O intercâmbio em Portugal tem se tornado cada vez mais popular entre os brasileiros, seja pela facilidade linguística ou semelhanças culturais. Além disso, existem alguns incentivos governamentais que facilitam a ida de brasileiros para Portugal.

Se você pensa em fazer um intercâmbio no país, seja para trabalhar ou estudar, este artigo pode ser útil. Vamos falar sobre as opções legais para viver em Portugal, sobre como você pode conseguir fazer este intercâmbio e contar a experiência de brasileiros que já viveram essa experiência.

Como fazer intercâmbio em Portugal?

Existem alguns caminhos para quem pretende fazer um intercâmbio em Portugal. Quem pensa em estudar no país, pode usufruir das parcerias universitárias, participar de programas de bolsas, ou até buscar a ajuda de agências especializadas.

Existem muitos programas e acordos entre as universidades brasileiras e portuguesas. Portanto, se você está na faculdade, um bom caminho é verificar com o setor internacional da instituição quais programas estão disponíveis.

Também há alguns programas de iniciativas privadas, como a do Santander.

Outra opção seria se candidatar para fazer uma graduação completa em uma faculdade em Portugal. Muitos brasileiros estão optando por isso desde que as universidades portuguesas passaram a aceitar o ENEM como exame de admissão.

Um caminho menos comum, mas ainda possível, seria um intercâmbio de trabalho. Normalmente, quem vai para trabalhar não deseja fazer um intercâmbio, mas sim fincar raízes no país e construir uma vida por lá.

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Envie dinheiro com toda a segurança, rapidez e melhor taxa de câmbio. Atualizamos a melhor entidade diariamente, faça já a sua simulação!

Cotar Agora →
Quer morar em Portugal com segurança e qualidade de vida?

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

Saber Mais →

O intercâmbio de trabalho está mais voltado para programas de estágio, que são feitos enquanto se estuda.

Intercâmbio na faculdade em Portugal

A maior parte dos brasileiros que vão para Portugal fazer intercâmbio estudam em alguma universidade e este foi o meu caso. Em 2013, eu fiz intercâmbio no Porto para estudar durante um semestre letivo. Isso foi possível graças a um acordo entre a minha universidade no Brasil e a Universidade do Porto.

Assim como a parceria da faculdade que eu participei, existem diversos acordos de cooperação entre as universidades do Brasil e Portugal. O intercâmbio por meio de acordos envolve as melhores universidades de Portugal e muitas vezes, garante a isenção das chamadas “propinas” (anuidades das faculdades em Portugal).

O melhor caminho para participar de um destes acordos é se candidatar através da sua faculdade no Brasil para estudar em Portugal.

Além da graduação, existem programas de mestrado e doutorado oferecidos pelas universidades portuguesas para estudantes que já concluíram a sua graduação no Brasil. Basta pesquisar a universidade portuguesa que você deseja estudar, escolher o curso e se candidatar no próximo edital.

Brasileiras que fizeram intercâmbio em Portugal contam sua experiência

Este foi o caso da Viviane Machado, que se mudou para fazer o mestrado em Portugal. “Foi a primeira vez que saí do Brasil para fazer um intercâmbio. No primeiro momento, houve um choque cultural, saudades da família, mas em pouco tempo eu me adaptei” conta Viviane.

Ela também ressaltou que foi muito importante sair da sua zona de conforto para estudar em outro país:

“Foi uma experiência incrível, que eu guardo para sempre no coração. Além disso, foi algo transformador para mim, eu voltei com outra perspectiva para o Brasil” ressaltou Viviane.

Também conversei com a Vanessa Mesquita, que fez o intercâmbio através de um doutorado sanduíche “Parte do meu estudo eu já havia realizado no Brasil, na Universidade Federal de Lavras e entrei em contato com um professor em Portugal que já era pesquisador na minha área.

Perguntei a ele se havia a possibilidade de fazer o intercâmbio e se os custos da pesquisa poderiam ficar para a universidade que ele atua, que é o ISEP – Instituto Superior de Engenharia do Porto. Ele concordou e eu submeti o projeto na Capes, que aceitou e financiou o meu doutorado sanduíche com uma bolsa mensal” explica.

Ela também fala sobre o quanto foi proveitoso o seu estudo em Portugal:

“Eu fiquei um ano estudando por lá e fazendo a minha pesquisa na área de microbiologia. Apenas neste tempo, publicamos quatro artigos. A faculdade me deu total estrutura para isso” ressaltou Vanessa.

Intercâmbio de trabalho em Portugal

O intercâmbio de trabalho é comum entre pessoas que desejam aprender inglês e claro, esse não é o caso de Portugal. Por isso, o país não costuma ser um destino muito procurado por quem faz intercâmbio de trabalho.

Porém, existem pessoas que optam por este tipo de intercâmbio e elas costumam fazer estágios. É possível conseguir boas oportunidades neste caso, trabalhando em empresas e adquirindo uma experiência internacional. Com certeza é um belo upgrade no currículo.

A nossa entrevistada Viviane, que fez o mestrado no Porto em 2013, voltou recentemente para Portugal com a intenção de conseguir um trabalho. Só que dessa vez a ideia é morar de fato no país e não fazer um intercâmbio. “Eu vim para trabalhar e este é um momento diferente com outras responsabilidades” conta Viviane.

Ela foi sem ter um emprego certo e destaca que o mais importante é ter contatos nesta situação. “Quando você vem para cá sem nada é realmente complicado conseguir um emprego em Portugal. Principalmente no momento atual, de pandemia, em que as vagas estão mais escassas.

A minha sorte foi que eu consegui através do meu namorado, que já era daqui. Ele tem um amigo que tem empresa e assim consegui um emprego, através de indicação. Mas ainda não sou efetiva. Fiz um contrato de três meses inicialmente e agora renovei para um contrato de seis meses. Até mesmo subempregos como garçonete e atendente em shopping está complicado de conseguir”, avalia.

Quanto custa fazer um intercâmbio em Portugal?

Quando você decide fazer um intercâmbio, é muito importante ter um planejamento financeiro e saber quanto custa estudar em Portugal. Um fator importante é se você vai ou não pagar as propinas (anuidades das instituições).

Após considerar isso, é necessário calcular os custos médios para viver na cidade em que vai morar. Afinal, este valor pode variar bastante de acordo com a cidade. Morar no Porto, por exemplo, que é uma cidade turística, pode ser mais caro que em cidades menores e menos conhecidas.

Também existe a opção de economizar com o aluguel, recorrendo à moradia universitária. Você ainda pode dividir apartamento para gastar menos e em alguns lugares, é muito comum estudantes morarem em repúblicas, como em Coimbra.

Vanessa Mesquita no laboratório em Portugal
Vanessa Mesquita (segunda da esquerda para a direita) com colegas de laboratório em Portugal. Imagem: arquivo pessoal

Os custos com alimentação costumam ser bem razoáveis, principalmente se compararmos com outros lugares da Europa. Os mercados têm bastante ofertas de produtos próprios, com preços acessíveis.

O que eu achei caro quando morei no Porto foi a energia elétrica. O cálculo é feito por média de consumo e quando algum funcionário vai conferir o relógio para ver o gasto real a próxima conta costuma vir bem salgada. Então, fique atento a isso.

Quando for fazer o seu planejamento financeiro para intercâmbio em Portugal leve em conta os custos com moradia, transporte, alimentação, celular e lazer. E em alguns casos, os custos com a faculdade.

Consultei no site Numbeo, em junho de 2021, os custos médios para viver no país para você ter ideia do custo de vida em Portugal. Veja a seguir:

Restaurantes

Tipo de restaurante Custo médio
Refeição em restaurante econômico 8,00€
Refeição para duas pessoas em restaurante de valor médio 30,00€

Supermercado

Produto Valor médio
Leite normal (1 litro) 0,63 €
Pão branco fresco (500g) 1,09 €
Arroz branco (1kg) 1,09 €
Ovos normais (12) 1,75 €
Queijo regional (1kg) 6,77 €
Filetes de frango (1kg) 4,98 €
Bife da paleta (1kg) 9,31 €
Banana (1kg) 1,08 €
Tomate (1kg) 1,44 €
Batata (1kg) 0,93 €
Alface (1 maço) 0,95 €
Garrafa de Vinho 4,00 €
Cerveja Nacional 1,04 €

Transporte

Tipo de transporte Valor médio
Bilhete de ida 1,60 €
Passe mensal 40,00 €
Gasolina (1 litro) 1,52 €

Contas mensais

Básicos (Eletricidade, Aquecimento, Arrefecimento, Água, Lixo) para um Apartamento de 85m2 102,05 €
Internet (60 Mbps ou Mais, Dados Ilimitados, Cabo/ADSL) 33,34 €

Esporte/ Lazer

Mensalidade da academia para um adulto 32,35 €
Bilhete para cinema 7,00 €

Aluguel

Tipo de imóvel Valor médio
Apartamento (1 quarto) no centro da cidade 585,28 €
Apartamento (1 quarto) fora do centro 446,87 €
Apartamento (3 quartos) no centro da cidade 987,79 €
Apartamento (3 quartos) fora do centro 726,80 €

Resumo do custo de intercâmbio em Portugal

A seguir estimamos os custos de fazer intercâmbio em Portugal, tendo em consideração os 3 principais destinos dos estudantes brasileiros. Os valores são apenas uma estimativa, vão depender do seu estilo de vida, da região da cidade onde pretende viver e das prioridades.

Custos Lisboa Porto Coimbra
Aluguel de quarto com contas incluídas 400€ 300€ 230€
Alimentação 120€ 120€ 110€
Transporte* 22,50€ 22,50€ 15€
Celular 11,80€ 11,80€ 11,80€
Lazer 60€ 50€ 40€
Total 614,30€ 504,30€ 406,80€

* Os valores de passe de transporte mensal municipal são específicos para estudantes, com desconto já aplicado até 23 anos, acima dessa idade o valor é 30€ em qualquer uma das cidades.
Você pode fazer uma busca por quartos pela Uniplaces, o site reúne anúncios nas principais cidades do país com boas ofertas, focadas especialmente em estudantes.
O valor do plano mensal de celular – telemóvel em Portugal – se refere ao plano jovem da Nos, a WTF. Para ter acesso à tarifa basta ter menos de 25 anos.

É possível fazer intercâmbio em Portugal de graça?

Sim, é possível. Existem alguns programas de bolsas de estudo em Portugal que são focados principalmente em intercâmbios de graduação.

Os programas mais conhecidos de bolsas de graduação estão:

Santander Universidades

O Santander Universidades é um programa de iniciativa privada, que destina aproximadamente 3 mil euros para o intercâmbio do estudante contemplado com a bolsa.

Para concorrer a essa bolsa é preciso que a universidade que o estudante frequenta participe da rede de instituições apoiadas pelo Santander. Você pode conferir se a sua faculdade faz parte no site da instituição.

No site você também pode verificar todos os editais abertos e filtrar por país, modalidade, status da chamada (edital aberto, em breve, encerrado ou em avaliação) e categorias como competências, idiomas, tecnologia, estudos, alunas mulheres, empreendedorismo e pesquisa.

Erasmus+

O programa Erasmus+ é oferecido pela União Europeia e possui bolsas que podem variar de 3 a 12 meses de intercâmbio.

Ele também funciona de acordo com as parcerias estabelecidas entre as instituições de ensino. Portanto, você deve verificar com a sua universidade se existe esse acordo com o programa e quais são as condições para participar.

O valor da bolsa oferecida varia conforme os critérios do programa, como o custo de vida no país, número de candidatos e distância entre os países. O objetivo é garantir as despesas de viagem e estadia.

Outros tipos de bolsas

Uma forma de conseguir auxílio para intercâmbio em Portugal são os programas com bolsas oferecidos pelas próprias universidades brasileiras, principalmente por aquelas que possuem acordos acadêmicos e culturais com instituições portuguesas.

Este foi o meu caso, eu fiz um intercâmbio com bolsa para Portugal através de uma parceria entre a minha universidade (UFSJ) e a universidade do Porto.

Porém, não foi uma bolsa que cobriu todos os meus custos e foi preciso ajuda da minha família para me manter. Ao menos houve a isenção das propinas e uma bolsa simbólica mensal, que com certeza ajudou muito.

Se você se interessa por essa opção, precisa buscar informações sobre os trâmites do edital oferecido pela sua universidade. Muitas vezes, essas bolsas vão cobrir apenas as propinas da universidade portuguesa e o aluno terá que arcar os custos com alimentação, moradia e transporte. Mas, não deixa de ser uma ótima oportunidade.

Viviane Machado no Porto
Viviane Machado na ribeira do Porto. Imagem de arquivo pessoal.

Ainda existe uma situação que contempla os estudantes de mestrado e doutorado, que são as chamadas bolsas sanduíche. Nela o aluno tem a oportunidade de passar um tempo estudando em uma instituição de ensino estrangeira durante o seu curso.

Para isso, é necessário que o estudante faça uma pós-graduação em uma instituição brasileira e depois, participe de processos seletivos para concorrer a bolsas de mestrado-sanduíche ou doutorado-sanduíche.

Este foi o caso da Vanessa Mesquita, que conseguiu fazer a o doutorado sanduíche com bolsa pela Capes.

Conheça mais detalhes sobre estudar em Portugal de graça.

Documentos para fazer intercâmbio em Portugal

Para fazer intercâmbio em Portugal, alguns documentos são necessários. Veja a lista dos mais básicos a seguir:

Passaporte

O passaporte é o documento de identificação para viajar pela Europa e será necessário ter um com validade mínima de três meses após a data de retorno ao Brasil. Portanto, antes de pedir o visto, veja a validade do seu documento, caso já o tenha.

Se a validade for para já, será preciso renovar o seu passaporte o quanto antes.

Visto de estudante

Para estudar em Portugal por mais de 90 dias, será necessário providenciar um visto de estudante . Existem duas possibilidades para o visto de estudo, que vão depender do período de permanência do aluno.

Eles são o visto temporário e o de residência. O primeiro é mais comum para intercâmbio, já que ele engloba o período de até 13 meses.

PB4

O PB4 faz parte de um acordo de cooperação entre Brasil e Portugal que garante que portugueses e brasileiros tenham acesso ao serviço de saúde pública em ambos os países.

Este é um documento essencial para quem vai ficar em Portugal por uma longa temporada, que é o caso do intercâmbio. O PB4 garante que você será atendido no sistema de saúde pública em Portugal, mas é importante saber que o atendimento não é totalmente gratuito.

Com o PB4 o cidadão brasileiro é atendido, mas deve pagar as mesmas taxas dos portugueses. Os valores são simbólicos e uma emergência médica custa em torno de 14€.

O cenário ideal é usar o PB4 como complemento ao seguro viagem, já que em alguns casos, pode ser mais interessante ir ao atendimento público. Mas, ele será restrito a Portugal.

Seguro viagem

O seguro viagem intercâmbio é um documento essencial para a sua estadia em Portugal. Apesar de existir a possibilidade de apresentar o PB4 na solicitação do visto, o seguro é bem mais abrangente, tanto em proteção quanto em território.

O PB4 é válido apenas no atendimento médico em Portugal, enquanto seguro viagem cobre todo o Espaço Schengen. Portanto, em qualquer viagem pelo continente você estará protegido.

É importante escolher um seguro viagem específico para estudantes, que apresente algumas vantagens como a passagem aérea de ida e volta de um familiar, caso necessário.

No comparador de seguro viagem do Euro Dicas você encontra os melhores planos para estudantes.

Precisa de visto para fazer intercâmbio?

Para intercâmbios que durem mais de 90 dias, é preciso providenciar o visto. O visto deverá ser solicitado na VSF Global, que vai determinar a categoria adequada de acordo com o período de permanência no país.

Normalmente, os vistos têm duração de seis meses e podem ser renovados em Portugal, caso seja comprovada a necessidade. O estudante deverá providenciar os documentos exigidos como carta de aceite da universidade portuguesa e comprovantes de meios de sustento.

É possível estudar e trabalhar durante o intercâmbio?

Sim, é possível estudar e trabalhar durante o intercâmbio. Há um tempo, existiam regras mais rígidas em relação a isso e o estudante deveria pedir autorização ao SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), que fazia uma análise de carga horária em relação ao tempo de estudo e trabalho.

Esse pedido poderia ser negado se o órgão acreditasse que os horários não seriam compatíveis. Além disso, o processo poderia passar por um longo período de análise.

Mas, isso mudou e após um acordo entre os governos de Brasil e Portugal, o estudante passou a ter liberdade para trabalhar mediante notificação ao SEF por e-mail.

Para notificar ao órgão português sobre a decisão de trabalhar enquanto estuda, deverá apresentar a seguinte documentação ao SEF:

  • Contrato de trabalho ou promessa de contrato;
  • Abertura da atividade nas Finanças;
  • Prova da inscrição na Segurança Social.

É possível fazer intercâmbio no ensino médio em Portugal?

Sim, é possível fazer intercâmbio no ensino médio em Portugal. Essa não é uma modalidade muito procurada, mas existem programas de intercâmbio voltados para este público.

Como para qualquer outro tipo de intercâmbio, será necessário providenciar o visto, caso o estudante não tenha a cidadania europeia. O sistema de ensino de Portugal se diferencia um pouco do Brasil.

O ensino médio é chamado de secundário e se volta mais para os objetivos acadêmicos do estudante. O aluno poderá optar por se concentrar em ciências socioeconômicas, ciência e tecnologia, línguas e literatura, ciências sociais e humanas ou artes visuais.

As escolas portuguesas são bastante desafiadoras e possuem longas horas de aula. O sotaque português é bem diferente do nosso, mas os brasileiros não costumam ter problemas para se adaptar.

Se você pensa em fazer um intercâmbio no ensino médio em Portugal, o mais aconselhável é procurar a ajuda de uma agência de intercâmbio para fazer a ponte com a escola portuguesa.

Como é a experiência de estudos?

Existem algumas diferenças entre os estudos no Brasil e em Portugal. Para começar, o ano letivo se inicia em meados de setembro e o fim do ano letivo acontece em junho. O período de férias é no verão, que ocorre entre julho e agosto.

Um aluno português do ensino superior tem em média 21 horas de aula por semana, o que é um tempo considerável, levando em conta que a média europeia é de 17 horas semanais.

Como experiência pessoal, posso dizer que achei a exigência dos professores portugueses maior do que no Brasil. Em todas as turmas que passei, nas diferentes disciplinas que escolhi fazer, nunca vi um aluno ganhando uma nota total. Aqueles que vão muito bem em uma atividade, ganham uma nota um pouco acima da média. O que já mostra o nível da exigência.

Mariele Velloso bicicleta Aveiro
Mariele Velloso (autora do artigo), em Aveiro. Imagem de arquivo pessoal.

De acordo com Viviane, no mestrado ela também notou uma grande exigência por parte dos professores e mesmo quem já havia repetido uma disciplina por mais de uma vez não tinha facilidades para conseguir passar.

“A principal diferença que eu notei foi na relação entre o aluno e o professor. Não existe um meio termo, o português é muito oito ou oitenta. Ou um aluno acertou uma questão, ou errou. Então, não tem conversa e nem adianta tentar enrolar quando você não sabe”.

Em relação às provas e trabalhos ela diz que não tem muita diferença: “Acho que no Brasil até fazemos mais trabalhos. O que difere é mesmo a exigência e a praticidade dos professores”, avalia.

Vanessa, que fez o doutorado sanduíche em Portugal, relata que o professor que a acompanhou foi muito presente na pesquisa. “Nesse processo de intercâmbio, pouco tempo eu tive para fazer viagens, era como se fosse um trabalho mesmo.

Foi muito bom porque o professor que eu tive estava muito presente, tanto que conseguimos quatro publicações em um ano. Foram artigos científicos renomados na área de microbiologia, de tratamento de ambientes contaminados.

O professor basicamente me acompanhava em todos os processos, todos os resultados eu encaminhava para ele. Ele foi muito presente, foi um excelente trabalho, excelente troca” avalia Vanessa.

E o estágio, como funciona?

O estágio em Portugal é um pouco diferente do Brasil. Existem diversas categorias de estágio, inclusive referentes ao grau acadêmico em que devem ser realizados.

As três categorias básicas são:

Para estrangeiros, o estágio extracurricular é o que se encaixa melhor. O estudante brasileiro precisa buscar a vaga e realizar todo o processo de forma independente.

Normalmente, as empresas anunciam vagas de estágio em sites de emprego em Portugal , ou nas páginas das próprias empresas. Portanto, se alguma empresa te interessa, acompanhe as suas publicações no LinkedIn.

Melhores cidades para fazer intercâmbio em Portugal

Apesar de ser um país pequeno, Portugal possui 123 universidades e institutos do Ensino Superior. Existem 13 universidades públicas em Portugal e todos os cursos cobram propinas. O governo português é quem decide o valor das propinas todos os anos e geralmente, são valores acessíveis.

Caso você queira estudar em Portugal, é interessante pesquisar bastante sobre as instituições disponíveis. Existem diferentes opções que oferecem ensino, pesquisa e extensão em diversas áreas de conhecimento.

As cidades que são destinos principais para estudantes que querem fazer intercâmbio em Portugal são:

  • Aveiro;
  • Braga;
  • Coimbra;
  • Covilhã;
  • Lisboa;
  • Porto;
  • Vila Real.

Vale a pena fazer intercâmbio em Portugal?

Começando pela minha experiência, posso dizer que com certeza vale a pena fazer intercâmbio em Portugal. Foi a melhor experiência da minha vida em termos pessoais e até hoje, acredito que é algo que “pesa no meu currículo”.

Vanessa também fala sobre porque acredita que vale a pena fazer intercâmbio em Portugal “Não só pelas belezas que Portugal nos proporciona, mas também pela capacidade intelectual que o país tem e pode nos proporcionar.

São várias universidades, várias faculdades, que têm muito conhecimento. Os portugueses são muito metódicos. E é por isso que as coisas conseguem dar certo. Eles são inteligentes e buscam sempre recursos. Eu acredito que vale muito a pena fazer intercâmbio em Portugal, não só pela vivência que a gente tem pessoal, mas também pela vivência profissional”.

Para Viviane, a experiência também foi muito válida: “Você tem perrengues, não é um mar de rosas. Mas isso em qualquer lugar que você for tentar o intercâmbio, não é? O intercâmbio abriu meus horizontes e passei a ser uma pessoa que se atreve a tudo. Eu acho que a cada dia a gente se transforma mais e quando você está fora de casa é tudo mais intenso. Muito além dos estudos, as experiências que temos no intercâmbio não têm preço. Quem tem esse sonho deve realizá-lo. Com certeza vale a pena arriscar, ter foco e ir atrás para contar com todas as vantagens dessa vivência”.

Quer estudar em Portugal? Preparamos um e-book completo sobre Como Estudar em Portugal, nele você encontra todas as informações necessárias para começar a vida no país como estudante, desde a escolha da universidade, a candidatura, o visto até o período de adaptação.