o SEF e pedir a emissão do cartão (artigo 15 da lei 37/2006), já válido inicialmente por 5 anos.

Aliás, desde o nosso primeiro dia por aqui, registramos nossa rotina de imigração nas redes sociais do @encontreseufarol. Não deixe de nos seguir porque trazemos sempre muitas curiosidades, mostramos lugares incríveis e tiramos dúvidas de quem deseja também imigrar.

Ajustando as expectativas

Os dois por aqui tinham algumas promessas de trabalho em Portugal que acabaram não se concretizando, mas isso já estava previsto em nosso planejamento. Até então, naquele momento, nosso sonho era tirar um ano sabático, apenas passeando pela Europa e curtindo férias um pouco mais longas. Sonhávamos com passagens baratas nas companhias low-cost para Espanha, Alemanha, França e Suíça.

Praticamente, uma vida de herdeiro, nem que fosse temporariamente. Afinal, os dois começaram a trabalhar muito cedo e mereciam um mimo desses, né? Entretanto, com a pandemia, fronteiras fechadas e as restrições de viagens, tivemos de mudar de ideia e colocamos nossos currículos para jogo.

Como é trabalhar em empresas de TI em Portugal

Poucos meses depois que chegamos, Luís conseguiu algumas entrevistas em empresas de TI de Portugal. Acabou aceitando uma das propostas que veio pelo LinkedIn. Mais uma vez, encarava o desafio de trabalhar numa multinacional, mas agora ganhando em euros, o que fez com que não tivéssemos de gastar nossas economias.

A parte da documentação foi bem tranquila e a empresa acabou precisando apenas emitir o NISS (Número de Identificação de Segurança Social). Também foi pedido um certificado de registro criminal, que é algo bastante comum de ser solicitado pelas empresas por aqui. O documento foi emitido rapidamente. O fato de ter uma larga experiência em gestão de projetos e domínio da língua inglesa foram diferenciais.

Em termos salariais, os valores estão na média do que é pago pelas empresas do setor aqui em Portugal para uma pessoa com experiência, como é o caso do Luis.

Fica difícil comparar com o que recebia no Brasil, pois simplesmente não dá para fazer a conversão direta para reais. O poder de compra na Europa é extremamente diferente do Brasil.

Aqui um trabalhador, mesmo que receba o ordenado mínimo, consegue ter acesso a artigos considerados de luxo, como um carro ou um telefone celular moderno. O mais importante é entender se o seu salário (em euros) está ajustado ao padrão de vida que você quer ter no país. Tenha isso em mente.

Rotina de trabalho similar

A rotina de trabalho é muito semelhante à do Brasil, ainda mais pelo fato de trabalhar em home-office. Tem algumas reuniões durante o dia e contato constante com colegas de várias partes do mundo. Assim como em qualquer trabalho, as demandas aparecem em ondas: uma hora as coisas ficam mais calmas e em outras, bem mais agitadas.

Há algumas diferenças que ficam mais nítidas com o dia-a-dia, como o fato de tudo ser mais formal por aqui. Desde a escrita de um e-mail até o contato telefônico com um colega de trabalho, há muito mais cerimônias do que estamos acostumados no Brasil.

Existe uma grande barreira para criar laços de amizade por aqui e os relacionamentos ficam limitados à superficialidade exigida em atividades profissionais. Em tempo: há também um respeito muito grande pela hierarquia.

A experiência de como é trabalhar em TI em Portugal

Para o Luís, e experiência de trabalhar em Portugal tem valido a pena, levando em conta o acesso a outra cultura, outros costumes e realidades. Sobre o dia de amanhã, o que vai acontecer ou que propostas vai receber, ninguém tem como saber. Aprendemos a viver o hoje e, por enquanto, está tudo bem.

Parece óbvio, mas não custa dizer que a nossa história não necessariamente precisa ser igual à sua. Cada um é de um jeito. Teria sido possível que o Luís, por exemplo, já tivesse saído do Brasil com uma oferta formal de trabalho em Portugal.

É comum ver empresas dando suporte ao profissional de TI no processo de emissão de visto e cobrindo os custos de viagem. Muitas vezes o profissional é abordado em plataformas como o LinkedIn e é super plausível também que você, sendo de TI, contacte empresas do setor pela mesma ferramenta.

Homem trabalha no computador em sua casa
Luís trabalha no setor de TI em Portugal em regime home-office

Importar profissionais do Brasil é algo constante na área de Tecnologia, mas o mesmo não é tão comum em outros setores do mercado de trabalho. E saiba que as funções mais técnicas, como Programador, costumam apresentar mais vagas. A dica é pesquisar bastante as ofertas em sites como Net-empregos e Indeed.

E, caso não consiga sair do Brasil já com uma oferta em mãos, aconselhamos fortemente que faça um excelente planejamento financeiro para evitar perrengues. E isso vale até mesmo para as ofertas de trabalho que parecem certas e confiáveis. Entenda que os planos da empresa podem mudar e você pode até não gostar da rotina de trabalho. E o que você vai fazer? Ficar preso numa atividade que te faz mal?

Por essas e outras é que você precisa entender que não existe paraíso na Terra e você não deve imigrar sem ter uma boa reserva financeira. No mais, boa sorte e, quem sabe, no futuro, a gente não tenha você e sua família como vizinhos e colegas de trabalho?