10 melhores países para aposentados: confira o ranking

Muitos sonham em sair do Brasil quando se aposentarem, buscando novos ares, melhor qualidade de vida e benefícios para aposentados. Mas quais são os melhores países para aposentados? Normalmente, as pessoas acham que precisam viver na Europa ou América do Norte para encontrarem o que buscam. Porém, isso não é verdade.

Uma pesquisa realizada pela consultoria International Living mostra que países da América Central, por exemplo, podem ter mais benefícios do que muitas nações mais desenvolvidas. Confira neste artigo, quais são os melhores países para aposentados.

Melhores países para aposentados: o top 10 de 2021

Em sua 30ª edição, o estudo realizado pela consultora International Living seleciona quais são os melhores países para aposentados. A pesquisa reúne dados de 25 países, avaliando questões como custo de vida, moradia e infraestrutura.

A consultora afirma que o Índice de Aposentadoria é a pesquisa mais abrangente e aprofundada sobre o assunto. Por mais de 30 anos, a International Living realiza pesquisas ao redor do mundo para descobrir o melhor destino para aposentados viverem.

Este trabalho resulta em informações abrangentes e essenciais para ajudar a encontrar a aposentadoria dos sonhos no exterior. Veja o ranking atual dos dez melhores países para se aposentar.

Como Morar em Portugal Aposentado?

Confira o nosso Ebook “Aposentadoria em Portugal” com o passo a passo para se mudar legalmente para Portugal como aposentado. Tire suas dúvidas e planeje sua mudança com toda a tranquilidade!

1. Melhor país para aposentados: Costa Rica

Localizada na América Central, a Costa Rica ficou com primeiro lugar no ranking divulgado pela consultora International Living em 2021, dos melhores países para aposentados. O país subiu uma posição, já que tinha ficado com o 2º lugar na pesquisa anterior.

A Costa Rica fica ao lado do Panamá e chama a atenção por seu baixo custo de vida, lindas praias e muito sol. O local é considerado seguro e o seu povo é muito acolhedor. Os aposentados que conseguem a residência pagam entre 7% e 11% da sua renda mensal declarada para terem acesso ao programa de medicina pública do país.

A sua capital, San José, tem aproximadamente 300 mil habitantes e oferece a tranquilidade de uma cidade pequena, com a estrutura de uma grande cidade.

O país que é chamado de “Suíça da América Central”, já foi muito atormentado por problemas políticos e civis. Porém, aboliu o exército em 1948 e destinou toda a verba para educação e saúde, resultando em pessoas bem-educadas e acesso médico a residentes legais.

Custos para morar na Costa Rica

Um casal pode viver de forma confortável na Costa Rica com aproximadamente R$11.000 por mês. Este valor inclui aluguel de uma casa de dois quartos com ar condicionado, alimentação, entretenimento, transporte e saúde.

Estrangeiros que vivem no país costumam dizer que os costarriquenhos são muito acolhedores e calorosos. Como todo o mundo, a pandemia afetou muito a economia da Costa Rica. Porém, continua sendo uma boa opção para um mundo pós-covid, por conta das suas belezas naturais, população receptiva e visão progressista.

2. Panamá

O Panamá ficou com segundo lugar do ranking, caindo uma posição em relação à pesquisa anterior. O país que é famoso por fazer a ligação da América do Sul com a América Central, é ensolarado, está em rápido desenvolvimento e possui um povo muito hospitaleiro.

Sua capital, Cidade do Panamá, é moderna e oferece excelente estrutura. Possui quase 900 mil habitantes e um povo que é acostumado a receber bem, uma vez que o turismo é uma das fontes econômicas principais da cidade e do país.

A maior vantagem do Panamá são os descontos e benefícios oferecidos. O Programa Pensionado local está aberto a todos e proporciona aos aposentados que possuem pensão diversos descontos que incluem desde entretenimento até despesas médicas.

Custos para morar no Panamá

Se você tem uma pensão, independente da sua idade, pode se inscrever para ser um pensionista residente. O requisito principal é que sua pensão seja de pelo menos US $1.000 por mês, ou R$5550,60. Após se tornar um residente aposentado, você terá direito a todos os descontos oferecidos para os habitantes locais.

Isso garante uma economia bastante considerável com 25% de desconto na conta de luz, 50% em ingressos de cinema e espetáculos, 25% em passagens de avião, 20% em medicamentos, 25% em refeições em restaurantes, entre outros.

O Panamá não é considerado o país mais barato da região, mas ainda continua sendo um local acessível. Os preços da saúde particular são bem razoáveis, podendo encontrar seguro saúde com valor inferior a US $150 por mês, ou R$832.

3. México

O México foi considerado o terceiro melhor país para aposentados, mantendo sua posição do ano anterior. Com cidades cosmopolitas, praias paradisíacas, infraestrutura e rica cultura, podemos entender porque ficou entre os melhores.

O México é o segundo maior e mais populoso país da América Latina, mas não perde em qualidade de vida por sua longa extensão.

Após a concessão de residência, é possível se inscrever em um plano nacional de assistência médica com valores baixos, tendo acesso à infraestrutura hospitalar e médica. Os idosos acima de 60 anos também podem solicitar um cartão de descontos.

Custo para morar no México

O custo de vida do país depende muito do estilo de vida de cada pessoa. Mas, em geral, é possível viver com US $2.000 por mês para o casal (R$11.101,00) com todas as despesas inclusas e sem economizar. Isso é possível por causa do baixo custo de imóveis, comida com bom preço no mercado e em restaurantes, transporte barato e assistência médica acessível.

O México possui dois tipos de residência para os estrangeiros se inscreverem. A temporária, que requer uma renda de US $1.600 (R$8.880,96) ou US $82.000 (R$455.149,20) no banco. Os valores podem variar de acordo com a taxa de câmbio.

A outra opção é a residência permanente, que você deve ter US $2.000 (R$11.101) de renda mensal ou US $102.000 (R$56.6161,20) no banco.

Determinados consulados exigem que a renda venha da Previdência Social, de uma pensão ou outra fonte garantida. Outros aceitam investimentos ou outras formas de renda. É possível ser um residente temporário por até quatro anos. Depois, você precisa se inscrever novamente para a temporária ou tentar a permanente.

4. Colômbia

Subindo duas posições no índice, a Colômbia ficou com o quarto lugar do ranking de melhores países para aposentados. Com famosos e importantes nativos, como a cantora Shakira e o escritor Gabriel García Márquez, o país abriga um povo receptivo e alegre. O clima local é tropical, o que traz aos seus moradores uma sensação de primavera durante todo o ano.

Obter o visto de aposentadoria para viver na Colômbia costuma ser bem tranquilo. Para isso, é preciso ter ao menos US $750 (R$4.162,95) de renda da Previdência Social ou US $2.500 (R$13.876,50) de renda de previdência privada. A validade do visto é de três anos e depois disso, pode ser renovado.

Para acesso ao sistema de saúde é necessário contratar um plano privado, mas o custo é mais barato do que na maior parte dos países.

Custos para morar na Colômbia

Em relação ao custo de vida, um casal pode viver com US $2.000 (R$11.101) por mês ou menos. Claro que isso vai depender do estilo de vida e da cidade escolhida. Mas a média não vai fugir disso.

Tire da sua cabeça a visão estereotipada da Colômbia violenta e tomada pelo tráfico. O país já virou a página e vem se transformando em um atrativo destino para aposentados que desejam conforto e não querem gastar muito.

5. Portugal

Portugal subiu duas posições no ranking da International Living e é o primeiro país europeu da lista de melhores países para aposentados. Pensando em custo de vida, com certeza é uma excelente opção para viver depois de se aposentar.

Portugal é o segundo país mais barato para viver na Europa e perde apenas para a Bulgária.

Custos para morar em Portugal

Caso você queira viver na capital Lisboa ou em regiões turísticas como Algarve e Cascais, serão necessários cerca de US$3000 (R$16.651,80) mensais para o casal, cobrindo custos e tendo uma vida confortável. Se está disposto a morar em cidades menores e menos conhecidas, o custo de vida cai de forma considerável.

O país possui um bom serviço de transporte público e é possível ir para todos os locais por trem, metrô e ônibus. Especialmente nas cidades maiores como Lisboa ou Porto. O fácil deslocamento, baixo custo de vida e hospitalidade dos moradores são motivos consideráveis para morar em Portugal.

O país ainda tem uma lei de incentivo para receber aposentados de todo o mundo que desejem morar lá, desde que provem que possuem rendimentos suficientes. Existem inclusive benefícios fiscais e isenção de impostos.

Se você é aposentado e sonha em morar em Portugal, não deixe de adquirir nosso Ebook para aposentados.

6. Equador

O Equador caiu da 4ª para 6ª posição no ranking de melhores países para aposentados. O primeiro país sul-americano do ranking possui diversidade em paisagens, climas e pessoas e é considerado excelente para se viver depois de se aposentar. Dizem até que existe um Equador ideal para cada tipo de pessoa.

O país tem uma combinação única de estar localizado na linha do Equador, com brisa fresca do mar da Corrente Humboldt, da bacia amazônica e Cordilheira dos Andes, proporcionando uma variedade de climas que o fazem ter uma das melhores condições meteorológicas do mundo.

O custo de alimentação do local é muito baixo, uma vez que se produz bastante e em grande variedade. Os moradores conseguem fazer uma excelente feira semanal com menos de US$15,00 (R$83,58) e o transporte público também é bem barato.

É possível ter uma casa na praia da Costa do Pacífico ou em um condomínio com bela vista dos Andes por menos de US$150.000 (R$835.815). Os aluguéis também têm um preço acessível e é possível alugar um apartamento de dois quartos e dois banheiros no centro de Cuenca por US$500 (R$2786,05).

Um casal vive bem no Equador com uma quantia entre US $1.650 (R$9193,97) e US$1.825 (R$10.169,08) por mês, dependendo do local e estilo de vida. Além do custo de vida, a hospitalidade dos moradores e diversidade climática são alguns dos principais atrativos do país.

7. Melhores países para aposentados: Malásia

A Malásia ficou com o 7º lugar dos melhores países para aposentados, caindo duas posições em relação ao ano anterior. O país fica perto da Indonésia e Oceania e é considerado um ótimo lugar para viver depois de se aposentar, por combinar natureza intocada, modernidade de suas grandes metrópoles e cultura milenar.

Custos para morar na Malásia

A lei local é baseada no sistema britânico e os sinais de trânsito estão em inglês e malaio, o que facilita muito a locomoção. No norte do país, em Penang, um casal vive bem com menos de US $2.000 (R$11.144,20) por mês, incluindo o aluguel. A alimentação também tem baixo custo e a infraestrutura hospitalar é de alto nível.

Voos diretos para mais de 30 países diferentes são oferecidos nos aeroportos internacionais de Kuala Lumpur e Penang. Isso torna o país uma excelente base, onde você pode explorar os tesouros históricos, naturais e culturais do sudeste da Ásia.

8. França

A França, que não estava no ranking do ano passado, ocupa a oitava posição deste ano. Conhecido como um país dinâmico e diversificado, oferece lugares para aposentados com todos os bolsos e gostos. De campos de lavanda na Provença à charmosa Paris e encantadora costa da Bretanha, a aposentadoria pode ser um sonho no país e você deveria considerar morar na França.

Apesar de parecer sofisticado, o estilo de vida francês não é necessariamente caro e o custo de vida na França pode variar muito. Com certeza as grandes cidades como Paris ou Lyon possuem um custo bem elevado, mas existem regiões mais acessíveis. Alguns casais vivem bem em pequenas cidades com menos de US$2.000 (R$11.144,20).

A saúde, que é um fator essencial para os aposentados, pode ser uma vantagem da França. Com um dos melhores sistemas de saúde do mundo, seus residentes têm acesso a cuidados de qualidade com preços reduzidos. Após três meses vivendo no país, os estrangeiros têm direito à cobertura universal.

Os membros da saúde francesa são reembolsados em 70% das consultas médicas e até 100% nos medicamentos prescritos. Não existem restrições de idade ou limitações para doenças pré- existentes. Você deve apenas pagar uma pequena porcentagem da sua renda anual para se associar ao sistema de saúde.

É claro que, como qualquer país, existem vantagens e desvantagens de morar na França. Mas, pensando em uma vida social, não faltam coisas para fazer, incluindo diversas atividades e hobbies para participar como aulas de culinária, artesanato e artes, clubes ao ar livre, entre outros.

Se você pensa em se mudar para a França nosso artigo sobre fazer amigos na França pode te interessar.

9. Melhores países para aposentados: Malta

Malta foi outro país que entrou no ranking deste ano. Localizado no coração do Mediterrâneo, o país combina os encantos do sul da Europa com uma das melhores qualidades de vida do continente, atraindo muitos estrangeiros que decidem morar em Malta.

O arquipélago possui três ilhas, Malta, Gozo e Comino, com uma população de aproximadamente 500.000 pessoas. Malta e Gozo são povoadas, enquanto Comino é parcialmente desabitada. Malta promete entreter seus moradores com uma riqueza de tesouros históricos e arquitetônicos e o mar mediterrâneo cintilante.

Seu clima é estável em qualquer parte da ilha e o país tem um dos maiores números de horas de sol por ano na Europa. Moradores relatam que o céu azul aparece quase todos os dias.

Os alimentos frescos e locais de alta qualidade também são um grande atrativo e o valor deles é bastante acessível. Os supermercados ainda oferecem uma variedade de alimentos locais e importados e as lojas como padarias, quitandas e peixarias, são encantadoras.

Custo para morar em Malta

Assim como na maioria dos países, o custo de vida em Malta é mais alto nas cidades do que no campo. Morar na praia ou no porto vai custar mais. Um apartamento moderno de um quarto no centro da cidade, pode custar até 1.050€ (R $6967,69) por mês.

Malta possui serviços de saúde modernos e de qualidade e se tornou um destino popular para o turismo médico. Cidadãos malteses podem optar entre serviços públicos gratuitos de saúde ou instalações privadas e pagas. Alguns seguros oferecem descontos no setor privado.

Uma das grandes vantagens de viver em Malta é sua localização. Ela fica próxima ao sul da Itália, a leste da Tunísia e ao norte da Líbia. Com um voo curto, você consegue chegar na Grécia, Turquia, Síria, Israel, Egito, Argélia, Marrocos, Espanha, França e muitos outros lugares. Além disso, o estilo de vida maltês é encantador e bastante descontraído.

Se você ficou interessado em saber mais sobre o país, confira tudo sobre Malta.

10. Vietnã

O Vietnã também entrou no ranking de melhores países para aposentados neste ano. Com montanhas selvagens e remotas, praias incríveis na costa central, cachoeiras e florestas de pinheiros do Planalto Central, o país é um paraíso para quem gosta de estar em contato com a natureza.

Além disso, também contempla os mais urbanos com seus arranha-céus cheios de skylines nas cidades em rápido desenvolvimento. O país está em uma ascensão meteórica e ainda que tenha sido devastado pela guerra 40 anos atrás, sua economia foi a que cresceu mais rápido no mundo em 2020.

Sinais de crescimento podem ser vistos por toda parte no Vietnã com escolas internacionais, hospitais novos, rodovias com acesso controlado e diversos condomínios de alto padrão.

Custo de vida para morar no Vietnã

Para os aposentados, o país é uma das opções mais econômicas disponíveis. Casais relatam que vivem com US $800 (R$4.453,68) por mês ou menos morando no interior. E mesmo nas cidades mais caras, como Hanói, Da Nang e Ho Chi Minh City (Saigon), é possível viver de forma confortável por menos de US $1.500 (R$8350,65) por mês.

A culinária vietnamita também é um atrativo, com caldos saborosos, macarrão picante e deliciosos pratos. A comida é fresca e saudável, com sabores únicos.

O Vietnã é um centro regional de viagens, com diversos aeroportos internacionais que atendem os destinos regionais também. Os aeroportos em Hanói e na cidade de Ho Chi Minh oferecem voos para todos os principais destinos do mundo.

Como é calculado o índice de melhores países para aposentados?

A consultoria International Living conta com um grupo de pessoas espalhadas por 25 países de todos os continentes para realizar o índice. Tratam-se de correspondentes, editores e colaboradores que fornecem informações e recomendações práticas para formar o ranking. Para compor a lista de países, são analisadas 10 categorias:

Habitação

É feita uma análise do valor dos imóveis e mede-se a dificuldade para encontrar uma casa no país. São analisados fatores como preços de casas e condomínios em áreas que os estrangeiros aposentados gostariam de morar, imposto anual sobre propriedade e se existe alguma restrição de moradia à expatriados. Os correspondentes também avaliam se existem boas oportunidades para investir em imóveis para obter um aluguel ou retorno de capital.

Benefícios e descontos

Determinados países oferecem descontos em muitas coisas para aposentados, desde passagem aérea e alimentação, até transporte público e eletricidade. Qualquer benefício e desconto para aposentado no país são levados em conta nessa categoria.

Vistos e residência

Esta categoria avalia fatores como facilidade para obter residência permanente, se a renda que você ganha fora do país será tributada e se existem opções especiais de residência para aposentados.

Adaptação / entretenimento

Aqui não é analisada apenas a receptividade dos locais, mas a questão de se sentir em casa. Adaptação à cultura local, coisas para fazer, disponibilidade de museus, eventos e exposições e atividades ao ar livre são alguns dos fatores levados em conta.

Desenvolvimento

Ter acesso a um sistema de eletricidade confiável, poder assistir a lançamentos de filmes, estradas de qualidade e um transporte público eficiente são alguns dos fatores analisados nesta categoria.

Clima

O clima é um fator essencial para ser analisado quando pensamos em mudar de país. Nesta categoria é avaliado o clima do país, levando em conta fatores como temperatura, precipitação e umidade.

Cuidados de saúde

Nesta categoria os correspondentes se empenham ao máximo. Quanto é preciso pagar por coisas como uma cirurgia nos olhos, coroa de dente ou transfusão de sangue são fatores minuciosamente avaliados. Nos cuidados com a saúde qualidade e preço são considerados, para garantir uma condição justa e equilibrada.

Governança

Saber se um país respeita a liberdade individual, mantém a democracia e oferece um ambiente estável e seguro para desfrutar a aposentadoria é essencial. Também são avaliados fatores como um sistema bancário eficiente e como cada país lidou com a situação da covid-19.

Oportunidade

Nem sempre os aposentados querem parar de trabalhar totalmente. Talvez tenham interesse em abrir um negócio ou complementar a renda com um trabalho freelance. Por isso, é analisado como as autoridades locais apoiam pequenas empresas, se é fácil trabalhar de forma remota e as condições econômicas do país.

Custo de vida

O país deve ser acessível para ser considerado um bom local para aposentados. Para avaliar cada lugar, os correspondentes preenchem um orçamento mensal bastante abrangente. Nele tudo está incluído, desde o custo de um litro de leite até o ingresso do cinema.

As conversões de moeda deste artigo foram feitas em 12/03/2021, pelo conversor do Google.

Mariele é brasileira, formada em Jornalismo e especialista em Marketing Digital. Nasceu em Minas Gerais, estudou em Portugal e hoje mora em São Paulo. Suas duas grandes paixões são: viajar e escrever. Já visitou 9 países e conhece especialmente Portugal e Itália. Todos os dias aguarda ansiosamente pela próxima viagem.

Artigos relacionados

Family Search: descubra como funciona e se vale a pena usar

Se você está em busca de um serviço online de genealogia o Family Search pode ser uma opção. Entenda como funciona e se vale a pena usar.

Apostila de Haia: o que é, como fazer e quanto custa

Entenda o que é a Apostila de Haia, por que ela ajuda quem quer morar fora do Brasil, quais documentos pode apostilar e onde apostilar.

Carta de motivação: modelos e dicas para preparar o documento

Confira dicas para preparar uma carta de motivação, um modelo desse documento e veja exemplos de como escrevê-la para intercâmbio, mestrado e universidade.

Erasmus Mundus: o que é e como funciona esse programa de intercâmbio

O Erasmus Mundus é um programa de intercâmbio que oferece bolsas para brasileiros. Veja como funciona, como se candidatar e dicas para ser aprovado.

Países fáceis de imigrar: veja os 4 mais receptivos da Europa

Confira a lista de países fáceis de imigrar e descubra o porquê da facilidade. Veja como é a adaptação, visto e burocracias para brasileiros nesses países.

Carta convite: o que é, para que serve e como fazer a sua

Carta convite: conheça a função e os requisitos do documento que pode ser usado na imigração e veja modelos para fazer a sua.

Câmbio de moedas

EURO € : R$ 0.00

LIBRA £ : R$ 0.00

DÓLAR $ : R$ 0.00

Ouça nosso Podcast

Curta nossa página

Euro Dicas no Youtube

1