Morar em Amsterdam: dicas essenciais para planejar mudança

Se você está pensando em morar em Amsterdam e não sabe por onde começar, este artigo pode te ajudar. Para quem sonha em viver na capital dos Países Baixos, é essencial considerar as despesas básicas, o estilo de vida no local, o clima, a saúde e como a população costuma receber estrangeiros. Neste artigo, vamos explorar esses assuntos e trazer informações que podem ser muito úteis para quem quer morar em Amsterdam.

Onde morar em Amsterdam?

Primeiramente, você precisa saber onde e em qual bairro você quer morar. Em Amsterdam, tudo é muito perto de tudo, mas existem umas diferenças de índice de criminalidade e qualidade de vida, como em qualquer lugar do mundo.

Tenho minhas preferências e vou compartilhar com você, mas é uma escolha muito pessoal, então mantenha sua mente aberta na hora da escolha.

Jordaan no Centro

É um dos bairros mais antigos da cidade. Aquele que aparece em todas as fotos de paisagem, o verdadeiro retrato de Amsterdam, cercado de canais e casas históricas por todos os lados.

Onde morar em Amsterdam

Por que escolhemos a Goldenergy em Portugal?

É um bairro tranquilo, mas tem de tudo por perto. Porém, se você gosta de algo mais sossegado, talvez esse bairro não seja o ideal, ele recebe vários turistas todos os dias do ano.

Westerpark

Além de dar o nome ao parque do bairro, o Westerpark fica coladinho em Joordan e no centro, porém com uma certa quietude. Esse bairro mantém o charme e morar a alguns passos de um parque verdinho deve ser bem interessante.

De Pijp

O fervo da cidade, o bairro é repleto de bares, restaurantes e coisas bacanas para fazer. É um bairro cheio de vida e boas experiências.

Zeeburg

Se você tem uma família com filhos pequenos, talvez esse seja o melhor bairro para morar em Amsterdam. Oferece boas escolas e parques para as crianças.

Amsterdam Noord

É um bairro relativamente novo que cresce a cada dia. O metrô chegou em 2018 e esse bairro é um dos mais promissores de Amsterdam. Várias novas construções e estabelecimentos surgem a cada dia. Na parte das docas a vida noturna e cultural é bem forte.

Oud Zuid

Aquele bairro que todo mundo quer morar, o mais chique e mais caro. Se você tiver bala na agulha para morar no Oud Zuid, não pense duas vezes.

Como escolher um bairro pra morar em Amsterdam?

São muitos bairros e muitas oportunidades. O ideal é você pesquisar onde vai trabalhar, onde terá que ir com mais frequência, onde seus filhos vão estudar ou você vai estudar e buscar algo mais perto para ser a sua futura casa.

Porém, algumas dicas sempre ajudam para você não entrar em furada. Normalmente, quando você busca uma imobiliária para morar em Amsterdam, os agentes já te ajudam a entender a realidade de cada bairro.

Onde é mais seguro morar em Amsterdam?

Primeiro de tudo, você precisa visitar os bairros que tem em mente e ver se sente bem em relação aquele lugar. Se vai com a cara dos vizinhos, se gosta da iluminação das ruas, se tem o que você precisa por perto. Feito isso, existe um site, baseado nas estatísticas da prefeitura que mede o índice de criminalidade de cada bairro. Ele chama-se Gemeente Amsterdam e está em holandês.

A partir disso, você poderá ter uma noção de onde é “mais seguro”. Lembrando que a criminalidade na Holanda não é nem de perto igual ao do Brasil. No fim das contas, todos os bairros são tranquilos.

Como encontrar um lugar pra morar em Amsterdam

Existem vários sites que te ajudam nessa difícil missão de alugar uma casa para morar em Amsterdam. Aqui vai uma listinha rápida:

Custo de vida em Amsterdam

A seguir, confira alguns custos básicos para quem deseja morar em Amsterdam.

Aluguel de apartamento

Tipo de imóvel Valor
Apartamento de 1 quarto no Centro da cidade 1.596,48€
Apartamento de 1 quarto fora do Centro 1.258,91€
Apartamento de 3 quartos no Centro da cidade 2.835,45€
Apartamento de 3 quartos fora do Centro 2.061,32€

Compra de apartamento

Localização do Imóvel Preço por metro quadrado
No Centro da cidade 7.556,81€
Fora do Centro da cidade 5.176,67€

Contas da casa

Serviços Valor médio mensal
Básicos (eletricidade, aquecimento, arrefecimento, água, lixo) para um apartamento de 85m2 173,64€
Internet (60 Mbps ou mais, dados ilimitados, Cabo/ADSL) 41,76€

Transporte

Transporte Valor
Bilhete de ida do transporte local 3,20€
Passe mensal 97€
Início do Táxi (tarifa normal) 5€

Gasolina

Quantidade Valor
1 litro de gasolina 1,67€

Academia

Mensal Valor
Academia para um adulto 38,43€

Alimentação

Alimento Valor médio
Refeição em restaurante econômico para uma pessoa 16€
Refeição para duas pessoas em restaurante de custo médio 75€
1 litro de leite normal 1,03€
Pão branco fresco (500g) 1,56€
Arroz branco (1kg) 2,04€
Ovos normais (12) 3,09€
Queijo regional (1kg) 13,38€
Filetes de frango (1kg) 8,38€
Carne vermelha paleta ou equivalente (1kg) 14,36€
Maçãs (1kg) 2,36€
Banana (1kg) 1,80€
Laranjas (1kg) 2€
Tomate (1kg) 2,50€
Água (garrafa de 2,5L) 0,94€
Garrafa de Vinho 7€
Cerveja Nacional (0,5L) 1,32€

* Dados retirados do site colaborativo Numbeo. Última atualização: julho 2020.

Seguro de saúde na Holanda

Para ter acesso à saúde na Holanda, todos precisam ter um seguro de saúde. Este seguro é pago, custa cerca de 110€ por mês (plano básico) e é obrigatório por lei. Funciona como um plano de saúde particular no Brasil. O governo ajuda quem não tem condições de pagar, mas isso exige um processo burocrático e é preciso estar com dificuldades financeiras reais para ter esse apoio.

Empresas que oferecem seguro saúde

Existem algumas empresas que oferecem o seguro de saúde na Holanda. A mais popular delas é a Zilveren Kruis, mas existem outras opções como a Independer e a Partner Pete.

Franquia de risco do seguro saúde

Há uma polêmica quanto à franquia de risco dos seguros de saúde na Holanda. Cada empresa possui sua franquia de risco anual, o que significa que, até um certo valor, você mesmo deve pagar pelos seus exames e despesas.

Se o risco do seu seguro é de 350€, por exemplo, e você precisar fazer um exame abaixo deste valor, provavelmente terá que pagar por fora. Ou seja, tudo que você utilizar na saúde gastando até 350€ em um ano, você terá que pagar e o restante o seguro cobre.

Documentos para morar em Amsterdam

Para entrar na Holanda, você terá que apresentar passaporte, seguro viagem e algum comprovante de estadia. Mesmo para quem vai morar em Amsterdam, é necessário fazer um seguro viagem, já que você vai precisar dele para entrar no país e até que esteja inscrito no seguro saúde holandês. Você pode utilizar o comparador de seguros do Euro Dicas para escolher a melhor opção para o seu caso.

Além destes documentos para entrada do país, você terá que providenciar um visto de residência se deseja morar em Amsterdam. Existem diversas opções de visto e o estrangeiro precisa solicitar o visto de longa estadia temporária (MVV – Machtiging Voorlopig Verblijf). Veja alguns tipos de visto para morar em Amsterdam:

  • Visto de Trabalho;
  • Visto de Estudo (ou Intercâmbio);
  • Visto por casamento, relação estável ou família (válido para casais gays, casados, para quem vai morar com os pais, morar com tutores legais, com pais adotivos ou para crianças que nasceram na Holanda).

Estilo de vida em Amsterdam

Amsterdam possui mais de cem canais, inúmeras pontes e muita beleza. A capital dos Países Baixos reúne ares de cidade pequena, devido ao clima familiar que existe nas ruas, e o ritmo de uma grande cidade, com a grande agitação presente.

Rijksmuseum

Poucos carros são vistos na cidade e as pessoas são educadas desde cedo a ter a bicicleta como principal meio de transporte. A cidade oferece uma infraestrutura para isso e além disso, possui um bom transporte público. Assim, os moradores não têm necessidade de ter carros.

Os Países Baixos são um dos países mais desenvolvidos do mundo e de acordo com a ONU, possui uma das populações mais felizes também.

Adaptação ao clima e às pessoas

Enquanto no Brasil é verão quase o ano todo, nos Países Baixos é bem diferente. A temperatura anual média é de 14 graus e o verões são amenos, com uma média de 25 graus. Porém, um dos fatores que os brasileiros mais reclamam não é o frio em si, mas o volume de chuva, que é bem alto.

O clima também muda bastante e, no mesmo dia, pode fazer sol, chuva, arco-íris, neve e vento. A adaptação ao clima pode ser uma questão para quem vai morar em Amsterdam, mas a maior parte das pessoas se acostuma rápido.

Quanto à população, os holandeses são um pouco diferentes dos brasileiros. Eles são um povo pragmático, que querem sempre facilitar as coisas, são muito diretos e os brasileiros podem muitas vezes entender isso como falta de educação e grosseria. Porém, são pessoas abertas a conversar, se interessam pela história do outro e sempre dão bom dia na rua. Em geral, os brasileiros se consideram bem recebidos na cidade.

Amsterdam é a cidade da liberdade

De forma geral, a população neerlandesa lida bem com a liberdade prevista na legislação do país, que permite uso de drogas leves (maconha e cogumelo), direito ao aborto, eutanásia e ao casamento homossexual. Nos parques de Amsterdam, podemos observar famílias com crianças em piqueniques, dividindo o espaço com jovens fumando maconha em narguiles.

Essa liberdade está presente na história local. Uma prova disso é o tratado da União de Utrecht, um acordo que selou o nascimento dos Países Baixos no século XVI, garantindo a liberdade religiosa e permite que cada um siga a fé que bem entenda.

A tolerância e liberdade de pensamento atraíram cientistas e pensadores para o local. No século XVII, todo pensamento inovador era publicado na Holanda e de lá exportado para o Velho Continente.

Depoimentos de pessoas que vivem em Amsterdam

Como eu apenas visitei Amsterdam e nunca morei na cidade, busquei moradores brasileiros para falar um pouco sobre a vivência de morar no local. Confira os depoimentos a seguir.

Barbara Scol busca qualidade de vida ao morar em Amsterdam desde 2017

“Em 2017, eu e meu marido decidimos sair do Brasil em busca de uma qualidade de vida melhor. Era uma coisa que já planejávamos fazer no futuro, mas sem data prevista. Na época, estava tentando engravidar há alguns anos sem sucesso e recebi minha cidadania Polonesa, o que me permitia morar na Europa sem necessariamente mudar através de um emprego.

Sentimos que era a hora certa de tomar essa decisão e após uma grande pesquisa, optamos por Amsterdam. Um ano antes, um casal de amigos nossos havia se mudado para cá, o que ajudou bastante a entender como funcionaria toda a parte burocrática, que diga-se de passagem, é bem complicadinha. Passamos um ano nos organizando para fazer a mudança em 2018.

Encontrar um imóvel foi um dos desafios do casal

Já sabia que encontrar um lugar para alugar aqui não seria uma tarefa nada fácil, os preços são bem altos e poucos lugares disponíveis. Viemos com um Golden Retriever (bem velhinho) e dois gatos. Os holandeses amam animais e quase todos têm gatos (quem não tem, provavelmente vai morar com ratinhos), mas nem todos aceitam pets na hora de alugar.

Vim antes para procurar e não correr o risco de ficarmos muito tempo em algum lugar provisório, tipo Airbnb. Confesso que foi um desafio, é uma concorrência impressionante. Os lugares disponíveis abrem alguns dias para visitas e faz fila. O proprietário do apartamento/casa escolhe o inquilino. Isso porque eu não estava procurando nada no centro, hein. Queríamos um lugar mais tranquilo, sem tantos turistas. Consegui nosso apartamento térreo e ainda não sei como. Por aqui dizem que foi sorte, acredito que sim.

Adaptação ao clima tão diferente é uma das adversidades ao morar em Amsterdam

Chegamos no fim do inverno, o que foi bem importante para nos adaptarmos. Na primavera e no verão todos estão sorridentes, aproveitam para ficar na rua, jantar na grama na frente do canal, colocam as mesinhas na frente das casas e ocupam as ruas mesmo. No inverno ninguém quer conversar, é cada um na sua toca. A cidade vira outra. O inverno é difícil e a sensação é que não vai acabar nunca. Agora entendo porque no primeiro solzinho, mesmo que com 16 graus, já tem gente querendo ficar de biquíni.

Acolhidos pela vizinhança

Nossos vizinhos são quase todos holandeses e foram extremamente receptivos com a gente. Vinham na nossa janela se apresentar, perguntar sobre nós, falar com os gatos e cachorro. Aliás, todo mundo sempre pára para falar com os gatos na janela. E não faz diferença se tem ou não gente em casa. Eles simplesmente não reparam que você está lá e isso é maravilhoso. Respeitam sua privacidade, mesmo se a sua janela é para rua.

Bárbara Skol
Imagem do arquivo pessoal de Barbara Scol

Três meses depois de chegarmos, nosso cachorro faleceu e mais uma vez eles foram maravilhosos. Vieram trazer flores, convidar para jantar, para beber. Foi um momento bem difícil, mas eles trouxeram um conforto muito grande e se tornaram nossos amigos.

Aprender o idioma é fundamental

Depois de já estarmos um pouco mais adaptados aqui, me inscrevi em um curso de holandês (gratuito pela prefeitura para cidadão europeu). Apesar de todos falarem inglês e conseguir resolver bastante coisa por aqui sem falar holandês, se quiser realmente ficar por aqui e viver sem ser turista para sempre é importante saber, sim. Eles conversam entre eles em holandês, as escolas são em holandês, mercado, imposto de renda, creche, etc. Além disso, muitas vagas de emprego exigem o idioma.

Claro, demora, é uma língua bem difícil. Ainda estou longe de falar fluentemente, mas vale continuar estudando, ainda mais agora que tivemos um filho. Ele vai aprender rapidinho, então precisamos correr atrás. Sim, no começo de 2019 descobri que estava grávida. O maior presente que Amsterdam me trouxe. Um dos motivos de eu amar tanto esse lugar com toda certeza.

O sistema de saúde local funciona

O sistema de saúde aqui funciona da seguinte forma: você precisa necessariamente pagar um plano de saúde básico. Dependendo da renda familiar, você pode conseguir um reembolso desse valor. E nesse plano, você tem direito a basicamente tudo que precisa. As empresas podem oferecer outros serviços extras para quem quiser pagar um valor adicional. Até os 18 anos o plano é gratuito e é o equivalente ao contratado pelo pai ou mãe.

Aí você se registra com um médico de família (huisarts) e é ele quem vai te prescrever medicamentos, encaminhar para especialistas, hospital, etc. Qualquer problema que tiver, é só marcar uma consulta com ele. Já ouvi muitas reclamações de que os médicos aqui nunca prescrevem nada além de paracetamol. E, se você precisa mesmo de algo mais forte tem que dar uma boa exagerada, mas eu particularmente sempre saí bem satisfeita das minhas consultas. Perdi o hábito de tomar remédio para tudo e isso me fez muito bem.

Acho que posso finalizar meu relato com o início de vida do meu filho. Agora ele está com 10 meses e, em tão pouco tempo, já nos deparamos com várias diferenças culturais. Uma quantidade enorme de pais cuidando dos bebês sem as mães. No parquinho, no pediatra, no carrinho, no sling, na bike. Bebês recém-nascidos já saindo com os pais para fazer tudo, bebês no frio, na chuva. E livres, na grama, na areia. Ainda estou me adaptando a tudo isso. São muitas e muitas e muitas diferenças, mas gosto bastante delas e não temos intenção de sair daqui. Nossa experiência tem sido muito boa até agora e espero que continue assim”.

Sofia Aquino Gomez decidiu morar em Amsterdam em 2018

“Eu moro em Amsterdam há pouco mais de dois anos, me mudei em abril de 2018. Vim por conta do trabalho do meu marido, que é programador e recebeu uma proposta de emprego aqui. Me dei muito bem com a cidade e um dos motivos foi o esporte. Eu praticava remo no Brasil e consegui continuar aqui, já que a modalidade faz bastante parte da cultura local. Isso foi algo que me ajudou a fazer amigos também, porque me juntei a um grupo de remo em um clube.

Outro fator que me atrai muito na cidade é a forma de se locomover. Eu já andava de bicicleta em São Paulo, mas na época nem ciclofaixa tínhamos na cidade. Este é o principal meio de transporte em Amsterdam e existe todo uma estrutura para isso. Eu moro em Zaandam, que fica a 40 minutos de bike de Amsterdam, e três vezes por semana eu vou para Amsterdam de bicicleta, principalmente agora no verão. Se não, eu vou de trem em 15 minutos. O transporte aqui é muito fácil.

Dificuldade com o idioma

Eu diria que a língua é uma das minhas maiores dificuldades aqui. Eu estou a dois anos estudando holandês, sinto que fiz algum progresso, mas eu não falo a língua. Usamos muito o inglês, inclusive em cursos que já fiz e até no estágio que irei fazer em setembro vou usar o inglês. Porém, sinto falta de saber a língua nativa em algumas situações, como quando quero contratar um serviço, por exemplo. Também já pensei em trabalhar em cafés, enquanto não consigo um trabalho na minha área, mas isso não é possível sem falar holandês. Tenho os amigos holandeses do remo e isso é algo que me obriga a praticar mas, em geral, a maior parte dos nossos amigos são brasileiros ou pessoas de outras nacionalidades.

A relação dos turistas com a cidade dificulta a moradia local

Os turistas são uma coisa que me incomoda em Amsterdam. Tem vezes que você deixa de ver a cidade por conta dos turistas e atrapalha a fazer coisas no dia a dia. Tenho lido no jornal que eles estão com programas para diminuir o fluxo de turistas. O turismo é bom, mas também atrapalha. Tem uma questão ruim em relação ao Airbnb, por exemplo. As pessoas só querem fazer contratos de locação de seis meses no centro da cidade, porque querem alugar para turistas durante o verão. Isso prejudica quem é morador da cidade. Então, houve uma determinação proibindo o Airbnb no centro.

Ainda falando sobre moradia, optamos por vir para Zaandam porque os preços são bem melhores. Meu marido comprou uma casa aqui e as casas que estávamos vendo em Amsterdam pelo preço que pagamos eram bem piores. Hoje tenho uma casa com dois andares, quatro quartos e jardim. E por esse preço eu pegaria uma kitnet em Amsterdam.

Qualidade no estilo de vida

Para mim, a adaptação ao clima foi tranquila. No primeiro ano, eu achei o inverno um pouco pesado, eu sou bem friorenta. Mas, esse ano, achei mais tranquilo. Quanto ao estilo de vida, eu ainda estou tentando me acostumar com a alimentação, porque eles só comem sanduíche no almoço. Outro dia eu estava conversando com meus vizinhos e eles ficaram impressionados que a gente come arroz e feijão no almoço e no jantar. Mas o estilo de vida holandês eu acho bem legal.

Em relação ao trabalho, meu marido normalmente sai do escritório às 17h. Aqui você não vive para o trabalho. O seu bem-estar e sua vida são preservados acima de tudo. Isso é muito legal e bem diferente de São Paulo, que eu trabalhava até às 22h, até no fim de semana. Aqui eles são muito mais flexíveis em relação a isso.

Sofia Aquino sobre morar em Amsterdam
Imagem do arquivo pessoal de Sofia Aquino

O custo de vida é alto, principalmente falando em morar em Amsterdam, onde os aluguéis são considerados um terço do seu salário ou mais. É realmente muito caro. Por isso, muita gente tem procurado comprar uma casa. O governo ajuda com 100% do financiamento, que foi o que aconteceu com a gente. Nós estamos pagando em uma casa própria muito menos do que a pagávamos de aluguel lá em Amsterdam. E mesmo se a gente comprasse em Amsterdam, provavelmente estaríamos pagando menos. Vale muito a pena financeiramente comprar uma casa.

Custo de vida alto ao morar em Amsterdam

Mas, no geral é tudo muito caro. Para comer, tomar um café com um sanduíche é 15€. Para comer em um restaurante, a média é 30€ por pessoa. Mas os salários compensam isso. Porque na Espanha, por exemplo, a comida é mais barata, mas os salários são mais baixos. Eu sinto que eles cobram mais caro para pagar as pessoas bem. Acho que os profissionais são mais valorizados que no Brasil.

A saúde é bem diferente do Brasil

A saúde eu acho que funciona bem. Você tem um plano de saúde obrigatório, que custa 100€ por mês e todos têm acesso. Mas, temos alguns poréns. Por exemplo, já tive um mioma e fiz uma cirurgia em 2012. Então, sempre tive que acompanhar a cada seis meses. Cheguei aqui e fui a um clínico geral pedir a ele para fazer o exame porque fazia tempo e ele disse que não precisava. Eles não têm o costume da medicina preventiva.

Vida ao ar livre

O que mais gosto de morar em Amsterdam é o acesso a muitos parques. É super gostoso e comecei a aproveitar muito mais as áreas externas. Também essa liberdade de se locomover de bicicleta. Uma questão ruim é o excesso de pessoas que vêm trabalhar aqui, o que satura o mercado de trabalho.

Amsterdam é muito legal em relação a outras cidades da Holanda, pois tudo acontece aqui. Eu tenho amigas que moram em Eindhoven que gostam de lá, mas dizem que tudo acontece por aqui como shows, eventos legais. Então, isso é bem bacana”.

Ficou com vontade de morar na Holanda? Leia também o artigo que diz se vale a pena morar na Holanda.

Mariele é brasileira, formada em Jornalismo e especialista em Marketing Digital. Nasceu em Minas Gerais, estudou em Portugal e hoje mora em São Paulo. Suas duas grandes paixões são: viajar e escrever. Já visitou 9 países e conhece especialmente Portugal e Itália. Todos os dias aguarda ansiosamente pela próxima viagem.

Katarina Ferreira, Social Media, Designer e Fundadora do Vida Laranja, onde dá dicas e ajuda brasileiros que resolveram, como ela, buscar novos desafios na Holanda e pelo mundo.

Artigos relacionados

Profissões mais bem pagas na Holanda: conheça o top 10

Descubra nesse artigo as 7 profissões mais bem pagas na Holanda, seus salários e o que faz cada profissional dentro da área.

Morar na Holanda: vistos, estudo, trabalho e custo de vida

Quer saber como morar na Holanda, um dos países com melhor qualidade de vida? Saiba tudo sobre documentação, custo de vida, como estudar e trabalhar.

Trabalho na Holanda para brasileiros: oportunidades e salários

Saiba como é o mercado de trabalho na holanda para brasileiros. Conheça os salários, como procurar emprego e documentos necessários.

Emprego na Holanda: como conseguir, salários e benefícios

Veja como procurar emprego na Holanda, qual idioma é necessário para conseguir uma oportunidade no país e outros requisitos.

Custo de vida na Holanda: conheça os gastos médios no país

Se você quer morar na Holanda, sem dúvida alguma precisa saber qual é o custo de vida na Holanda. Veja quanto gasta um casal para viver em Amsterdam.

Tudo sobre a Holanda: conheça tudo sobre o país das tulipas

Tudo sobre a Holanda: onde fica, hstória, capital, custo de vida, língua e cultura, moeda e economia, mapa, maiores cidades etc.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube