Portugal e Espanha sempre cultivaram relações muito próximas com o Brasil. São muitas as famílias que descendem de imigrantes desses países. Por isso, seus costumes e culturas também são um pouco nossos. Mas, se você está se aposentando e quer saber como é a vida nesses dois países, saiba como é viver em Portugal ou Espanha para aposentado.

A vida em Portugal e Espanha para aposentado

Para começar, devo dizer que sou apaixonado pelos dois países, e com muitas razões. Dava ainda os primeiros passos e já ouvia histórias de aldeões, contadas pelo meu avô beirão. Impressionava-me o terror que os lobos infligiam às pessoas, os muros de pedras soltas que os aldeões empurravam contra os lobos para salvarem suas vidas. Contavam na família que as minhas primeiras frases foram com sotaque português.

Quanto à Espanha, embora tenha também um pouco de sangue galego, o apego se desenvolveu mais para a frente. Em minha juventude, passei largos espaços de tempo vagabundeando de norte a sul do país, principalmente na Andaluzia e na Catalunha. As aventuras da juventude se fixam na memória e nos acompanham por toda a vida. Fiz outras viagens à Espanha posteriormente e conheço um pouquinho de cada região.

Hoje, na hora de escolher entre passar a minha aposentadoria entre Portugal e Espanha, meu coração balança. Mas, essa não é uma escolha difícil porque se caso com Portugal terei a Espanha como amante, e vice-versa, já que os dois países estão juntinhos.

A decisão, porém, já está feita: irei para o Porto, porque estão os primos por perto e o carinho familiar é insubstituível. Não fossem os parentes, talvez me decidisse pela adorável Cádiz, na Andaluzia. Mas nada me impedirá de ir a Cádiz, de vez em quando, comer fritada de camarão e assistir a um show de flamenco.

Os números podem ajudar na sua escolha entre Portugal ou Espanha

Talvez os números ajudem os indecisos a elegerem em qual país fixar residência na aposentadoria, de acordo com as preferências e tendências de cada um.

Extensão territorial

  • Espanha: 505.990 quilômetros quadrados;
  • Portugal: 92.212 quilômetros quadrados.

A Espanha, como se vê, é em torno de 5,5 maior do que Portugal.

População

  • Espanha: 47.450.795 habitantes, ou seja, 94 habitantes por km2;
  • Portugal: 10.347.892 habitantes, ou seja, 112 habitantes por km2.

Grupos Étnicos

  • Espanha: 84% espanhóis, 16% outros;
  • Portugal: 95,3 portugueses, 4,7% outros.

PIB (Produto Interno Bruto nominal)

  • Espanha: US$1,450 trilhões;
  • Portugal: US$251,7 bilhões.

PIB per capita

  • Espanha: US$ 31.178,00;
  • Portugal: US$ 36,543.00.

GINI (índice de desigualdade econômica)

  • Espanha: 33;
  • Portugal: 31,9.

Turismo

  • A Espanha recebeu 84 milhões de turistas em 2019;
  • Portugal recebeu, no mesmo ano, 27 milhões de turistas.

Religião

  • Espanha: 57% cristãos. Se declararam sem religião 38,9%;
  • Portugal: 83% cristãos, sendo 81% católicos. Se declararam sem religião 6,8%

(N.B.: Todos os dados foram coletados na Wikipedia.)

Diferenças entre Portugal ou Espanha para aposentado

Os números acima demonstram equilíbrio entre os dois países, considerando os tamanhos físicos e os números de habitantes. As maiores disparidades estão na divisão dos grupos étnicos e na religiosidade. Aqui também a história mete o seu dedinho: o franquismo nasceu de uma guerra fratricida, enquanto o nascimento do salazarismo não foi cruento.

O fim do franquismo desencadeou uma revolução de costumes na Espanha. Onde nada era permitido, tudo passou a ser permitido, como retratam os filmes de Pedro Almodóvar. O fim do salazarismo teve também uma reação nos costumes portugueses, mas nada comparável ao que aconteceu na “movida madrileña”.

As histórias e riquezas dos países

Os primórdios dos dois países têm histórias semelhantes: surgiram das mesmas populações autóctones e dos mesmos invasores. Há, porém, uma distinção que acredito ter a ver com as maneiras de ser diferentes de portugueses e espanhóis. Enquanto ambos foram potências ultramarinas, a Espanha foi também uma potência europeia, o que Portugal não foi.

Quinta da Alorna em Portugal
Quinta da Alorna, Portugal. Foto: César Barroso

A Casa de Habsburgo espanhola dominou, nos séculos XVII e XVIII, a Holanda, partes da Alemanha, Bélgica, Luxemburgo e França, além de todo o sul da Itália (incluindo a Sicília), sendo que esta última por trezentos anos. As sequelas positivas e negativas da história têm a ver com as diferenças entre os espíritos portugueses e espanhóis. Os espanhóis são mais extrovertidos, barulhentos, que os portugueses.

Festas e celebrações

Em Portugal há muitas festas e celebrações, mas na Espanha não param nunca de festejar alguma coisa: as famosas semanas santas em centenas de grandes cidades e aldeias, a Feria de Sevilha, as Fallas de Valência, a Tomatina, a festa de San Fermin de Pamplona, em que os touros saem pelas ruas atropelando bandos de jovens e até homens maduros desvairados, com ocorrência de traumas e mortes, os “castellers“, ou castelos humanos da Catalunha. A lista de festas espanholas não tem fim…

Em suma, quem quer tranquilidade, silêncio e vizinhança tranquila, Portugal é melhor. Na Espanha, acordei no meio da madrugada com um casal batendo boca aos berros e ninguém reclamava. De manhã cedinho, o lixeiro não se esforça para descarregar garrafas na caçamba do caminhão fazendo pouco barulho. Aqui no Porto, o horário de silêncio é longo e respeitado. Nas regras da casa de meu apartamento está estabelecido o horário de silêncio, entre as 22h até às 9h.

Os climas em Portugal ou Espanha para aposentado

O clima em Portugal varia menos de região para região, ao contrário da Espanha, onde há temperaturas e umidades para todos os gostos. Em algumas regiões da Espanha, o calor no verão é insuportável. Falo principalmente da Andaluzia, mas não é somente lá. Dizem os portugueses que em Madrid são nove os meses de inverno e três de inferno. No Alentejo português, o verão também é muito quente.

Costumo aconselhar às pessoas que como eu gostam do assunto e são sensíveis às temperaturas e umidades, que acompanhem pela Internet as temperaturas e umidades das cidades portuguesas e espanholas para as quais poderiam emigrar. Evidentemente o sul dos dois países apresentam invernos mais brandos, mas o norte da Espanha não é tão frio quanto Madri, León e Salamanca. O norte espanhol, porém, é chuvoso durante todo o ano, principalmente no inverno.

As diferenças climáticas podem te ajudar a decidir

A divisão climática típica da Península Ibérica comporta três zonas: Atlântica, Continental e Mediterrânea. A Zona Atlântica é formada por um triângulo composto por todo o norte de Portugal, a partir do rio Tejo, e se estende até o País Basco, com temperaturas amenas e invernos chuvosos.

Cádiz na Espanha
Cádiz na Espanha. Foto: César Barroso

A Zona Continental não inclui Portugal: é o centro da Espanha, desde a Estremadura até os Pirineus, onde os invernos são muito frios e os verões muito quentes. Já a Zona Mediterrânea inclui todo o sul de Portugal, a partir do rio Tejo, e o que restou da Espanha, até à Catalunha. Nesta zona, os verões são muito quentes e os invernos suaves e pouco chuvosos.

As melhores cidades para viver

Com uma população quase cinco vezes maior do que a portuguesa, é natural que a Espanha tenha mais cidades grandes: Madrid, Barcelona, Valença, Sevilha, Saragoça, Málaga e tantas outras. Grandes, Portugal tem Lisboa e Porto, mas tem inúmeras cidades de porte médio com ótima qualidade de vida, como Braga, Guimarães, Faro.

A questão é a seguinte: em Portugal e na Espanha há cidades grandes, médias, pequenas e aldeias para todos os gostos, com uma variedade apreciável de climas.

O custo de vida em Portugal ou Espanha para aposentado

Dizem que a Espanha é mais cara do que Portugal. Na minha opinião, não muito, e em alguns itens, como imóveis, mais barata. Neste momento, oferece-se um apartamento de dois quartos no bairro da Cedofeita, Porto, de 73m2, terceiro andar, sem elevador, a 250m da estação de metrô Lapa, por 195,000€. Eu conheço essa área. É boa, mas não oferece nada demais. Tem bom comércio, é tranquila, muitos restaurantes de qualidade média, e está perto do Centro Histórico.

Com esta mesma quantia de 195,000€, compra-se em Sevilha um apartamento reformado, quarto andar em edifício com elevador, 125m2 de área construída, quatro quartos, dois banheiros, ar-condicionado, terraço. Encontra-se no bairro de San Pablo, que tem muito mais a oferecer do que Cedofeita.

Pesquisar é essencial

Para ser honesto e não levar o leitor a incorrer em erro, devo alertar que esta é uma pesquisa rápida. Recomendo a quem está querendo comprar que consulte a fundo os sites idealista.pt e idealiesta.es. No que diz respeito a aluguéis no Porto e em Sevilha, nos mesmos bairros de Cedofeita e San Pablo, repete-se a diferença em favor de San Pablo, mas menos acentuada do que para comprar.

No total, o custo de vida do Porto e Sevilha se equivalem, principalmente porque o item alimentação é muito mais barato no Porto, o que contrabalança os itens aluguel, roupa, transporte e divertimento.

Alerto mais uma vez os leitores que esses dados são colhidos de várias fontes e podem conter falhas. Mas, no geral, são confiáveis. Aconselho que os interessados façam suas próprias pesquisas. Podem também, os que quiserem, entrar em contato comigo através do e-mail [email protected] para trocar ideias e se aconselharem sobre este assunto, que acompanho há vários anos.

Cultura em Portugal ou Espanha para aposentado

Bem, estamos falando da Europa, o berço e também centro mundial da cultura ocidental. Portugal e Espanha têm muito a ofertar aos aficionados da pintura, da escultura, do balé, da ópera, da música clássica, do teatro, do cinema, da fotografia, de arte sacra, com catedrais e igrejas, monumentos históricos, incluindo até castelos. Madrid tem um dos dois melhores museus do mundo, o Museu do Prado, que rivaliza com o Louvre, de Paris.

E não tem apenas um museu de prestígio mundial. Tem ainda o Reina Sofia e o Thyssen-Bornemisza, que visitei há um mês, numa segunda-feira, em que a entrada é grátis, um dia antes de vir para o Porto. Isto sem falar nos monumentos arquitetônicos de Barcelona, León, San Sebastian, e tantas outras localidades.

Países que valorizam arte e história

Lisboa tem o Museu Calouste Gulbenkian, o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, o Museu Nacional de História Natural e da Ciência, o Museu Colecção Berardo, e outros de menor importância. Acrescentem-se os monumentos antigos e modernos na foz do Tejo.

O Porto tem o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, o Museu Nacional de Soares dos Reis, o Museu do Holocausto, e outros menores.

Leques espanhóis
Leques espanhóis. Foto: César Barroso

Viseu tem um museu importante: o Museu Grão Vasco. Quem gosta de cultura e beleza encontrará também pelos interiores português e espanhol uma infinidade de manifestações culturais.

Só para lembrar: na Espanha não se fala a nossa língua, apesar das semelhanças. Em Portugal, se fala uma língua muito parecida com a nossa (mas há uma certa dificuldade de compreensão nos primeiros dias, pelo sotaque e pelo vocabulário).

Gastronomias reconhecidas internacionalmente

Não vou entrar em detalhes porque isto é assunto para muitos livros. Lembro apenas que os vinhos portugueses e espanhóis estão entre os melhores do mundo, e, mesmo os baratos, são bons. Os embutidos de ambos os países não têm rivais. Os presuntos e fiambres são inigualáveis. Portugal tem 53 receitas de bacalhau. As paellas espanholas são em si uma festa para preparar e para comer. Aqui, ninguém se senta para comer com pressa. Comer é uma arte.

Conclusão

Para os aposentados, sejam endinheirados ou não, a península Ibérica oferece muito: gastronomia, artes, climas variados, festas e festivais, praias e montanhas. Portugal e Espanha podem ser caros ou baratos, dependendo de onde alguém vá ou faça, mas são fáceis de se adaptar a quase todos os tipos de orçamentos.

Outro aspecto importante para as pessoas da terceira idade, com reflexos lentos e problemas de mobilidade, é que a segurança pública em ambos os países é muito boa. Venham, experimentem e certamente a maioria de vocês ficará.